A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Imagem
GUERRAS: COLONIAL E CIVIL - INDEPENDÊNCIA - ETNIAS HISTÓRIA - O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Sexta Ago 28, 2009 3:15 pm

Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Sexta Ago 28, 2009 3:24 pm

Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Quinta Set 03, 2009 9:41 am

A minha homenagem aos nossos herois esquecidos do acontecimento mais marcante da historia portuguesa do Sec XX. (musica original The Doors-The End)
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Alberto Santos em Segunda Set 07, 2009 3:37 pm

Reportagem RTPN - Foi há 37 anos - Maior Operação de Guerra Foi Executada Em Moçambique). cedido pelo ex-Furriel Mil.º J. Antero Ferreira, da Companhia de Caçadores 2321 do Batalhão de Caçadores 2837


Alberto Santos
Top membros
 
Mensagens: 661
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:48 am

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Sábado Set 19, 2009 6:28 pm

Simpósio Internacional de Guileje, Bissau, 1-7 de Março de 2008. Visita ao sul. Cacibe. Depoimento de um antigo militar das NT (1966/74), natural de (e residente em) Cacine. Com uma comissão em Angola. Elemento de contacto das NT com o PAIGC em 25 de Abril de 1974. Abandonado por nós. Uma história que nos envergonha
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Set 20, 2009 7:01 pm

Documentário de Paulo César Fajardo, baseado em depoimentos de ex-combatentes da Guerra do Ultramar (2007)(1ª Parte).
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor anabela em Quinta Out 01, 2009 5:18 pm

anabela
Moderador de sala
 
Mensagens: 981
Registado: Sexta Maio 22, 2009 6:12 am

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Out 12, 2009 11:38 am

A minha homenagem aos nossos herois esquecidos do acontecimento mais marcante da historia portuguesa do Sec XX.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Out 12, 2009 11:41 am

Uma homenagem a todos que prestaram serviço à pátria
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Out 12, 2009 11:44 am

Documentário de Paulo César Fajardo, baseado em depoimentos de ex-combatentes da Guerra do Ultramar (2007)(1ª Parte).
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Out 18, 2009 7:31 am

Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Jan 11, 2010 7:53 am

10 Janeiro 2010 - 00h00
A Minha Guerra: Independência de Angola
"Tivemos de almoçar com quem nos atacou" Imagem
Entrega. Estive no quadrado da morte, mas acabei por viver dias piores em Luanda. Custou-me ter de entregar quartéis e material ao inimigo.


A minha Companhia, formada por 135 homens, rumou a Angola num avião militar. O voo até Luanda demorou 14 horas. Fomos para Grafanil e seguimos depois de comboio até Teixeira de Sousa. Foram dois dias e duas noites de aventura, percorrendo centenas de quilómetros e alimentados a rações de combate, com medo que a composição fosse atacada. Mas não houve incidentes.

De Teixeira de Sousa rumámos em coluna militar até Cazombo, no Leste de Angola, onde estava estacionado o batalhão de que íamos depender. Depois fomos para Caianda, substituir uma companhia que regressou à Metrópole. Caianda faz fronteira com a Zâmbia e era uma zona de infiltração da FNLA. Era o chamado quadrado da morte. Estávamos a 650 quilómetros de Moçambique, 300 de Cazombo e a três mil de Luanda.

Sempre nos disseram que íamos ser dizimados. O território é uma grande planície, a perder de vista, com mato muito alto. Víamos quando os turras se aproximavam pelo mexer da vegetação. Às vezes queimávamos tudo para conseguir ter um melhor campo de visão. Noutras ocasiões fazíamos disparos de morteiros para eles terem noção da nossa presença.

As instalações eram parcas. Encontrámos uma cozinha onde só existia massa, arroz, salsichas enlatadas e chouriço em óleo. As refeições foram, durante alguns dias, massa com chouriço ao almoço e arroz com salsichas ao jantar. Os abastecimentos faziam-se de três em três meses. Os frescos chegavam semanalmente.

Ainda mal conhecíamos o território quando fizemos a primeira saída para o mato, tinham passado apenas 14 dias da nossa instalação. Eu era furriel miliciano, mas em Angola desempenhei as funções de 2º sargento. Sofremos uma emboscada, a 40 quilómetros do aquartelamento. Houve tiroteio e foi o salve-se quem puder. Felizmente não se registaram mortos, nem feridos. Mas como abandonámos as viaturas Unimog e Berlier, os terroristas ainda conseguiram levar algumas espingardas G3 e rádios Racal.

Depois desta emboscada optámos por uma abordagem diferente à população. Proporcionámos-lhe uma vida diferente da que estava habituada. Fornecíamos-lhe alimentos e água potável. Éramos verdadeiros assistentes sociais. Mimos não lhe faltou e foi remédio santo. Nunca mais tivemos problemas quando saíamos para o mato. A ligação à população foi boa e até nos convidava para os seus rituais.

Após um ano de estada, chegou a notícia da futura independência de Angola. Tivemos de promover um encontro com um grupo de guerrilheiros, chefiado pelo temível ‘Tigre’, comandante da guerrilha do Leste, com quem íamos negociar a cedência das nossas instalações. Tentámos não criar dificuldades, mas eles chegaram ao aquartelamento armados até aos dentes. Lá os conseguimos convencer a depositar o material e a juntarem-se connosco à mesa para um almoço.

Foi preciso muita cabeça fria e sentido de autocontrolo. Disseram-nos que tinha sido aquele grupo a emboscar-nos quando saímos a primeira vez para o mato. A revolta entre os meus militares foi enorme e não fosse a intervenção do comandante da companhia podia ter acontecido uma tragédia. O pessoal só pensava em car regar os canhões e os morteiros e dar cabo deles.

Passadas umas semanas, deixámos o aquartelamento. Carregámos o material de guerra mas deixámos ficar muitas coisas. Éramos para levar as camaratas, mas deixámo-las para a população, que nos as pediu. Regressámos ao aquartelamento do batalhão, em Cazombo. A partir daí começamos a desactivar os aquartelamentos; no Luso, em Henrique Carvalho, em Salazar, Nova Lisboa. Terras maravilhosas das quais tenho saudades.

Chegámos a Luanda com uma coluna de 200 a 300 viaturas, carregadas de material militar, depois distribuído em Grafanil ao MPLA. Até fiquei chateado, porque andei a fazer os inventários e depois levaram tudo sem qualquer ordem. Em Luanda estávamos no RI21, fazíamos patrulhamentos integrados com os guerrilheiros. Um dia houve um problema, em Vila Alice, onde havia confrontos entre forças rivais. Registaram-se tiroteios e a população portuguesa começou a fugir. A nossa tropa teve de intervir para retirar os portugueses e Vila Alice ficou quase destruída. Foram mais difíceis os meses finais em Luanda do que o tempo que passámos no mato.

A companhia regressou à Metrópole, no navio ‘Niassa’, mas eu fui mobilizado para os inventários do material de guerra. Voltei mais tarde, após muita confusão e perigo, num DC10, da Swiss Air, que transportava retornados.

UM EMPREGO PARA TODA A VIDA

João Simões foi mobilizado com 22 anos. Trabalhava na antiga Caixa de Previdência de Viseu. Já namorava quando partiu. A distância não o fez esquecer a mulher da sua vida, com quem viria a casar depois do regresso de Angola. Voltou para o antigo emprego, onde ainda trabalha, mas agora integrado no Agrupamento de Saúde de Viseu.

Do casamento com Maria Teresa Simões, professora já aposentada, teve três filhos: Pedro, de 32 anos, funcionário público no Centro de Saúde de Tondela, Rui, de 31, advogado, e Jorge, de 18 anos, ainda a estudar. Já tem um neto.

PERFIL

Nome: João Simões

Comissão: Angola (1974/1975)

Força: Companhia de Caçadores 5044

Actualidade: Hoje, 57 anos, em Viseu
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor matumbo em Sábado Jan 16, 2010 8:49 am

sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010
CRONOLOGIA DO ANO DE 1974 - III
Imagem
15 de Janeiro de 1974 – Greve parcial dos trabalhadores da SOREFAME – Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas, da Amadora.

15 de Janeiro de 1974 – General António de Spínola entrega ao general Francisco da Costa Gomes uma cópia do original do livro que tencionava publicar.

15 de Janeiro de 1974 – Reunião do major Otelo Saraiva de Carvalho e capitão Vasco Lourenço com o tenente-coronel Ferreira da Cunha, chefe do gabinete do general Costa Gomes, para tratar do caso do primeiro-cabo Octávio de Sousa Pinto, que fora transferido compulsivamente para os Açores.

15 de Janeiro de 1974 – Baltazar Rebelo de Sousa, ministro do Ultramar, visita a Guiné.

15 de Janeiro de 1974 – Manifestação de desagrado de fazendeiros e população branca em Manica, Vila Pery, Machipanda e na cidade da Beira, Moçambique, com insultos às Forças Armadas e encerramento dos estabelecimentos em forma de protesto.

15 de Janeiro de 1974 – Telegrama de protesto dos fazendeiros de Manica (Moçambique) ao Presidente do Conselho.

15 de Janeiro de 1974 – Decreto n.º 10/74, do Ministério do Ultramar, que autoriza os Governos das províncias ultramarinas a emitir os empréstimos internos amortizáveis.

15 de Janeiro de 1974 – Portaria n.º 27/74, dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Educação Nacional, que cria cursos de ensino básico de português em Berlim, República Federal da Alemanha.

16 de Janeiro de 1974 – Segundo dia da greve total dos trabalhadores da SOREFAME – Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas, da Amadora.

16 de Janeiro de 1974 – Greve parcial de três horas dos 700 trabalhadores da COMETNA – Companhia Metalúrgica Nacional, da Amadora, por aumentos salariais.

16 de Janeiro de 1974 – Funeral da vítima da fazenda Águas Frescas, em Manica, seguido de manifestação de protesto de colonos brancos junto do encarregado do Governo e encerramentos dos estabelecimentos.

16 de Janeiro de 1974 – A Associação Comercial da Beira convoca uma manifestação de protesto contra a inoperância dos militares, para o dia 17 de Janeiro.

17 de Janeiro de 1974 – Terceiro dia da greve dos trabalhadores da SOREFAME – Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas, da Amadora.

17 de Janeiro de 1974 – Duas manifestação de desagrado da população branca na cidade da Beira, Moçambique, às 8 horas e às 21 horas, com encerramento dos estabelecimentos comerciais, insultos e acusações às Forças Armadas de fazerem «turismo», pedindo repressão ao terrorismo e apoio de armamento para os civis e meios de comunicação, com confrontos físicos com a Polícia Militar e vários feridos.

17 de Janeiro de 1974 – General Costa Gomes, Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, parte para Moçambique a fim de se inteirar das graves confrontações entre a população branca e o Exército.

17 de Janeiro de 1974 – Decreto-Lei n.º 12/74, do Ministério das Obras Públicas, que cria a empresa pública do Estado denominada Empresa de Electricidade da Madeira.

18 de Janeiro de 1974 – A PIDE/DGS emite uma nota sobre as actividades da LUAR e da Frente Patriótica de Libertação Nacional (FPLN).

18 de Janeiro de 1974 – General Costa Gomes, CEMGFA, chega à cidade da Beira Moçambique, às 15h30.

18 de Janeiro de 1974 – Nova manifestação (nocturna) de desagrado da população branca na cidade da Beira, Moçambique, junto da messe dos oficiais, do Comando Territorial do Centro e do Chefe do Estado-Maior, acusando as Forças Armadas de passividade. Suspeita-se que a manifestação foi organizada com implicação de Jorge Jardim e elementos da PIDE/DGS.

19 de Janeiro de 1974 – Nova manifestação (nocturna) de desagrado da população branca na cidade da Beira, Moçambique, acusando as Forças Armadas de passividade.

19 de Janeiro de 1974 – Carta do Movimento de Capitães de Moçambique para a direcção do Movimento dos Capitães em Lisboa, sobre o «enxovalho das Forças Armadas».

19 de Janeiro de 1974 – Decreto-Lei n.º 14/74, que introduz modificações na orgânica do Conselho Superior dos Laboratórios de Engenharia Civil.

19 de Janeiro de 1974 – Conferência de imprensa de Joana Francisco Semião, dissidente do COREMO e da FRELIMO, onde renuncia ao «uso da violência como o único meio para resolver os conflitos com vista à obtenção dos mais elementares direitos humanos dentro do Estado de Moçambique», apoiando «com plena satisfação» as justas «medidas decididas e tomadas pelo governo do Professor Marcello Caetano relativamente a Moçambique».

20 de Janeiro de 1974 – Manifestação anticolonial no Jardim da Estrela, Lisboa, promovida pelo Movimento Popular Anti-Colonial (MPAC).

20 de Janeiro de 1974 – É distribuída uma carta aberta anónima “Aos Camaradas Oficiais das Forças Armadas”, pedindo uma atitude neutral e de «bom senso» e alertando contra a «crescente politização» do Movimento dos Capitães.

20 de Janeiro de 1974 – General António de Spínola e o capitão António Ramos, ajudante-de-campo do vice-chefe do EMGFA, recebem uma delegação de oficiais do Quadro Permanente oriundos de milicianos, composta por Alberto Ferreira, Andrade Moura, Pais de Faria e Armando Ramos. Estes oficiais entregaram um documento assinado por duas centenas de oficiais solicitando a defesa da sua causa junto do governo e alertando para os seus problemas profissionais em relação aos oficiais oriundos de cadetes.

20 de Janeiro de 1974 – Baltazar Rebelo de Sousa, ministro do Ultramar, termina a visita à Guiné.

20 de Janeiro de 1974 – Ataques do PAIGC às guarnições militares portuguesas de Cafal, Cadique, Columba, Catió, Bedanda e Coluba, no Sul da Guiné, para assinalar o 1.º aniversário da morte de Amílcar Cabral.

20 de Janeiro de 1974 – Ataque da FRELIMO ao aeródromo de Mueda, Norte de Moçambique, com foguetões e morteiros.

21 de Janeiro de 1974 – Greve dos trabalhadores da General Instrument Lusitana, de Arruda dos Vinhos, por aumentos salariais e readmissão dos despedidos.

21 de Janeiro de 1974 – A Comissão Coordenadora do Movimento dos Capitães de Moçambique envia para Lisboa um telegrama a descrever os acontecimentos da Beira, exortando o Movimento a declinar as responsabilidades pela situação política e militar que «ameaça» prolongar-se «em desprestigio das Forças Armadas».

21 de Janeiro de 1974 – Encontro entre o general António de Spínola e o major Otelo Saraiva de Carvalho e capitão Vasco Lourenço, sendo abordada «a indignação que suscitaram» os acontecimento de Moçambique e a intenção do Movimento dos Capitães de difundir uma circular sobre o assunto.

21 de Janeiro de 1974 – Almirante Américo Thomaz almoça na messe de Monsanto com os ministros militares do Governo, o ministro do Interior e o presidente da Junta Central da Legião Portuguesa.

21 de Janeiro de 1974 – Tenente-coronel António Chumbito Ruivinho assume o comando do Batalhão de Caçadores Pára-quedistas 12, em substituição do tenente-coronel Araújo e Sá.

21 de Janeiro de 1974 – Artur Portela Filho escreve uma “Carta Aberta ao General Spínola”, nas colunas do jornal REPÚBLICA.

21 de Janeiro de 1974 – Primeiro ataque do PAICG contra a cidade de Bissau, com lançamento de engenhos explosivos contra autocarros da Força Aérea.

21 de Janeiro de 1974 – Foi apresentado na Câmara Corporativa o Projecto de Decreto-Lei do Governo sobre o “Estatuto dos Delegados Sindicais”, o qual pretendia regular a competência para a designação dos delegados sindicais, limitar o seu número por sindicato e por empresas e submeter a designação aos mesmos a critérios políticos de elegibilidade, como o de «não professar ideias contrárias à disciplina social».

22 de Janeiro de 1974 – Greve de quatro horas de 400 trabalhadoras da Melka Confecções, do Cacém, por aumentos salariais e redução do horário semanal.

22 de Janeiro de 1974 – Greve de quatro horas dos operários da CIM – Cacém Industrial Metalúrgico, do Cacém, por aumentos salariais.

22 de Janeiro de 1974 – José Morais Sardinha, estudante de Direito e militante do MRPP, foi julgado em tribunal plenário por motivos políticos e condenando a prisão correccional, com pena suspensa, acusado de actividades ilegais contra o regime. Foi defendido por Francisco Salgado Zenha e fora preso a 6 de Abril de 1973.

22 de Janeiro de 1974 – João Barbosa Lisboa, estudante e militante do MRPP, foi julgado em tribunal plenário por motivos políticos e condenando a prisão correccional, com pena suspensa, acusado de actividades ilegais contra o regime. Foi defendido por Jorge Sampaio e fora preso a 29 de Março de 1973.

22 de Janeiro de 1974 – Reunião da direcção do Movimento dos Capitães para apreciar a situação em Moçambique.

22 de Janeiro de 1974 – Jorge Jardim admite o recurso a um golpe de Estado em Moçambique.

23 de Janeiro de 1974 – Paralisação parcial das trabalhadoras da secção de alfaiataria da Melka Confecções, do Cacém, por aumentos salariais.

23 de Janeiro de 1974 – Greve parcial de duas horas de 300 trabalhadores da construção civil da empresa J. Pimenta, na Reboleira, por aumentos salariais.

23 de Janeiro de 1974 – Greve dos trabalhadores da Fabril do Cávado.

23 de Janeiro de 1974 – Greve dos trabalhadores da empresa M. P. Roldão.

23 de Janeiro de 1974 – Reunião da Comissão da Força Aérea (major José da Costa Neves, capitão Palma e capitão Vítor de Sousa), com os majores Hugo dos Santos e Vítor Alves e capitão Duarte Pinto Soares, para troca de impressões.

23 de Janeiro de 1974 – O Movimento dos Capitães de Moçambique apresenta ao Comandante-Chefe das Forças Armadas uma exposição denunciando os acontecimentos da Beira, pedindo medidas para que as Forças Armadas «não fosse enxovalhadas», enjeitado a possibilidade de serem consideradas «bode expiatório» e declinando responsabilidades na situação criada.

23 de Janeiro de 1974 – O Grupo de Democratas de Moçambique, liderado por Nunes de Carvalho, expõe as suas preocupações ao general Costa Gomes, durante a visita à Beira, com duras críticas ao regime.

23 de Janeiro de 1974 – Publicada a circular n.º 1/74 do Movimento dos Capitães sobre os acontecimentos da Beira, apelando a que cada militar «dentro das mais estritas regras da disciplina» se empenhe na exigência de um desagravo à instituição.

24 de Janeiro de 1974 – Greve dos trabalhadores do Arsenal.

24 de Janeiro de 1974 – Major Otelo Saraiva de Carvalho e capitão Vasco Lourenço contactam o general António de Spínola, solicitando apoio para divulgação nacional e internacional da circular n.º 1/74.

24 de Janeiro de 1974 – A Polícia Marítima, comandada pelo capitão-tenente Guilherme de Alpoim Calvão, e a PIDE, procedem à sabotagem de um navio panamiano, em escala por Lisboa.

24 de Janeiro de 1974 – Decreto n.º 16/74, do Ministério do Ultramar, que autoriza a Companhia de Petróleos de Angola – PETRANGOL, e a Sociedade Portuguesa de Exploração de Petróleos – ANGOL, a celebrarem um contrato com a Occidental Petroleum Corporation of Portugal, com a Amoco Cuanza Petroleum Company e com a Iberian Petroleum, Ltd.

24 de Janeiro de 1974 – O Movimento dos Capitães de Moçambique, através do capitão Mário Tomé, envia uma carta para o Movimento em Lisboa, versando os acontecimentos da Beira, dizendo que «não nos contentaremos com meias medidas» perante o «insulto demasiado profundo», o qual «atingiu a própria Nação», concluindo que «não podemos continuar a combater por uma causa que a grande maioria da própria Nação não deseja ou não apoia».

25 de Janeiro de 1974 – Portaria n.º 47/74, que introduz alterações no sistema de cálculo das pensões de invalidez e velhice.

26 de Janeiro de 1974 – Reunião alargada da Comissão Coordenadora, com a presença dos majores Otelo Saraiva de Carvalho e José Maria de Azevedo, capitães Vasco Lourenço, Rodrigo de Sousa e Castro, Germano Miquelina Simões, Duarte Pinto Soares e Fernando Homero Figueira e tenente António Marques Júnior, entre outros, sendo aprovado um texto que serviria de introdução ao documento programático a ser submetido á aprovação na reunião conjunta de oficiais do Movimento dos três ramos das Forças Armadas.

26 de Janeiro de 1974 – Assinatura de um contrato de fornecimento a Portugal de mísseis antiaéreos destinados à defesa antiaérea da Guiné, com a sociedade francesa Thomson-CSF, no valor de dois milhões de contos.

26 de Janeiro de 1974 – Portaria n.º 48/74, do Ministério do Ultramar, que determina que o Governo-Geral do Estado de Moçambique abra um crédito especial para reforço da verba da tabela de despesa extraordinária do orçamento geral daquele Estado para o ano económico de 1973.

27 de Janeiro de 1974 – Abaixo-assinado elaborado pela comissão regional do Movimento dos Capitães na Beira, Moçambique, sobre os últimos acontecimentos.

28 de Janeiro de 1974 – O ministro e o subsecretário de Estado do Exército visitam o Quartel-General da Região Militar do Norte.

28 de Janeiro de 1974 – João Mota Campos, ministro de Estado Adjunto da Presidência do Conselho, faz uma comunicação ao País sobre o IV Plano de Fomento.

29 de Janeiro de 1974 – Reunião da direcção do Movimento dos Capitães, com a presença do major Otelo Saraiva de Carvalho, major Vítor Alves, capitão Vasco Lourenço e major Hugo dos Santos, para discutir a situação em Moçambique, sendo decidido manifestar toda a solidariedade com qualquer atitude levada a cabo pelos militares em serviço naquele território.

29 de Janeiro de 1974 – Os majores Francisco Fernandes da Mota e Eduardo Gomes de Abreu são inquiridos pela 2.ª repartição do Estado-Maior do Exército a propósito da circular n.º 1/74 do Movimento dos Capitães.

29 de Janeiro de 1974 – A comissão do Movimento dos Capitães em Nampula, Moçambique, envia um relato circunstanciado dos acontecimentos da Beira, para Lisboa e para as comissões regionais.

29 de Janeiro de 1974 – Portaria n.º 52/74, do Ministério do Ultramar, que determina que o Governo-Geral do Estado de Angola reforce verbas da tabela de despesa extraordinária do orçamento geral daquele Estado para o ano económico de 1973

30 de Janeiro de 1974 – Audiência do general António de Spínola a uma comissão mista de oficiais oriundos do Quadro de Complemento e do Quadro Especial de Oficiais.

30 de Janeiro de 1974 – Reunião entre o general Francisco Costa Gomes, CEMGFA, eng.º Manuel Pimentel dos Santos, governador-geral de Moçambique, e o general Tomás Basto Machado, comandante-chefe de Moçambique, para analisar a situação no território, onde foi aflorada a hipótese de demissão do tenente-coronel Sousa Teles, governador do distrito da Beira.

30 de Janeiro de 1974 – Aviso que torna público ter sido assinado o Acordo Administrativo Complementar de Paris (30 de Março de 1973), relativo às modalidades de aplicação da convenção sobre segurança social entre Portugal e França.

31 de Janeiro de 1974 – Um grupo de elementos da oposição democrática de Coimbra exige a realização de um recenseamento eleitoral democrático e geral.

31 de Janeiro de 1974 – Em resultado das lutas estudantis, são presos trinta estudantes do Instituto Superior Técnico, acusados de pertencerem ao Comité de Apoio à Reconstrução do Partido (Marxista-Leninista), Comités Comunistas Revolucionários Marxistas-Leninistas, PCP e a outras organizações.

31 de Janeiro de 1974 – A PIDE/DGS divulga uma nota acerca da ligação entre a LUAR e um «núcleo que se intitula Grupo de Cristãos, que inclui, além de outras pessoas, dois sacerdotes e dois ex-padres».

31 de Janeiro de 1974 – Rui Patrício, ministro dos Negócios Estrangeiros, desloca-se a Paris, sendo recebido pelo presidente Georges Pompidou e conferencia com o seu homólogo Michel Jobert.

31 de Janeiro de 1974 – O ministro dos Negócios Estrangeiros da Holanda visita Angola e Moçambique.

31 de Janeiro de 1974 – Decreto n.º 21/74, da Presidência da República, que concede ao eng.º João de Oliveira Martins a exoneração a seu pedido do lugar de Secretário de Estado das Comunicações e Transportes.

31 de Janeiro de 1974 – Decreto n.º 22/74, da Presidência da República, que nomeia o dr. Miguel Pupo Correia para o lugar de Subsecretário de Estado das Comunicações e Transportes.

31 de Janeiro de 1974 – Decreto-Lei n.º 23/74, dos Ministérios do Interior e das Finanças, que fixa os soldos e os vencimentos mensais a abonar ao pessoal da Polícia de Segurança Pública: subchefe-ajudante, 4600$00; primeiro-subchefe, 4200$00; segundo-subchefe, 3700$00; guarda de 1.ª classe, 3400$00; guarda, 3200$00; guarda provisório, 2700$00.

31 de Janeiro de 1974 – Decreto-Lei n.º 24/74, dos Ministérios do Interior e das Finanças, que fixa os soldos e os vencimentos mensais a abonar ao pessoal da Guarda Nacional Republicana e da Guarda Fiscal: sargento-ajudante, 4600$00; primeiro-sargento, 4200$00; segundo-sargento, 3700$00; primeiro-cabo, 3400$00; segundo-cabo, 3300$00; soldado, 3200$00; soldado provisório, 2700$00.

31 de Janeiro de 1974 – Decreto-Lei n.º 25/74, que autoriza o ministro do Ultramar a celebrar, em representação da província de Timor, um contrato de concessão com a sociedade anónima a constituir pela firma Oceanic Exploration Company.

31 de Janeiro de 1974 – Novo ataque do PAIGC a Canquelifá, na fronteira com o Senegal, durante duas horas.

31 de Janeiro de 1974 – Um avião militar português Fiat foi abatido com um míssil a sul de Canquelifá, na Guiné.

Janeiro de 1974 – Surto de greve de milhares de operários e trabalhadores dos sectores têxteis, metalomecânica, indústria química e dos seguros, com greves nas empresas Cometna, Robbialac Portuguesa, Empresa de Viação Eduardo Jorge, Tintas Dyrup, Sorefame, General Instrument Lusitana, Melka Confecções (Cacém), CIM (Cacém), Construções J. Pimenta, Companhia Fabril do Cávado, Fábrica Pereira Roldão (Marinha Grande), Conem e Arsenal do Alfeite.

Janeiro de 1974 – Negociações para revisão salarial na empresa Plessey Automática Eléctrica Portuguesa, de Cabo Ruivo, no seguimento da greve de Outubro de 1973.

Janeiro de 1974 – Negociações para revisão salarial e concessão do subsídio de Natal na empresa Standard Eléctrica, de Cascais, no seguimento da greve de Outubro de 1973.

Janeiro de 1974 – Terminam as medidas de caução aplicadas a Jesuína Rodrigues Guerreiro, enfermeira e militante do PCP, que tinha sido presa por motivos políticos em 21 de Fevereiro de 1973.

Janeiro de 1974 – Um Comité de Apoio à Luta do Povo Português ocupa o consulado de Portugal em Roterdão durante 45 minutos, para protestar «contra as torturas de que é vítima Palma Inácio».

Janeiro de 1974 – Apresentação do Contra-Projecto da Intersindical Nacional ao Projecto de Decreto-Lei sobre o “Estatuto dos Delegados Sindicais”, o qual pretendia regular a competência e critérios de elegibilidade dos delegados sindicais. O Contra-Projecto chegou a ser apresentado à Câmara Corporativa, cujo vice-presidente, Almeida Cotta, se mostrou «disposto a criar uma comissão especial para examinar o problema».

Janeiro de 1974 – Comunicado conjunto do Partido Socialista Belga e do Partido Socialista Português.

Janeiro de 1974 – Dr. António de Oliveira Magalhães toma posse como novo representante do Ministério Público junto do Tribunal Plenário Criminal de Lisboa, em substituição do dr. Costa Saraiva.

Janeiro de 1974 – A assembleia plenária dos missionários combonianos de Nampula decidiu elaborar um documento sobre a situação de guerra em Moçambique.

Janeiro de 1974 – Coronel Henrique Calapez Martins, deputado na Assembleia Nacional, fala da «necessidade premente da actualização do nosso sistema penal a todos os actos de subversão e de terrorismo praticados no País».

Janeiro de 1974 – O DIÁRIO DE NOTÍCIAS refere-se a um massacre cometido por forças da FRELIMO, em Nhacambo, em que foram mortos 17 civis e feridas 31 elementos da população.

Janeiro de 1974 – Entra em vigor um novo serviço de segurança privado da CUF (Barreiro), onde o major Roberto Durão assume a responsabilidade dos contactos com a PIDE/DGS, através do agente Basílio Garcia.

Janeiro de 1974 – Começam as obras com vista à iluminação da pista do aeroporto de Porto Santo.

Janeiro de 1974 – Dr. Gonçalo Caldeira Coelho, director-geral dos Negócios Políticos, foi nomeado embaixador de Portugal junto do Reino Unido da Grã-Bretanha.

Janeiro de 1974 – Sir David Francis Muirhead, embaixador inglês em Lisboa, propõe a Rui Patrício, ministro dos Negócios Estrangeiros, a realização de um encontro negocial entre Portugal e o PAIGC, que obteve o aval do Presidente do Conselho.

Janeiro de 1974 – A Secretaria de Estado da Indústria informa que até esta altura foram apresentados 37 candidaturas para prospecção de petróleo no território continental.
Publicada por JOFRE ALVES em 17:58
matumbo
Top membros
 
Mensagens: 383
Registado: Quinta Nov 19, 2009 5:41 pm

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor LILI em Domingo Jan 31, 2010 7:05 pm

Documentário realizado pela Escola Básica e Secundária de Santa Maria (Açores), para o concurso "Como se vivia em Portugal no tempo da Guerra Colonial" organizado pela Associação 25 de Abril e pela Associação de Professores de História.

Avatar do utilizador
LILI
Top membros
 
Mensagens: 682
Registado: Quinta Maio 21, 2009 12:05 pm
Localização: Leiria - Portugal

Re: A GUERRA COLONIAL - REPORTAGENS - FOTOS - VÍDEOS

Mensagempor paulo gonçalves em Sábado Mar 13, 2010 1:48 am

Amiga Lili,
muito bom o video
Parabens
bjos
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal
---------

AnteriorPróximo

Voltar para ANGOLA: PASSADO PRESENTE E FUTURO

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron