ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

DESENVOLVIMENTO - SAÚDE - ECONOMIA - LIBERDADE - CRIMINALIDADE - LUSOFONIA

ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Abr 28, 2009 6:37 pm

Entrevista
Governo quer elevar índice de Desenvolvimento Humano nas zonas rurais
Luanda – A elevação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no meio rural, através da realização de mais investimentos no capital humano, para se reverter a situação actual, constitui uma das prioridades da Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural (Seder) para o quadriénio 2008/2012.
“As dificuldades no acesso à água potável, educação, saúde, habitação, saneamento básico e o elevado índice de morbi-mortalidade materno-infantil são alguns dos problemas a serem atacados pela Seder, visando elevar o IDH dos angolanos nas zonas rurais”, declarou hoje em entrevista à Angop e ao Jornal de Angola a secretária de Estado para o Desenvolvimento Rural, Filomena Delgado.
A titular do Seder, que falava a propósito da conferência sobre desenvolvimento rural, a ser realizada no dia 05 de Maio, em Luanda, salientou que dentre os vários projectos o seu sector vai contribuir para melhorar o acesso ao crédito e inputs agrícolas e na diversificação de mais serviços na zona rural.
Outra contribuição, a ser dada pela Seder, recai para a melhoria das vias terciárias para facilitar o transporte da produção campesinal e na introdução de técnicas de irrigação.
O evento de dia 05 de Maio, que contará com a participação de entidades públicas e privadas, visa dar a conhecer o programa executivo do Governo no tocante ao desenvolvimento rural e enriquece-lo com contribuições da sociedade.
O IDH é uma medida comparativa que engloba três dimensões: riqueza, educação e esperança média de vida. É uma maneira padronizada de avaliação e medida do bem-estar de uma população. O índice foi desenvolvido em 1990 por um economista paquistanês e vem sendo utilizado desde 1993 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no seu relatório anual.
última vez editado por Vitor Oliveira s Sábado Maio 02, 2009 6:46 am, editado 1 vez no total
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Abr 28, 2009 6:40 pm

01-05-2009 20:05
Cooperação
Ministro das Obras Públicas visita Moçambique
Maputo - O ministro das Obras Públicas, Higino Carneiro, trabalhou esta quinta-feira, 30, em Moçambique, no quadro da cooperação entre os dois estados.
O governante, que se fez acompanhar do director do Instituto Nacional de Estradas, do director nacional do intercambio e cooperação do seu pelouro e de outros membros do seu gabinete, aproveitou a ocasião para obter junto das autoridades de Moçambique a aceitação de albergar o terceiro Congresso Africano de Estradas marcado para 2011.
Inicialmente previsto para ser realizado em Madagáscar, o mesmo não poderá acontecer naquele país, recentemente suspenso de todas as instituições africanas, devido a situação de inconstitucionalidade que prevalece no país.
O Congresso Africano de Estradas reúne-se em cada três anos e protela três objectivos fundamentais: A cooperação efectiva orientada para o desenvolvimento harmonioso do sector rodoviário africano; a Capitalização da experiência africana e defesa dos interesses de África no plano internacional; e a Preparação de uma pauta de base para o Congresso Mundial de Estradas.
O primeiro encontro africano de rodovias aconteceu em Alger, em Dezembro de 2005, e decidiu institucionalizar o evento com o nome de Congresso Africano de Estradas.
Angola albergou o segundo congresso em 2008, no qual foi abordado temas relacionados com as politicas de infra-estruturas de estradas, nomeadamente financiamentos ou investimentos e políticas de parcerias público-privadas; tecnologias e materiais locais; expropriações; conservação de estradas; segurança rodoviária, estradas e meio ambiente; capacitação e formação e corredores de desenvolvimento.
África, um continente com mais de 30 milhões de quilómetros quadrados, só dispõe de uma rede rodoviária de dois milhões de quilómetros. O que corresponde a 6,84 por cada 100 quilómetros quadrados, ou seja metade em relação à América Latina e um terço em relação à Ásia.
A rede fundamental de estradas de Angola totaliza na sua configuração final 23.526 quilómetros de extensão, de um total da rede nacional inventariada com cerca de 73 mil quilómetros, dos quais cerca de oito mil eram asfaltados até 1975.
última vez editado por Vitor Oliveira s Sábado Maio 02, 2009 6:47 am, editado 1 vez no total
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Abr 28, 2009 6:42 pm

Conferência Nacional
Secretaria de Desenvolvimento Rural tem medidas para conter êxodo às cidades
Luanda – A Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural (Seder) tem um programa para conter o êxodo rural aos centros urbanos, consubstanciado na criação de condições de habitabilidade, saúde, educação, lazer, entre outras, deu a conhecer a titular da pasta, Filomena Delgado.
A governante prestou estas declarações à Angop e ao Jornal de Angola, a propósito da realização da conferência nacional sobre o desenvolvimento rural, que vai decorrer no próximo dia 05 de Maio, em Luanda, sob o lema "Desenvolvimento rural integrado: uma perspectiva de bem-estar social".
As questões relacionadas com o êxodo rural para as cidades estão identificadas e, de acordo com Filomena Delgado, faltam apenas as soluções, que serão dadas com a criação de escolas, fornecimento de água potável, energia eléctrica ou em sistemas adequados ao meio, saneamento básico, promoção de emprego, entre outros serviços necessários à zona rural.
A secretária precisou que o Estado ao intervir no meio rural, visando o bem-estar dos autóctones, vai respeitar as questões culturais, usar matérias primas locais, assim como procurará introduzir novas técnicas para melhorar o modo de
rodução agrícola e de acondicionamento dos bens.
Salientou que o sector está a prever a formação de cooperativas de artesanato, de micro-indústria, e de corte e costura, assim como a massificação da alfabetização no meio rural para permitir que os habitantes dessas áreas se desenvolvam e tenham melhor qualidade de vida .
A par do programa de desenvolvimento rural gizado pelo Governo angolano, e que vai à debate terça-feira, a responsável do Seder informou que estão em curso nas províncias do Uíge, Luanda, Bengo, Bié, Huambo, Kwanza Sul e do Cunene programas de fornecimento de água potável e de realojamento dos cidadãos.
A Seder pretende com o fórum de dia 05 de Maio, a se realizar no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, enriquecer o seu programa quadrienal 2008/2012 com as contribuições de diversos actores públicos e privados.
A Secretária de Estado para o Desenvolvimento Rural foi criada pelo Governo angolano após as eleições de Setembro de 2008, com vista a atender especificamente as necessidades do meio rural no que concerne ao seu desenvolvimento.
Mais:
Governo realiza Conferência sobre Desenvolvimento Rural
última vez editado por Vitor Oliveira s Sábado Maio 02, 2009 6:48 am, editado 1 vez no total
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Abr 28, 2009 6:44 pm

Huambo
Unidade fabril produz 75 mil chapas em 12 meses
Huambo – Setenta e cinco mil chapas onduladas e caneladas foram produzidas e comercializadas, em 2008, pela unidade fabril da firma "Cafilda Lda", no seu primeiro ano de actividade, informou hoje (quinta-feira) o seu proprietário, Benedito Castro.
Em declarações à Angop, o proprietário da firma precisou que, actualmente são comercializados diariamente uma média de 600 chapas, aos preço de Akz 2.000 (dois mil kwanzas), uma situação ligada ao aumento de construção de infra-estruturas quer do governo, quer de privados.
"Apenas atingiu-se esta cifra de produção por falta de matéria-prima que chega a província depois de 90 dias, vindo da China, mas num ritmo normal as duas linhas com capacidade de produzir 500 chapas/hora, teríamos atingido a cifra de pelo 960 mil nos 12 meses desde o início dos trabalhos", sublinhou.
Benedito Castro assegurou ainda que a unidade fabril tem a capacidade de dar resposta a procura do material de cobertura para os mercados do Huambo, Kwanza Sul, Bié e Kuando Kubango, que frequentemente procuram chapa de zinco que reúne qualidade recomendada para a construção civil.
A fonte referiu-se ainda que a unidade fabril aguarda a qualquer altura da chegada de mais uma linha de produção de chapas de zinco de estilo de telhas, o que vai facilitar à famílias e aos empreiteiros que executam obras do Estado a adquirir os materiais a preços baixos, sem percorrer longas distâncias e evitar despesas na transportação.
A abertura da fábrica de chapas, localizado na Bomba Alta, arredores da cidade do Huambo, permitiu empregos directos para 12 jovens.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Maio 03, 2009 6:43 am

02-05-2009 16:22
Huambo
Mecanagro desbrava 250 hectares de terras na Catata
Caála - Duzentos e cinquentas hectares de terra para o cultivo foram desbravados durante a campanha agrícola 2008/2009, pela “Mecanagro” na comuna da Catata, município da Caála, província do Huambo.
Em declarações sexta-feira à Angop, o administrador da comuna da Catata, Simão Tchinduva, informou que o desbravamento vai permitir o aumento das áreas de cultivo das famílias camponesas, bem como do rendimento das mesmas e o desenvolvimento socio-económico da região.
Para o êxito da campanha agrícola, a administração local distribuiu fertilizantes, sementes diversas, animais para tracção animal e instrumentos de trabalho.
A comuna da Catata tem uma população estimada em 21 mil 125 habitantes, distribuídos em 1090.75 quilómetros quadrados, que dedica-se maioritariamente à agricultura.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Maio 04, 2009 11:16 am

04-05-2009 11:50
Huambo
Fábrica de refrigerantes aumenta produção
Huambo – A fábrica de refrigerantes SEFA, localizada nos arredores da cidade do Huambo, vai aumentar, a partir de Setembro próximo, a sua produção de quatro mil para 10 mil grades/dia, anunciou hoje o director comercial da companhia, Nlwemba
Casumiro Tati.
Em declarações à Angop, o responsável disse que o aumento da produção será possível em função da instalação de uma nova linha de produção, proveniente da Alemanha.
A unidade fabril produz actualmente as marcas Coca-Cola e Fanta (laranja e ananás), mas com a entrada em funcionamento da nova linha, em Setembro, a SEFA passará a produzir também refrigerantes da marca Sprit.
Disse a fábrica produz apenas as quatro mil grades, devido ao estado obsoleto da única linha de produção existente.
Segundo informou, ainda no decurso deste ano entrará em funcionamento a fábrica de dióxido de carbono, produto actualmente adquirido na província de Benguela.
Além do Huambo, os refrigerantes são comercializados nas províncias do Bié, Moxico e Kuando Kubango.
A unidade fabril conta com 125 trabalhadores, distribuídos nas áreas de produção, armazenamento, distribuição e comercialização.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Segunda Maio 04, 2009 11:17 am

04-05-2009 10:56

Angola
Ministério da Agricultura aumenta produção de frangos no país
Luanda – Um projecto avícola destinado a produção de frangos e ovos será implementado, a partir do segundo semestre deste ano, nas províncias de Malanje, Kwanza Norte e Uíge, pelo Ministério da Agricultura (Minagri), com vista o aumento da produção e da oferta destes bens no mercado.
Em declarações hoje (segunda-feira) à Angop, o director nacional da Agricultura, Pecuária e Florestas do Minagri, Domingos Nazaré da Cruz Veloso, referiu que no projecto, enquadrado nas estratégias do Estado de diversificação da economia, prevê-se a construção de um matadouro, com a capacidade de processamento diário de 32 mil aves.
Perspectiva-se igualmente, com a implementação do projecto avícola, a criação de uma fábrica de rações com capacidade instalada de produção de cinco mil toneladas mês, a edificação de várias naves para albergar 150 mil aves reprodutoras, das quais 100 mil para criação e 50 mil para crescimento e reprodução.
Nazaré Cruz especificou que a nave chocadeira terá uma capacidade de produzir pelo menos dois milhões de ovos mês. O projecto avícola irá beneficiar essencialmente 400 famílias camponesas de Malanje, Kwanza Norte e Uíge.
O responsável adiantou que o Minagri tenciona igualmente criar, a médio e longo prazo, outros pólos agro-industriais, com vista a transformação de produtos agrícolas localmente, visando a diversificação da economia.
O engenheiro florestal indicou que o Pólo Agro-Industrial de Capanda, na província de Malanje, constitui já uma “ambiciosa e prometedora experiência de parceria público privada”.
Mencionou que a Fazenda Pungo Andongo, que conta com uma fábrica de transformação de milho em fuba, conta com uma área de quatro mil e 500 hectares de milho e produz já soja, prevendo-se, para breve, o início da produção de feijão e outras leguminosas.
Os pólos, segundo Domingos da Cruz Veloso, constam dos programas que o governo tem através do Minagri, que visam a criação de condições de produção, nomeadamente infra-estruturas de rega, infra-estruturas viárias, infra-estruturas de armazenamento da produção, a fim de permitir aos os produtores privados produzir sem grandes constrangimentos.
Precisou que outros pólos agro-industriais serão instalados também nas províncias do Bengo, onde será instalada a Fazenda Agro-Industrial “Rio Longa”, a qual vai produzir especificamente milho, feijão e batata.
Será igualmente criada a Fazenda Agro-Industrial do Kikumbe, que vai produzir arroz, através do processo de irrigação, milho, batata e banana, bem como Tilápia (Cacusso), com capacidade de produzir pelo menos 150 toneladas de peixe/mês, e um pólo agro-industrial na província do Bié.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Maio 05, 2009 6:26 am

Invista em Angola
Conforme indicações da Agência Nacional para Investimento Privado - ANIP, é muito vantajoso investir em Angola. Veja detalhes no website
RAZÕES PARA INVESTIR EM ANGOLA: ESTABILIDADE ECONÓMICA E MILITAR
Quem conhece Angola, descobre hoje um novo país. Mais dinâmico e seguro, com estabilidade política, militar e económica, Angola está a viver o momento mais próspero de toda a sua história. A guerra faz parte do passado. Em apenas 3 anos, o país reorganizou-se para dar início ao seu processo de reconstrução.
Luanda, a capital de Angola, reúne as características de uma cidade com grande potencial de desenvolvimento. A construção civil merece destaque dentro deste novo contexto sócio-económico. Inúmeros prédios estão a ser erguidos em vários pontos da capital. Restaurantes e bares estão a servir os mais variados e sofisticados pratos da culinária nacional e mundial. Diversos produtos alimentícios e electrónicos já são encontrados no comércio de Luanda. As províncias do extenso território nacional angolano também estão a desenvolver-se, ampliando a infra-estrutura necessária para construir uma forte nação.
Angola é governada pelo presidente José Eduardo dos Santos, do MPLA. A moeda está a ganhar força, dia após dia, incentivando o hábito de consumo entre as populações angolana e estrangeira que vivem na capital e nas províncias. A estabilidade política e económica abriu novas e excelentes oportunidades para se investir no país. Em síntese, todos os aspectos social, económico e político são favoráveis ao progresso.
É assim que Angola apresenta a sua nova realidade ao mundo: todos a trabalhar hoje, para todos crescerem juntos amanhã.
REGIME DE ISENÇÕES DO IMPOSTO INDUSTRIAL
Os incentivos do Governo incidem também de acordo com a província em que o investimento é aplicado.
15 ANOS DE ISENÇÃO - Os investidores ficam isentos de pagamento de imposto sobre aplicação de capitais por um período de 15 anos se investirem nas províncias do Huambo, Bié, Moxico, Kuando Kubango, Cunene, Namibe, Malanje e Zaire.
12 ANOS DE ISENÇÃO - Os investidores ficam isentos de pagamento de imposto sobre aplicação de capitais por um período de 12 anos se investirem nas províncias do Kwanza-Norte, Kwanza-Sul, Bengo, Uíge, Lundas e municípios do interior de Benguela, Cabinda e Huíla.
8 ANOS DE ISENÇÃO - Os investidores ficam isentos de pagamento de imposto sobre a aplicação de capitais por um período de 8 anos se investirem nas províncias de Benguela, Cabinda e Huíla, além do município do Lobito.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Maio 06, 2009 2:51 pm

Receitas petrolíferas dão sinais de recuperação Apostolado
As receitas petrolíferas angolanas recuperaram, segundo o Banco Mundial. A fonte indica que tal melhoria advém de um aumento ligeiro da produção e de preços, após uma quebra "dramática", nos últimos dois meses.
Os números avançados no "Angola Brief", em Novembro e Dezembro do ano passado as receitas fiscais da produção petrolífera representaram 52 por cento e 46 por cento, respectivamente, da média registada nos primeiros dez meses de 2008.
"A situação deteriorou-se em Janeiro, quando as receitas fiscais petrolíferas representaram menos de 40 por cento dos impostos colectados em Janeiro de 2008 e menos de um terço da média anual de 2008", salienta o Banco Mundial no seu relatório.
A partir de Janeiro, os preços tiveram "alguma recuperação" e em Março a produção terá subido um por cento em relação ao mês anterior.
Apesar dos sinais de melhoria, em Janeiro e Fevereiro registou-se uma baixa de dez por cento face ao período homólogo.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Quinta Maio 07, 2009 5:37 am

Sonangol constrói posto de gás e reservatório de combustíveis

Carlos Paulino | Menongue

A Sonangol Distribuidora está a investir 270 milhões de dólares americanos, na província do Kuando Kubango, para execução de um posto de enchimento de gás butano e reservatório de abastecimento de combustível, com vista a suprir a carência destes derivados..
O posto de enchimento está a ser construído de raiz numa aérea de 32 mil metros quadrados pela empresa Liom e será concluído em Dezembro de 2010. Com a entrada em funcionamento da nova linha, terá uma capacidade de produzir cerca de três mil garrafas por dias e um reservatório de quatro mil metro cúbicos de combustível, vai empregar mais de 130 pessoas.
Em declaração á imprensa, o director regional da Sonangol, Vaz Sobrinho, afirmou que a execução deste projectos, enquadra-se na política da Sonangol de expandir todos os seus produtos em todo o território nacional, visando assim melhor qualidade e prestação de serviço.
Com a circulação do caminho de ferro de Moçamedes previsto para o próximo ano, Vaz sobrinho, disse que os produtos chegaram em grande quantidade e poderá suprir as necessidades da província e em particular da população que será bem servido. O responsável acrescentou que as fortes chuvas que caíram nesta região criou certos constrangimento no andamento das obras que trouxe um ligeiro atraso. As obras tiveram início em Agosto de 2008. O director regional da Sonangol, sublinhou que o empreiteiro está a envidar todos esforços para que até 2010 tudo possa estar concluído.
O gás butano que tem sido comercializado em um valor monetário de mil kwanzas, segundo a dona Marlene de Araújo, com a entrada em funcionamento do novo posto de enchimento da Sonangol na província do Kuando Kubango, tudo será mais fácil, tendo em conta que a procura deste produto preocupa bastante a população.
O automobilista Manuel Pascoal, afirmou que será uma mais valia para os utentes da via pública, visto que a procura de combustível tem sido uma dor de cabeça e quando tem são longas filas nos postos de abastecimento porque a população espera muito. Mais com o funcionamento da Sonangol na nossa província as coisas serão melhores para todos, disse.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Maio 12, 2009 6:08 am

Angola: Construtoras brasileiras vão construir hotéis para apoiar o CAN-2010
Luanda, Angola, 23 Abr - As construtoras brasileiras Sequência Lda e OAS Lda vão construir em quatro cidades de Angola igual número de hotéis para ajudar a suprir a falta de alojamento por ocasiao do CAN-2010, afirmou quarta-feira em Luanda o administrador da Construtora Sequência Lda.
Renato Navarro, que integrou a comitiva do ministro brasileiro do turismo, disse que os hotéis vão ser edificados nas quatro cidades que vão acolher o Campeonato Africano das Nações a partir de Janeiro de 2010, estando projectado o primeiro hotel para a cidade de Lobito, na província de Benguela.
O hotel do Lobito, disse, terá 180 quartos e será construído numa área de 12 mil metros quadrados ficando pronto antes do início do Campeonato.
Navarro disse ainda que este projecto de construção de quatro hotéis está avaliado em mais de 100 milhões de dólares.
Renato Navarro, cuja empresa pretende instalar-se em Angola nos próximos três a quatro meses, adiantou ter informações exactas apenas sobre o hotel a ser construído no Lobito, e acrescentou que os projectos e locais de construção relativos aos hotéis a serem edificados em Cabinda, Luanda e Huíla irão ser redefinidos. (macauhub)
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Maio 12, 2009 6:10 am

11-05-2009 18:13

Investimento
Portugal quer investir no sector agrário angolano
Luanda – O ministro da Agricultura, do Desenvolvimento e das Pescas de Portugal, Jaime Silva, manifestou sábado, em Lisboa ,o interesse do seu país em investir, a curto prazo, no sector agrário angolano, com vista a diversificar o investimento em Angola.
Numa mensagem dirigida ao Governo angolano, proveniente hoje (segunda-feira) dos Serviços de Imprensa da Embaixada de Angola em Portugal, Jaime Silva informa que Portugal pretende trazer para Angola muitas empresas portuguesas ligadas ao sector agrícola.
“(…) Portugal precisa, e julgo que os dois países podem beneficiar desta iniciativa. O nosso investimento no vosso país está mais versado no sector bancário, então nós (Portugal) queremos diversificá-lo”, sublinha o governante português.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Sexta Maio 15, 2009 5:20 am

14-05-2009 19:58

Banco Africano
Angola desembolsa 3,5 milhões de dólares para BAD
Dakar - (Do enviado especial) – Angola vai desembolsar, nos próximos oito anos, cerca de três milhões e 500 mil dólares norte-americanos para o aumento do capital do Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), aprovado hoje (quinta-feira) no termo das reuniões anuais da instituição.
De acordo com o relatório do Comité de Governadores a que a Angop teve acesso, até 31 de Dezembro de 2008, a contribuição de Angola no capital do BAD era de 28 milhões e 837 mil dólares norte-americanos.
Na opinião do vice-governador do Banco de Angola (BNA), Rui Minguês, chefe da delegação angolana, que em Dakar participou nas reuniões anuais, o aumento dos recursos do BAD é necessário, não só para atenuar os efeitos da crise, mas também para as suas futuras acções e credibilidade.
Para fazer face aos efeitos da crise financeira internacional nas economias africanas, atender a novos pedidos de financiamento, garantir a funcionalidade, credibilidade e manutenção das suas acções, o Conselho de Governadores aprovou um aumento no valor de 67 biliões e 360 milhões de dólares norte-americanos, correspondendo a 200 porcento do actual capital autorizado de 33,680 biliões de dólares americanos.
Dos 67,360 biliões de dólares americanos autorizados como capital adicional, os países accionistas do BAD deverão desembolsar 16 biliões e 170 milhões de dólares, nos próximos oito anos.
Em Maio de 2010, por ocasião da 45ª reunião anual, que, de acordo com o documento, terá lugar em Abdjan (Côte d'Ivoire), o BAD disporá de um capital autorizado de 101 biliões e 40 milhões de dólares norte-americanos, isto é, 67,360 biliões do aumento mais o actual valor autorizado de USD 33,680 biliões.
No ano fiscal de 2008, as receitas líquidas do BAD foram de 73 milhões de dólares norte-americanos e as operações aprovadas, entre créditos, subsídios e doações, cifraram-se em 5,4 milhões de dólares americanos, segundo relatório anual do Grupo.
Os trabalhos das reuniões anuais do BAD que decorriam desde domingo encerram hoje, em Dakar.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor paulo em Sexta Maio 15, 2009 3:10 pm

OCDE:
A ECONOMIA angolana vai ser das mais afectadas pela crise mundial no continente africano devido á "contracção bruta dos fluxos financeiros"para o país,disse ontem um relatório divulgado pela Organização de Desenvolvimento e Cooperação Económica (OCDE).
O PIB angolano vai perder 23 pontos percentuais no seu crescimento este ano.De uma expansão de 15,8%em 2008,Angola vai sofrer uma contracção de 7,2%em 2009.
Apóis cinco anos de forte crescimento,a economia africana deverá conhecer"uma compressão brutal"em 2009,devido á crise mundial que poderá afectar alguns avanços democráticos no continente ,alerta a OCDE.
O Produto Interno Bruto (PIB) africano deverá aumentar 2,8%,ou seja,menos de metade do registado em 2008 (5,7%),antes de uma "retoma moderada"em 2010 (4,5%),preve a OCDE,considerando optimistas tais previsões.
"A integração progressiva do continente africano na economia mundial,desde há 15 anos,aumentou a sua fragilidade (...) face ás contracções bruscas dos fluxos financeiros",refere-se no relatório,evocando nomeadamente a redução das transferencias de dinheiro dos trabalhadores emigrados devido á crise.
Os países africanos são tambem fortemente afectados pelo afundamento do comércio mundial e a desvalorização das matérias primas (petrolio e cobre...)o que amputa as suas receitas,ameaçando "a esta macroeconómica recente tão duramente adquirida",segundo o relatório.
Quatro dos países analizados verão assim o PIB diminuir no corrente ano: Seichelles(-0,4%),República Demogrática do Gongo(-0.6%),o Chade(0,7%)e sobretudo Angola,país exportador de petrólio,o que poderá perder num ano 23 pontos de crescimento (de + 15,8 por cento,em 2008,para -7,2% neste ano).
Primeira economia do continente,a Africa do Sul tambem não será poupada:o PIB deverá progredir 1,1% no ano em curso.

PAULO.
paulo
Membro kamussel
 
Mensagens: 11
Registado: Quinta Maio 07, 2009 2:26 pm

Re: ECONOMIA, INVESTIMENTOS,...

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Maio 20, 2009 6:03 am

19-05-2009 20:58

Londres
Petróleo fecha em alta e marca máximo de seis meses
Londres- Os preços do petróleo encerraram em alta esta terça-feira, tendo atingido os valores mais elevados dos últimos seis meses, animados pelas valorizações das bolsas.
Em Londres, o barril de Brent para entrega em Julho avançou 48 cêntimos, para os 58,95 dólares. Durante a sessão, o crude tocou os 59,65 dólares, máximo desde 10 de Novembro.
No mercado nova-iorquino, os contratos de Junho do West Texas Intermediate, que expiram hoje, subiram 52 cêntimos, para os 59,65 dólares. Antes, os preços atingiram os 60,48 dólares, o valor mais elevado desde 11 de Novembro.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal
---------

Próximo

Voltar para ANGOLA - OUTROS TEMAS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron