COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

NOTÍCIAS, FOTOS E VÍDEOS

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor anabela em Quinta Nov 12, 2009 1:52 pm

Olá Kamusseles, porque estudei 2 anos em Vila Nova de Seles, 1970/a/1972, Vila aliás de que tantas recordações ainda tenho, apesar de só sair à rua quando as madres nos passeavam um pouco aos Domingos e normalmente iamos sempre "escoltadas" pelas Irmãs da Congregação AMOR DE DEUS. A visita era sempre curta embora, o terço fosse diário e na igreja pois que pela Vila era talvez uma vez por mês. Ainda me recordaria de alguns de vós certamente.
Do Vitor lembro-me de certeza, até porque também era interno do colégio, um pouco mais velho que eu pois eu sou de 64 e ele é de 61. Sai do colégio N. Srª de Fátima em 1970 e fui estudar para Salazar, (Dalatando) para um colégio das Irmãs Dominicanas até 1974 altura em que vim para Portugal.

Descobri na net a morada e telefone actual do colégio. Aqui fica
RELIGIOSAS DO AMOR DE DEUS
C.P. 15
UKU-SELES (K. S.) – (ANGOLA)
Teléf.: (244) 923 23 06 13
(móvil)


Um beijo Kamusselense
:roll:
anabela
Moderador de sala
 
Mensagens: 981
Registado: Sexta Maio 22, 2009 6:12 am

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Mar 10, 2010 11:14 pm

Mensagem transferida pela administração

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Enviado em: Qua Mar 10, 2010 10:03 pm
De: ceuparedes
Para: Vitor Oliveira
Assunto: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Vitor Oliveira escreveu:Foto de Lila Moreno


Obrigado por rever estas fotos, pois também estudei neste colégio como externa de 1969 a 1975.
Céu Freitas

ceuparedes

Data de registro: Seg Mar 08, 2010 5:59 pm

* Mensagem Privada
* E-mail
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Jul 05, 2010 9:33 pm

Entrevista à Superiora do Convento da Visitação da Batalha

“Fazer subir até ao trono de Deus o «aroma das virtudes»”

A irmã Maria de Lurdes, de 73 anos de idade, natural de Lisboa, entrou na Ordem da Visitação a 25 de Outubro de 1975 e professou a 21 de Janeiro de 1979. Antes disso, esteve 20 anos – de 2 de Fevereiro de 1955 a 25 de Outubro de 1975 – na Congregação das Irmãs do Amor de Deus, 16 dos quais foram passados em Angola (Carmona e Vila Nova de Seles). Este é o terceiro mandato como superiora deste convento, tendo completado já dois triénios e sido eleita há um ano para este, que é o segundo consecutivo.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Jul 05, 2010 9:53 pm

Entrevista do jornal da Golpilheira à Irmã Maria de Lurdes:

Fundada num contexto de combate às heresias, nomeadamente ao Calvinismo, a Ordem da Visitação pretendia ser um exemplo de vida em oração e entrega a Deus, ajudando dessa forma à salvação dos homens e à renovação da Igreja. Quatro séculos depois, que leitura faz da sua história?

Nestes 400 anos, a nossa Ordem passou por graves perseguições em França, Espanha e Portugal, chegando mesmo a ter Irmãs Mártires. O principal contributo contra as heresias passadas e actuais tem sido a nossa fidelidade ao Santo Padre e a doutrina da Igreja, pela nossa oração e vida de penitência.

Sente que esse ideal fundador está presente hoje?

Sim. Hoje, como no passado, as Irmãs esforçam-se por serem fiéis ao que os Santos Fundadores tanto desejaram, ajudando com a sua vida escondida, com a sua vida de oração e sacrifício, a Santa Igreja e a salvação do próximo.

A vida contemplativa nem sempre foi bem entendida e é muitas vezes criticada por não ser "produtiva" ou estar "desligada" do mundo. O que significa, afinal, esta opção da clausura?

É verdade que há muitas pessoas e até mesmo sacerdotes que não compreendem a vida religiosa em Clausura, mas o facto é que ela continua a ser de grande auxílio para a Igreja, porque dela continua a subir até ao trono de Deus o "aroma das virtudes", tocando assim o Coração de Deus e atraindo para a Igreja e para todo o mundo as bênçãos divinas.
O Papa João Paulo II assim o compreendeu quando fundou no Vaticano o Mosteiro Mater Ecclesiae para ajuda espiritual ao Papa e a toda a Igreja. Presentemente, estão lá as visitandinas.


A opção pela humildade, simplicidade e "apagamento" perante o mundo não terá prejudicado, de alguma forma, a expansão e o conhecimento da Ordem da Visitação por parte da sociedade e dos próprios cristãos?

Aparentemente, sim, somos pouco conhecidas. No entanto, a Ordem está espalhada por 4 continentes, o que significa que o Senhor continua a chamar e há correspondência a esse chamamento.

Quantas visitandinas existem actualmente em Portugal e, concretamente, no convento da Batalha? E qual a média de idades?

Em Portugal (Batalha, Braga e Vila das Aves) somos 56 Irmãs, sendo 17 neste Mosteiro. A nossa média etária é de 77,4 anos! Mas os nossos Mosteiros do Norte têm Irmãs mais novas.

Hoje há uma "crise" de vocações, nomeadamente, para a vida consagrada. De que forma essa realidade tem afectado a instituição?

Temos sentido esta "crise" como todas as congregações. No entanto, ainda temos duas noviças no nosso Noviciado.

Falou na riqueza da vocação contemplativa. De que forma concreta ela se exprime? Como é o dia-a-dia normal das irmãs deste convento?

Exprime-se pela nossa entrega total ao Senhor. O nosso dia é muito simples, marcado sobretudo pela oração, com destaque para a Santa Missa, a Liturgia das Horas cantada e o terço. Mas também com tempos de trabalho e recreio.
Levantamo-nos às 06h25, fazemos oração mental das 07h00 às 08h00, seguindo com oração de Laudes, Missa e Hora Tércia. Às 09h30 tomamos o pequeno-almoço, após o que nos dedicamos aos vários trabalhos. Pelas 11h40 rezamos a Hora Intermédia e almoçamos às 12h00, seguindo-se o recreio até às 14h00, altura da oração do Ofício de Leitura, Hora Noa e Terço. Às 16h00 fazemos meia hora de leitura espiritual individual, até à merenda, pelas 16h30. Depois fazemos a chamada "assembleia", em que nos juntamos para uma leitura comunitária, feita por uma das irmãs enquanto as outras fazem os seus trabalhos manuais, havendo no final uma partilha de comentários. Pelas 18h00 é a oração de Vésperas, seguida de meia hora de oração com o Santíssimo Sacramento exposto. O jantar é às 19h30, com recreio até às 21h30, para a oração de Completas. O deitar é entre as 22h00 e as 22h30.
Aos fins-de-semana os horários variam ligeiramente, mas esta é a nossa rotina diária mais comum
.

A vossa Regra refere que podem aceitar quem queira fazer apenas um retiro espiritual temporário. Costumam ter pedidos dessa natureza?

Só aceitamos na clausura meninas ou senhoras, solteiras ou viúvas, que pretendam fazer uma experiência vocacional. Na mente do Fundador estava essa possibilidade de acolher senhoras em retiro, pois não havia casas com esse serviço, mas actualmente não o fazemos. Tem a ver sobretudo com a falta de estruturas e pessoas para o fazer.

Num campo mais pessoal, como sentiu o seu chamamento a uma vida de consagração deste tipo?

Estive 20 anos numa congregação missionária. Um dia, ao ler a vida de Frei Maria Rafael, senti que o Senhor me queria também num convento de Clausura. A princípio não liguei. Falei a um sacerdote com quem mantinha correspondência e ele não aprovou. No entanto, quando veio a este Mosteiro acompanhar uma pretendente, falou em mim e disse-me depois que se eu quisesse poderia corresponder-me com uma Irmã para ter mais conhecimento sobre a vida contemplativa.
Primeiro tentei entrar nas religiosas Cistercienses em Espanha, mas não me aceitaram. Eram outros os desígnios de Deus. Comecei então a escrever para este Mosteiro (eu estava em Angola) e, ao fim de mais ou menos um ano, escrevi à Superiora, pedindo-lhe a minha admissão. A sua resposta foi negativa, só que essa carta... nunca chegou às minhas mãos. Foi a 1ª carta que se perdeu nos vinte anos em Angola. Vim então a Portugal e falei pessoalmente. Fiz aqui um retiro de 10 dias e, poucos meses depois, entrei.


O que encontrou no convento correspondeu às suas expectativas, ou "aprendeu" só depois o que significava ser religiosa contemplativa?

A religiosa que me escrevia explicou-me bastante bem como era a vida no convento e como eu já vivia em comunidade não me foi muito difícil a adaptação.

É feliz nesse despojamento voluntário? Não sente saudades de algumas coisas que deixou para trás?

Sim, sinto-me feliz, o que não quer dizer que algumas vezes não sinta saudades da "minha querida Angola". Ainda "sonhei" com uma fundação nesse país, mas já perdi as esperanças, pela falta de vocações.

Acha que actualmente é mais difícil optar por um caminho de consagração, do que era quando tomou a decisão ou em tempos mais remotos?

Certamente. As jovens de hoje, com todas as liberdades que têm, com o ambiente barulhento em que vivem, não têm tempo para fazerem silêncio e escutar o Senhor que fala baixinho ao coração.

Finalmente, o que diria hoje a uma jovem à procura de respostas para o seu futuro, para lhe mostrar que a Ordem da Visitação pode ser uma dessas respostas para uma vida feliz, apesar de completamente divergente dos ideias de felicidade que a sociedade quase nos impõe como universais?

Dir-lhe-ia que não tivesse medo de se entregar totalmente ao Senhor e que na nossa Ordem ela poderia ser inteiramente feliz, porque a felicidade consiste na correspondência ao chamamento de Deus. A nossa Ordem tem uma particularidade que a diferencia das outras: não tem "austeras austeridades", porque o nosso Santo Fundador, São Francisco de Sales, dizia que "onde falta o rigor da mortificação corporal aí deve haver mais perfeição de espírito". E isto porque a Ordem podia receber jovens e senhoras de saúde fraca ou com defeitos físicos, que não podiam praticar as austeridades naquele tempo exigidas noutras congregações.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor Vitor Oliveira em Sábado Ago 28, 2010 7:38 pm

Esta foto foi postada na sala se apresentação deste forum por: Maria da Luz

Para saber mais e comentar esta foto aparece pelo forum:



Se ainda não estás registado nesse forum, deverás 1º efectuar o teu registo e de preferência com o mesmo nome que tens neste forum.

O Kamussel, por questões de segurança dos seus dados tem vindo a distribuir informação e como já vos foi informado, o Kuanza Sul em especial tem já e há a algum tempo atrás, um espaço próprio.

Você não tem permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: COLÉGIO Nª SRª DE FÁTIMA

Mensagempor Oscar em Sexta Set 10, 2010 8:01 pm

Vitor Oliveira Escreveu:
Oscar Escreveu:
Vitor Oliveira Escreveu:Foto pública

Boas para todos, à procura do meu passado, alguém me pode dizer quem é o rapaz da segunda fila de baixo para cima, da esquerda para a direita ao lado do que està em calções ?


Olá Oscar, estarás a referir-te a esta foto? Um abraço
Imagem
Oscar
Membro kamussel
 
Mensagens: 2
Registado: Quinta Ago 13, 2009 11:24 am
---------

Anterior

Voltar para SALA DO SELES - KUANZA SUL

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron