ETNIAS DE ANGOLA

Imagem
GUERRAS: COLONIAL E CIVIL - INDEPENDÊNCIA - ETNIAS HISTÓRIA - O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Re: ETNIAS DE ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Nov 28, 2010 5:29 pm

Os Muílas
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ETNIAS DE ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Nov 28, 2010 5:31 pm

Os Himba




Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ETNIAS DE ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Nov 28, 2010 5:33 pm

Os Mucawana
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ETNIAS DE ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Domingo Nov 28, 2010 5:38 pm

OS MUCUBAIS
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: ETNIAS DE ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Jan 11, 2011 7:23 pm

Usos e costumes dos Bantu de Angola - Nganguela Os Ngangela são povos que ocupam maioritariamente a parte Leste de Angola (Moxico) e Sudeste (Kuando Kubango) e alguns núcleos na Huíla e Bié Imagem Este termo significa oriente ou leste e os povos desse ponto cardeal de Angola são designados Yingangela/Opvingangela ou simplesmente os do Leste e são nomeadamente lwimbi, lwena ou luvale, lucazi/lutchazi, mbunda, ngangela, ambwela, ambwilamambumba, ngondjelo mbande, khangala, yahuma, gengista, nkoya, kamachi, ndungo, nyemba e aviko.

Os Ngangela são povos que ocupam maioritariamente a parte Leste de Angola (Moxico) e Sudeste (Kuando Kubango) e alguns núcleos na Huíla e Bié, fazendo parte das sociedades cujas origens, segundo os seus membros, são apontadas como tendo sido fora de Angola.

Neste aspecto, os Ngangela apontam o Shaba Ocidental como seu ponto de partida. As versões dominantes indicam que a sua origem deve ser procurada no leste, apesar de nos mapas “etnolinguísticos” da Zâmbia, com a qual tem um longa fronteira, não se encontrar o termo Ngangela, mas sim Mbunda Mbwela, Luchazzi e Kamachi. Actualmente os Ngangela estão repartidos em dois “territórios”, um dos quais na fronteira leste que vai da bacia do Zambeze ao curso do Kubango, divisão considerada como imposta pela cunha da migração Côkwe para o sudeste de Angola
. Imagem Do ponto de vista económico, os Ngangela oriundos dos antigos caçadores savânicos praticam hoje como principais actividades a agricultura em estação chuvosa, trabalho essencialmente feito por mulheres (limpeza, desbravamento do solo, lançamento de sementes, etc.), com excepção do derrube das árvores que é feito por homens e a pecuária.

A extracção do mel, a cera e a pesca lacustre e fluvial fazem igualmente parte da sua economia. À pesca são empregues muitos instrumentos, tais como munsunsa, teha, txintokotolo e algumas raízes maceradas, uma espécie de veneno para “embriagar” os peixes a fim de facilitar a sua captura.
Notáveis fundidores de ferro

No domínio artístico, os Ngangela atingiram níveis bastante elevados, com o emprego de foles de quatro saídas com os quais se fundem o ferro, cujo “ventre” do forno é semelhante ao tronco da mulher. Para além de serem notáveis fundidores, a “variante” luvale fabrica ainda hoje uma admirável cerâmica negra, polida, envernizada e com uma moderação artística bastante apreciada.

No aspecto social, tomam como predomínio os ritos de iniciação ou de passagem masculina que são consagrados com uma curiosa série de máscaras do tipo rodeado, antropomórfica ou zoomórfica, feitas à base de fibras vegetais, madeira e resina. Essa instituição de socialização ngangela transforma o estatuto de um jovem para ser um verdadeiro “ homem”, já introduzido nos segredos clânicos e dos adultos, pronto a enfrentar todos os desafios da vida.

As raparigas são também isoladas da comunidade quando apresentam o primeiro fluxo menstrual e submetidas a rigorosas doutrinas por uma mestra idónea para serem futuras boas esposas, donas de casa, mães e noras aceitáveis.

O casamento e o nascimento do primeiro filho constituem o momento de elevada autoestima por parte do casal e um reconhecimento e consideração pela comunidade. Sobre as práticas religiosas, os Ngangela, “para além das religiões universais cristãs (católica e evangélica), tomam predomínio a crença aos espíritos dos seus antepassados, denominados vakulu, ndumba-ai, munto e kazumbyei. Segundo a tradição, os adivinhos e curandeiros estão intimamente ligados a essas divindades.


Fonte: Imagem
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal
---------

Anterior

Voltar para ANGOLA: PASSADO PRESENTE E FUTURO

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron