LIBERDADE?

DESENVOLVIMENTO - SAÚDE - ECONOMIA - LIBERDADE - CRIMINALIDADE - LUSOFONIA

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jul 15, 2009 2:41 am

Benguela
Religiosos e professores acreditam na recuperação de valores morais

Lobito - Líderes de igrejas e professores da cidade do Lobito, província de Benguela, acreditam ser possível a recuperação de valores morais e éticos, devendo para tal serem realizadas acções multilaterais com o envolvimento da sociedade.

Em declarações à Angop, o secretário-geral emérito da Igreja Evangélica Congregacional de Angola, reverendo José Belo Chipenda defendeu a conjugação de esforços entre as instituições como escolas, igrejas, conselhos de pais e de moradores.

"Essas instituições devem realizar acções de sensibilização, para falarem da importância da observância das normais de convivência na sociedade, mas também defendo que esse trabalho deve em primeira instância, ser feito pelos pais e encarregados de educação", frisou.

De acordo com o reverendo, os professores têm também a missão de seguirem e corrigirem o comportamento das crianças, durante o tempo que elas se encontram na escola.

Este ponto de vista é igualmente partilhado pelo pastor da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta) Domingos Laurindo, que destacou a importância da educação da moral e da ética, que segundo ele deve iniciar no seio da família, onde a criança deve aprender a respeitar o próximo e as instituições.

Para o director-geral do Instituto Politécnico do Lobito, Evaristo Kalopa a escola como "segunda casa" do estudante deve preparar e proporcionar o ambiente para o respeito dos valores cívicos e de morais, evitando que os alunos confundam a liberdade, com a libertinagem.

"A escola não deve servir apenas para transmitir conteúdos científicos ou ensinar a ler e escrever. Ela (escola) precisa de ser transformada no centro de instrução, onde se aprendem também as normas que contribuam para o desenvolvimento da sociedade", frisou.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Sábado Jul 18, 2009 2:37 am

Bolívia
Golpe militar em Honduras domina encontro de presidentes

La Paz, - Condenações ao golpe de Estado e pedidos de retorno ao cargo do presidente deposto, Manuel Zelaya, em Honduras, dominaram as comemorações do bicentenário do grito de liberdade de 1809, das quais participaram os presidentes de Bolívia, Equador, Paraguai e Venezuela.



O tema esteve tão presente no encontro que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, trouxe em seu avião a chanceler deposta de Honduras, Patricia Rodas.



Além de Chávez, o anfitrião Evo Morales recebeu Rafael Correa (Equador) e Fernando Lugo (Paraguai).



Em seu discurso de celebração do bicentenário, Morales atacou os militares hondurenhos que destituíram Zelaya, questionou a
dependência deles do Estados Unidos e lamentou o papel da hierarquia católica do país centro americano que se opõe à volta
de Zelaya.



O presidente boliviano insistiu em denunciar a dependência dos militares hondurenhos do Comando Sul americano, ao qual
acusou de propiciar o golpe de estado contra Zelaya.



Depois do afastamento de Zelaya, o presidente americano Barack Obama exigiu seu retorno ao cargo, enquanto a secretária de Estado Hillary Clinton impulsionou a mediação realizada pelo governante da Costa Rica, Oscar Arias.



Morales também mencionou "um arcebispo de Honduras que estaria apoiando uma ditadura, o golpe de Estado", numa alusão aparente ao cardeal Oscar Rodríguez, que se pronunciou a favor do novo governo de fato.



Chávez saiu em defesa de uma nova história, defendendo uma segunda independência latino-americana.



A chanceler deposta Patrícia Rodas participou das reuniões oficiais na residência presidencial de La Paz, que também contou
com as presenças do chanceler brasileiro Celso Amorim e do vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba, Jorge Sierra
Cruz, e posou para a foto oficial.



"Nossa homenagem ao povo hondurenho que resiste", afirmou a ministra de Zelaya à imprensa local.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jul 22, 2009 3:23 am

Guiné-Bissau
Ex-director da "secreta" libertado

Bissau - O ex-director dos Serviços de Informação de Estado da Guiné-Bissau Antero João Correia, detido por suspeita de envolvimento no golpe de Estado de 05 de Junho, já foi libertado pelas autoridades judiciais, disse hoje (terça-feira) , o advogado Silvestre Alves.


"Antero João Correia e Bansai Quasan (o outro detido cuja identidade nunca foi revelada) já foram postos em liberdade sob termo de identidade e residência no passado dia 07", disse Silvestre Alves, advogado dos quatro detidos nos acontecimentos de 05 de Junho.



Segundo o advogado, o antigo primeiro-ministro guineense Faustino Imbali e o músico tradicional Domingos Broska "continuam detidos".


"Pedimos a suspensão da prisão preventiva para Faustino Imbali para efeitos de tratamentos médicos", referiu Silvestre Alves, sublinhando que até ao momento ainda não foi notificado de qualquer decisão.


O advogado disse que o antigo primeiro-ministro guineense foi visto por três médicos que "confirmaram vários traumatismos ósseos".


Em relação ao músico tradicional, o advogado esclareceu que se encontra bem de saúde.


Faustino Imbali, Antero João Correia, Domingos Broska e Bansai Quasan foram detidos no passado 05 de Junho por suspeita de envolvimento num golpe de Estado, alegadamente abortado pelas forças de segurança do país e que provocou quatro mortos.


O antigo ministro da Defesa Hélder Proença e o candidato às actuais eleições presidenciais Baciro Dabó foram duas das pessoas mortas, por alegada resistência à ordem de prisão.


Os dois mortos eram um motorista e um segurança de Hélder Proença.


Bansai Quasan, cuja identidade nunca foi revelada pelas autoridades guineenses, seria também um funcionário de Hélder Proença.


As autoridades guineenses nomearam, entretanto, interinamente o general José Sanhá para Director dos Serviços de Informação de Estado do país.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor Elton em Quinta Jul 23, 2009 9:19 am

Mais um jornalista nas barras de um tribunal Angolano
O Jornalista Eugénio Mateus, do semanário "O País", foi a julgamento, nesta terça-feira, no Tribunal Provincial de Luanda.
Está a responder por alegada difamação e calúnia movida pelo Chefe de Estado-maior das Forças Armadas Angolanas, general Francisco Furtado.
O general intentou a acção contra o jornalista reagindo a um artigo de opinião sobre o mau uso da farda e a tendência para o consumo excessivo de álcool por militares das FAA.
O caso remota há dois anos, quando o actual jornalista do jornal “ O País”, escrevia para o “ A Capital”.
Eugénio Mateus enfrenta agora as barras do Tribunal sob acusação de abuso de liberdade de imprensa.
Segundo o director do Jornal “ A Capital “ as opiniões do jornalistas apenas relatam uma realidade à vista de todos e a atitude do general não passa de “ mais um no sentido da intimidação e da promoção da censura entre os jornalistas”.
Avatar do utilizador
Elton
Top membros
 
Mensagens: 274
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:15 am
Localização: Santarém - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor Elton em Quinta Jul 23, 2009 9:22 am

Jornalista angolano recebe ameaças de morte apos publicar reportagem sobre líder da JMPLA
O Jornalista Claudio Emanuel, galardoado com o premio Jornalista do Ano 2009(Angolan Honours), recebeu ameaças telefônicas no seu telemovel. A ameaça e conseqüência de uma reportagem investigativa de Emanuel que revelou ganhos financeiros e envolvimento numa rede de falsificação de documentos por parte de Paixão "Jackson" Cabulo, líder da JMPLA no Reino Unido.
“O Claudio não sabe com quem se meteu se fosse em Angola ele já estaria morto. Ele quando voltar para Angola vai ser morto. Sabemos que ele tem filhos, ele que tenha cuidado", disse a pessoa que telefonou.
O Sindicato de Jornalistas Britânicos (NUJ) repudiou as graves ameaças sofridas pelo jornalista e solicitou que as autoridades Britânicas investiguem a origem do telefonema e garantam a protecçao tanto do jornalista como de sua família.
Nota da redacção:No jornalismo verdade que o Portal angola 24 Horas faz parte (sem sensacionalismo) quando existe uma acusação, o jornalista tem dever de ouvir a parte acusada para se defender e o portal angola 24 horas contactou a direção da JMPLA em Londres para esclarecer sobre matéria que se encontrava na nossa redacção.
Saudações
Sr.Emanuel Paim(JMPLA)
O portal angola 24 horas vem pedir a veracidade da vossa parte sobre o conteúdo enviado nesta redacção ante de ser publicada.
Esperamos dentro de 24 Horas a vossa resposta.
Agradeço a sua compreensão
Atenciosamente
Redactor Paulo Kapali
A resposta da JMPLA (Sr.Emanuel Paim)
Caro Sr.Paulo,
Agradeço pelo seu email, seguir-se-á nas próximas horas uma nota oficial a respeito da matéria, devo porem informá-lo de antemão que a informação chegada ate si não passa de um acto de auto-promoçao e sensacionalismo, e dada a gravidade da matéria e das acusações proferidas, o mesmo assunto ha se encontra encaminhado as autoridades jurídicas competentes; noutra vertente pelo facto da mesma matéria ter sido publicada no site angola24horas estaria grato que nos fosse enviado o contacto email ou telefônico do responsável da área jurídica do Portal.
Tal como referi uma nota oficial será enviada nas próximas horas e espero ser publicada com imparcialidade.
Atenciosamente.
Emanuel Paim
Sobre a matéria que foi publicada neste portal no dia 12 de Julho 2009 sob o titulo:
Homem com longo cadastro criminal lidera a JMPLA no reino unido
Avatar do utilizador
Elton
Top membros
 
Mensagens: 274
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:15 am
Localização: Santarém - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jul 24, 2009 3:04 am

Senegal
Amnistia Internacional exige libertação de Gambianos



Dakar - O director da Amnistia Internacional (AI) no Senegal, Seydi Gassama, pediu quarta-feira aos chefes de Estado africanos para intervirem na Gâmbia com vista a pôr termo às violações da liberdade de imprensa e de outros direitos neste país da África Ocidental.


Gassama lançou este apelo durante uma conferência de imprensa organizada pela sua representação em Dakar no quadro da campanha mundial de informação da AI sobre as violações dos direitos humanos na Gâmbia.


Ele denunciou a detenção arbitrária de jornalistas, de alguns membros da oposição e de civis pelas forças de segurança gambianas e afirmou que tais práticas devem cessar.


Exprimiu a determinação da sua organização a levar a cabo a luta para garantir a liberdade de imprensa e o exercício de outros direitos na Gâmbia.


O director da Amnistia Internacional no Senegal apelou aos Presidentes dos países membros da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para pressionarem o seu homólogo gambiano, Yahya Jammeh, a fim de permitir aos jornalistas desempenharem livremente o seu papel no seu país.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jul 29, 2009 3:25 am

RD Congo
Bélgica recusa-se a acolher Bemba

Kinshasa, - O governo belga recusa-se a acolher o antigo vice-presidente da República Democrática do Congo, Jean Pierre Bemba, caso lhe seja concedida a liberdade provisória, uma atitude assumida igualmente pela França, Holanda e Portugal.



Segundo informações da Rádio França Internacional (RFI), o antigo vice-presidente da RD Congo não seria bem vindo em solo belga, caso este seja posto em liberdade provisória.



Adiantou igualmente que o governo belga considera que seria muito dispendioso manter a segurança de Bemba caso permaneça no seu território.



O Tribunal Penal Internacional (TPI) deverá pronunciar a sua decisão sobre se concede ou não a liberdade provisória a Bemba, antes das audiências, a 14 de Agosto de 2009.



Jean Pierre Bemba está detido provisoriamente desde 24 de Maio de 2008, em Haia, acusado de cometer crimes de guerra e contra a humanidade na República Centro-Africana, pela sua milícia, o Movimento para a Libertação do Congo (MLC) entre Outubro de 2002
e Março de 2003.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jul 30, 2009 3:21 am

África do Sul
Zuma denuncia violência dos manifestantes

Pretória - O presidente sul-africano, Jacob Zuma, denunciou hoje, quarta-feira, a violência cometida pelos manifestantes, nos últimos 10 dias no país, no decorrer do movimento de greve de funcionários municipais nos subúrbios.


"Não pode haver justificação para a violência pública e a destruição de propriedades", declarou Zuma, durante uma conferência de imprensa em Pretória.


Os culpados "devem ser detidos. Eles pertubam os direitos de cidadãos inocentes que passam por lá (....). As pessoas têm o direito de se manifestar, mas não para pertubar os outros", acrescentou Zuma, precisando que eles devem respeitar a liberdade de expressão.


Zuma, no poder desde Maio de 2009, exprimia-se por causa dos incidentes que continuam nos subúrbios de Mashishing, cerca de 250 quilómetros a nordeste de Pretória, onde os habitantes reclamam as suas condições de vida.


Os manifestantes lançam pedras e "cocktail Molotov" contra agentes da polícia que respodem com gas lacrimogénio e com balas de borracha, precisou à AFP um porta-voz local da polícia, Leonard Hlathi, que não fez o balanço de feridos.


O presidente sul-africano, que foi eleito com um programa da luta contra a pobreza, está a fazer face, há 10 dias, à manifestações, as vezes violentas em vários subúrbios.


Os habitantes estão frustrados pela falta de progresso nos seus bairros, quinze anos após o fim do regime segregacionista do Apartheid.


O governo sul-africano está também confrontado com uma importante greve de empregados municipais, que paralisa em parte os serviços de remoção de lixo, de bibliotecas e outros transportes públicos.


No primeiro dia da greve, segunda-feira, os manifestantes de várias cidades do país envolveram-se em incidentes, escaramuças com a polícia, pilhagens à lojas, e barricada nas ruas.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jul 31, 2009 2:45 am

Móldavia
Observadores elogiam eleições parlamentares no país

Chisinau - As eleições parlamentares antecipadas realizadas na quarta-feira na Moldávia ***priram os principais padrões democráticos, declararam hoje, as missões de observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), do Conselho da Europa e do Parlamento Europeu.


Os analistas que supervisionaram a eleição do novo Parlamento moldávio ressaltaram ao mesmo tempo que as forças políticas deste pequeno país, encravado entre Romênia e Ucrânia, devem "continuar as reformas democráticas para recuperar a confiança da sociedade".


"Estou encorajado como as eleições foram realizadas e ***pridos os compromissos perante a OSCE", declarou Petros Efthymiou, chefe da delegação da Assembleia Parlamentar da OSCE.


Em entrevista na capital Moldávia, Chisinau, o analista ressaltou que o país ainda tem "pendentes muitos desafios se não for restabelecida a confiança entre os partidos políticos e os eleitores".


Os comunistas, que governavam a Moldávia desde 2001, cederam o controlo do Parlamento nestas eleições à oposição liberal pró-ocidental, que tem maioria para formar Governo, mas não para escolher o chefe de Estado.


Efthymiou ressaltou que na Moldávia "foram criadas as condições para a livre concorrência dos partidos, a campanha eleitoral transcorreu com liberdade e as forças políticas exposeram as suas plataformas aos eleitores".


Entre os pontos negativos, o analista ressaltou as pressões das autoridades sobre os líderes dos partidos opositores e os obstáculos para a realização de reuniões, assim como a situação privilegiada do Governo nos principais canais de televisão.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Ago 04, 2009 2:32 am

SADC
Projecto Ashimbita vai clarificar processo de libertação na África Austral

Angop

Especialista em Relações Internacionais, Adélia de Carvalho

Luanda - A especialista em Relações Internacionais, Adélia de Carvalho, afirmou , em Luanda, que o Projecto Ashimbita, dedicado à escrita da história de libertação da África Austral, vai clarificar o processo da conquista da autonomia dos povos da região.

Em entrevista à Angop, a propósito do termo de mandato, de três anos, de Angola na presidência da troika ministerial do órgão de Cooperação Política de Defesa e Segurança da Comunidade dos Países da África Austral (SADC), frisou que o referido projecto visa prestigiar uma base de dados, útil às gerações vindouras.

Segundo disse, o conceito de liberdade tem de ser repensado continuamente e o desafio das liberdades pessoais e colectivas enquadradas no contexto da modernidade, destacando os passos dados para o alcance da mesma.

Para a docente Universitária, a concretização do projecto vai de igual modo promover um amplo conhecimento da história dos líderes africanos que fazem parte do processo de paz e estabilidade política na região.

Por outro lado, considerou Angola como “um país especialmente rico em fontes históricas”, frisando que apesar de algumas debilidades, existem bons historiadores no país e a nível de África.

“A diversidade cultural que os países da região da África Austral incorporam é expressa pelos historiadores e pelas fontes orais nos seus conteúdos, poesias, formatos e também nas entrelinhas”, sublinhou.

O projecto “ Ashimbita” é dedicado à promoção, pesquisa e defesa do património relacionado com as lutas de libertação na região da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), cujos dois primeiros volumes serão apresentados em Novembro do corrente ano.
Você não tem permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Ago 06, 2009 4:22 am

Deliberação
Conselho de Comunicação Social nega acusações da UNITA

Luanda - O Conselho Nacional de Comunicação Social (CNCS) negou hoje as acusações da UNITA proferidas dia 18 de Julho segundo as quais afirma ter enviado ao conselho " dezenas de cartas" que nunca obtiveram qualquer resposta.



De acordo com a deliberação da última reunião desse órgão chegada hoje à Angop, o CNCS convida o Secretário para
Informação da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, a fazer prova das suas acusações.



Segundo o documento o CNCS tem a absoluta certeza que não possui nos seus arquivos nenhuma correspondência da UNITA,
solicitando directamente a sua intervenção, no âmbito das suas atribuições e competências, que não tenha tido o devido e
merecido tratamento legal.



Contudo, o órgão realça que " as suas ports estão abertas para receber e avaliar dentro dos parãmetros estabelecidos pela lei, todas as queixas e reclamações subscritas por entidades ou cidadãos, que envolvam os órgãos da comunicação social".



"Nesta abordagem,o CNCS não pode susbtituir a todos quantos tenham queixas ou reclamações especificas a fazer ao desempenho da imprensa pública ou privada a quem assiste todo o direito de recorrer a este Conselho no âmbito da sua competência relacionada com a arbitragem dos conflitos surgidos na área da comunicação social no que respeita á politica editorial", lê-se na deliberação.



Segundo o documento, regularmente, este organismo tem chamado a atenção da imprensa e da sociedade para os problemas relacionados com o desempenho editorial da comunicação social, tendo como referências principais o asseguramento da objectividade da isenção e do rigor informativo e a salvaguarda da liberdade de expressão e de pensamento na imprensa de acordo com os direitos consigandos na Lei Constitucional.



Esclarece que enquanto entidade reguladora da comunicação social, o seu mandato não lhe permite a assunção de qualquer tipo
de intervenção em processos judiciais por actos ou comportamentos que lesem valores e interesses juridicos penalmente protegidos que se consumam através dos órgãos de informação.



Na mesma deliberação o CNCS felicita o jornalista da TPA, Ernesto Bartolomeu, pelo recente prémio africano de qualidade que lhe foi atribuído na África do Sul.



O jornalista da Televisão Pública de Angola (TPA), Ernesto Bartolomeu, foi anunciado vencedor do Prémio Africano de
Jornalismo, cuja cerimónia de entrega realizou-se em Durban, na África do Sul.



Ernesto Bartolomeu concorreu com uma reportagem sobre o Kuito Kuanavale, um dos municípios da província do Kuando Kubango,
que foi palco de combates entre os exércitos angolano e sul-africano, na era do Apartheid, cujo desfecho marcou uma viragem nos acontecimentos de Angola e da região Austral.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Ago 07, 2009 3:26 am

Deliberação
CNCS nega acusações da UNITA

Luanda - O Conselho Nacional de Comunicação Social ( CNCS) negou hoje as acusações da UNITA proferidas no dia 18 de Julho segundo as quais afirma ter enviado ao conselho "dezenas de cartas" que nunca obtiveram qualquer resposta.

De acordo com a deliberação da última reunião desse órgão chegada hoje à Angop, o CNCS convida o secretário para informação da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, a fazer prova das suas acusações.

Segundo o documento, o CNCS tem a absoluta certeza que não possui nos seus arquivos nenhuma correspondência da UNITA,
solicitando directamente a sua intervenção, no âmbito das suas atribuições e competências, que não tenha tido o devido e
merecido tratamento legal.

Contudo, o órgão realça que "as suas portas estão abertas para receber e avaliar dentro dos parâmetros estabelecidos pela lei
todas as queixas e reclamações subscritas por entidades ou cidadãos, que envolvam os órgãos da comunicação social".

"Nesta abordagem, o CNCS não pode substituir a todos quantos tenham queixas ou reclamações especificas a fazer ao
desempenho da imprensa pública ou privada a quem assiste todo o direito de recorrer a este conselho no âmbito da sua
competência relacionada com a arbitragem dos conflitos surgidos na área da comunicação social no que respeita a política editorial",
lê-se na deliberação.

Segundo o documento, regularmente, este organismo tem chamado a atenção da imprensa e da sociedade para os
problemas relacionados com o desempenho editorial da comunicação social, tendo como referências principais o
asseguramento da objectividade da isenção e do rigor informativo e a salvaguarda da liberdade de expressão e de pensamento na
imprensa de acordo com os direitos consignados na Lei Constitucional.

Esclarece que enquanto entidade reguladora da comunicação social, o seu mandato não lhe permite a assunção de qualquer tipo
de intervenção em processos judiciais por actos ou comportamentos que lesem valores e interesses jurídicos penalmente protegidos que se consumam através dos órgãos de
informação.

Na mesma deliberação, o CNCS felicita o jornalista da TPA Ernesto Bartolomeu pelo recente prémio africano de qualidade que lhe foi atribuído na Africa do Sul.

O jornalista da Televisão Pública de Angola (TPA) Ernesto Bartolomeu foi anunciado, a 18 de Julho de 2009, vencedor do Prémio Africano de Jornalismo, cuja cerimónia de entrega realizou-se em Durban, na África do Sul.

Ernesto Bartolomeu concorreu com uma reportagem sobre o Kuito Kuanavale, um dos municípios da província do Kuando Kubango,
que foi palco de combates entre os exércitos angolano e sul-africano, na era do Apartheid, cujo desfecho marcou uma viragem nos acontecimentos de Angola e da região Austral.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Ago 10, 2009 1:56 am

Visita
Hillary Clinton analisa cooperação com presidente da Assembleia Nacional

Angop

Presidente da An (dir) concedeu audência a Hilary Clinton

Luanda - A Secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, foi recebida hoje pelo presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, no quadro da sua visita de dois dias a Angola.

Durante cerca de 15 minutos, a chefe da diplomacia norte-americana trocou com o líder parlamentar angolano breves impressões sobre o estado da cooperação entre os dois países, reunindo-se depois com os presidentes dos grupos parlamentares da Assembleia Nacional.

Neste encontro, participaram os presidentes dos grupos parlamentares do MPLA, Bornito de Sousa, da Unita, Alda Sachiambo, do PRS, Sapalo António, da FNLA, Ngola Kabango, e da coligação Nova Democracia, Quintino Moreira.

Participaram igualmente no encontro, as presidentes das comissões de Relações Exteriores, Cooperação Internacional e Comunidade Angolana no Estrangeiro, Ângela Bragança, e dos Direitos Humanos, Reclamações e Petições dos Cidadãos, Carolina Cerqueira.

Na abertura da reunião, Ângela Bragança manifestou o compromisso da Assembleia Nacional de não regatear esforços para uma acção construtiva, cooperando com os EUA para o reforço da sua capacidade institucional.

Por sua vez, a presidente da Comissão dos Direitos Humanos, Reclamações e Petições dos Cidadãos, Carolina Cerqueira, informou que, pese embora alguns obstáculos, a situação dos direitos humanos evoluiu satisfatoriamente nos últimos sete anos, registando-se progressos evidentes nos vários domínios.

Entre estes domínios, apontou o sector da educação e reconstrução de infra-estruturas destruídas durante a guerra, maior envolvimento da sociedade civil na intervenção pública, a liberalização do espaço político, com existência de mais de 100 partidos, um amplo movimento cívico e associativista, liberdade religiosa, entre outros.

Nas suas intervenções, os líderes dos grupos parlamentares da oposição foram coincidentes na necessidade do incremento e diversificação do investimento americano em Angola, expandindo a cooperação noutros domínios, para além do sector petrolífero.

O presidente da Nova Democracia, Quintino Moreira, solicitou o apoio dos EUA na edificação da democracia em Angola, através da transmissão da experiência democrática norte-americana, que conta com mais de 200 anos de existência, e manifestou o desejo de ver expandir a cooperação para outros domínios.

Pensamento idêntico foi manifestado pelo presidente do Grupo Parlamentar da FNLA, Ngola Kabango, para quem a cooperação com os EUA poderia "estender-se a outros sectores estratégicos e importantes para o desenvolvimento socioeconómico e
harmonioso de Angola".

"Queremos nos referir à saúde, educação, fornecimento de água potável, energia, segurança alimentar, habitação, transportes, construção e reconstrução de infra-estruturas, tais como estradas, pontes, aeroportos, portos e caminhos-de-ferro", explicitou Kabango.

Para o líder da bancada parlamentar do PRS, Sapalo António, é vontade do seu partido que a futura Constituição do país reflicta as diferentes vontades do povo angolano, constituindo-se, assim, num instrumento de coesão e unidade nacional.

A líder parlamentar da Unita, Alda Sachiambo, considerou que em relação à Angola os EUA têm responsabilidades acrescidas, porque serviram de garante para o alcance da paz, da democratização efectiva e da instauração de um verdadeiro estado de Direito.

Por sua vez, o líder do grupo parlamentar do MPLA, Bornito de Sousa, reiterou o sentido de estabilidade política e social e de reconciliação nacional abraçado pelo seu partido desde o alcance da paz em 2002.

Segundo o parlamentar, a par do processo de elaboração de uma nova Constituição, que se prevê amplamente participativa, está em debate a marcação das eleições presidenciais, cuja solução passa pela ponderação serena e objectiva das suas implicações.

De acordo com Bornito de Sousa, a solução em torno deste debate será "certamente encontrada na ponderação serena e objectiva entre as implicações constitucionais actuais sobre o governo em funções, escolhido por 92 porcento dos eleitores, e
o quadro de transição institucional previsto para a nova Constituição".

Bornito de Sousa informou ainda que os orçamentos aprovados pelo Parlamento têm privilegiado o sector social e a qualidade de vida dos cidadãos e das comunidades, a par das infra-estruturas.

"Problemas habitacionais ou bolsas de pobreza e de exclusão social, particularmente ainda sentidos em Luanda (cidade construída para 300 mil habitantes que tem hoje mais de sete milhões) e nas localidades que acolheram as vítimas do conflito armado, estão a ser resolvidos com um plano nacional de urbanização e construção de um milhão de habitações", frisou.

O líder da bancada parlamentar do partido no poder assegurou a Hillary Clinton que o Parlamento vai continuar a desempenhar um papel activo no debate político e na fiscalização do Governo, bem como na redistribuição da riqueza nacional.

Nessa senda, adiantou, os deputados vão ainda trabalhar com vista ao alargamento das oportunidades de negócios e, em geral, no esforço liderado pelo presidente José Eduardo dos Santos de transformar Angola num pólo de democracia, justiça social, desenvolvimento, modernidade e estabilidade regional.

Depois de perto de duas horas de audição dos participantes, interveio Hillary Clinton, que começou por encorajar os angolanos no sentido de continuar com os esforços de consolidação das conquistas já alcançadas desde o fim da guerra, reconhecendo que, depois de 27 anos de conflito, muito trabalho ainda há por realizar.

A diplomata americana manifestou o interesse de o seu país ser "parceiro, amigo e aliado" no gigantesco esforço de reconstrução do país e de reconciliação entre os angolanos, apelando para a necessidade de fortalecerem as suas instituições democráticas.

"Á medida que fortalecem as instituições democráticas, construam uma sociedade civil vibrante, criem uma boa atmosfera para negócios e investimentos, quer dos EUA quer de outros países e, mais importante, ofereçam os resultados da democracia e coloquem-nos à disposição do seu povo", apelou.

Hillary Clinton disse que o papel Parlamento é crucial na definição do futuro de Angola e exortou para que a futura Constituição seja mais do que palavras escritas em papel, devendo ser a expressão dos valores da Nação angolana.

"O que é importante é que tanto o partido maioritário como a oposição sirvam de peso e contrapeso na acção do executivo", frisou Hillary, destacando a necessidade de o Parlamento exigir responsabilidades, transparência e lutar contra a corrupção.

A chefe da diplomacia norte-americana felicitou o progresso alcançado pelo Parlamento, cuja taxa de representatividade feminina é de 40 porcento.

Sublinhou ainda que a consolidação da democracia não depende apenas da realização de eleições, mas de instituições fortes, tais como um sistema judicial e imprensa independentes, aguardando, contudo, pela realização, em breve, do pleito presidencial.
Você não tem permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Ago 14, 2009 1:48 am

África do Sul
Barack Obama entrega medalha de liberdade a Desmond Tutu

Washington - O Presidente norte-americano, Barack Obama, entregou quarta-feira a Medalha Presidencial da Liberdade ao arcebispo sul-africano Desmond Tutu e a 15 outros activistas, actores, desportistas e personalidades internacionais.


A Medalha Presidencial da Liberdade é considerada como a honra civil norte-americana mais elevada, geralmente entregue pelo Presidente.


A cerimónia decorreu na Casa Branca na presença de alguns dos premiados, ao passo que os outros estavam representados.


Entre os premiados figuram a glória do ténis norte-americano Billie Jean King, o ex-actor Sydney Poitier, o ex-juiz do Tribunal Supremo Sandra Day O'Connor e a militante da luta contra o cancro do seio Nancy Goodmam Brinker.


Barack Obama felicitou os beneficiários do título pelo compromisso ao serviço da humanidade e pelas suas contribuições "louváveis" para o bem-estar político, económico e social dos povos no mundo.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: LIBERDADE?

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Ago 17, 2009 2:06 am

UNTA-CS
Lançada campanha "Decisões para toda vida"



Luanda – Uma campanha denominada "Decisões para toda vida" foi lançada hoje, em Luanda, pela UNTA-Confederação Sindial (UNTA-CS), no âmbito de um programa denominado "Chá de ideias", realizado no Centro de Formação de Jornalistas (CEFOJOR), um projecto da Confederação Sindical Internacional.



A campanha se propõe a aumentar a quantidade de empregos decentes para as mulheres e desenvolver as capacidades dos sindicatos, para conseguir a igualdade de género nas estruturas, nas políticas e nas actividades sindicais.



Segundo a presidente das mulheres sindicalizadas, Maria Fernanda, esta campanha faz parte da campanha sobre trabalho decente, vida digna para a mulher trabalhadora e está encaminhada para mulheres que trabalham no segmento de serviços em 14 países,entre eles de expressão portuguesa (Angola, Moçambique e Brasil).



Maria Fernanda falava durante um encontro entre o Comité de Mulheres Sindicalizadas e o fórum de Mulheres Jornalistas para a igualdade no género, para debater num "Chá de Ideias" o tema "O Movimento Sindical em Angola – a participação das mulheres".



Informou que o projecto visa aumentar a filiação das mulheres, as capacidades sindicais de influência e negociação colectiva no que diz respeito a igualdade de género no trabalho e de mulheres que ocupam cargos electivos no sindicato.




A responsável adiantou ainda que o programa tem como finalidade garantir o acesso ao trabalho produtivo em condições de liberdade, igualdade, segurança e dignidade sobre a base de quatro pilares definidos pela organização internacional do trabalho, normas e direitos no trabalho, criação de empregos, protecção e diálogo social.



"As mulheres filiadas na UNTA-CS decidiram começar esta campanha com um "Chá de Ideias" com os jornalistas para debater o papel do movimento sindical angolano e o papel da mulher.




Para si, em Angola as mulheres já demonstraram serem capazes de desenvolver actividades em qualquer campo da acção humana e de solidariamente serem parceiras na construção de uma sociedade mais justa e mais fraterna.




No encontro, serão ainda discutidos assuntos gerais como a maternidade, o equilíbrio entre o trabalho e vida pessoal, a equidade na remuneração, o ***édio sexual, o planeamento da carreira profissional entre outros.



Partciparam deste evento, a vice-ministra da Família e Promoção da Mulher, Ana Paula da Silva, o secretário-geral da UNTA-CS, Manuel Viage, entre outros convidados.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal
---------

AnteriorPróximo

Voltar para ANGOLA - OUTROS TEMAS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron