O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Imagem
GUERRAS: COLONIAL E CIVIL - INDEPENDÊNCIA - ETNIAS HISTÓRIA - O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sábado Maio 30, 2009 8:03 am


Sponsored Links

última vez editado por s Domingo Jun 14, 2009 2:51 pm, editado 1 vez no total
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sábado Maio 30, 2009 8:09 am



Sponsored links

Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sábado Maio 30, 2009 8:14 am

Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Quarta Jun 03, 2009 4:36 pm

Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Segunda Jun 15, 2009 4:38 pm

Senha 2 da Revolução de 25 de Abril Grândola Vila Morena Zeca Afonso Grândola, vila morena Terra da fraternidade O povo é quem mais ordena Dentro de ti, ó cidade Dentro de ti, ó cidade O povo é ...

Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sexta Jul 10, 2009 8:18 pm

Revolução de Abril de 1974, ruas de Lisboa.Cerco ao Quartel do Carmo.
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sexta Jul 10, 2009 8:25 pm

Leitura, pelo General A. Spínola, da Proclamação da Junta de Salvação Nacional. "Assume o compromisso de garantir a sobrevivência da Nação como Pátria soberana no seu todo pluricontinental.
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Quinta Jul 23, 2009 7:47 am

Sem comentários. Este senhor não deveria ter sido julgado? :twisted:
Você não tem permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.
 
Mensagens: 661
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:48 am

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Terça Ago 18, 2009 7:11 am

"retornados", tentando acarretar com eles, e em caixotes, o máximo dos seus pecúlios acumulados.
Imagem
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 1400
Registado: Segunda Maio 11, 2009 7:19 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sexta Ago 21, 2009 2:26 pm

Revolução dos Cravos
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Sexta Out 09, 2009 2:37 am

Alberto Santos Escreveu:Sem comentários. Este senhor não deveria ter sido julgado? :twisted:


Rosa Coutinho, Cunhal, Soares etc. etc. estes homens de letra minúscula, são uma vergonha;
acabaram com o sonho de milhares de pessoas, portugueses e/ou angolanos que foram obrigados
a sair de Angola. Para quê?? O que Angola ganhou com isso? E os angolanos que lá vivem hoje, tirando o atual presidente e seus amigos, que que ganharam??
Enfim, os senhores acima não passam de vendedores/traidores de uma quantidade enorme de
Angolanos.

Um Abraço,
Alexandre
 
Mensagens: 11
Registado: Domingo Jun 28, 2009 3:50 am

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Terça Out 27, 2009 4:22 am

amigo alexandre

tens toda a razão, o que mais me surpreende é haver gente que ainda cá em portugal votou neles
em angola quem ganhou com isso tudo foi o presidente angolano e seus acompanhantes.
um abraço e fica bem.
Avatar do utilizador
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Segunda Abr 19, 2010 4:45 pm

A postagem que se segue não tem nada de colonialista pois que eu sou dos que pensam que a independência das colónias era inevitável, deveria até ter acontecido nos anos 50 pois todos os outros colonizadores (França, Belgica, etc) assim procederam.
A minha revolta é contra a forma como foi feita, pois que prejudicou tudo e todos.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CRIME DE TRAIÇÃO À PÁTRIA
O Art.º-141.º Do Código Penal é simples e claro: "Será condenado na pena de prisão maior de vinte a vinte e quatro anos, todo o português que: 1.º intentar, por qualquer meio violento ou fraudulento ou com auxílio estrangeiro, separar da mãe-Pátria ou entregar a país estrangeiro todo ou parte do território português, ou por qualquer desses meios ofender ou puser em perigo a independência do País. 2.º Tomar armas, debaixo das bandeiras de uma nação estrangeira, contra a Pátria". Simples e claro como o juízo do nosso povo, quanto à forma como a Pátria foi mutilada.

E, PORQUE É ABRIL!

Imagem

"O 25 DE ABRIL"

Quando o tempo passar sobre o nojo de um destino, e a trágica figura da morte pairar satânica a rasar o crâneo grotesco do almirante Vermelho, e rasar satânica sobre os Criminosos Traidores Apátridas:

Quando as vagas assaltarem a terra dos navegantes e ousados de antanho, afogando em lances histriónicos os palhaços da revolução:

Quando a trampa do mundo inteiro transformar em lodaçal a história da "descolonização exemplar" e penetrar lenta mas constantemente nas bocas-cloacas dos que gritaram enormidades contra a gente honrada, que vivia e fazia viver em paz os territórios portugueses longínquos:

Quando as lágrimas secarem nas faces dos que sofreram tormentos:

Quando os gritos das vítimas estrebucharem nas gargantas abertas pelas catanas assassinas:

Quando uma criança vomitar sem causa:

Quando uma mãe gritar com medo:

Quando a terra tremer de espanto:

Quando o Épico do seu túmulo erguer a sua voz:

Quando a honra e glória dos fundadores da Pátria for de novo dignificada:

Então, lá fora, sob o céu em fúria e no inferno em brasa, estão passando os corifeus da "descolonização mais original" do mundo.

Ide vê-los...

Arremessai-lhe com força e com raiva, a miséria a que vos condenaram.

Amarrai-os a um pelourinho qualquer, grudai-lhes na testa os nomes que têm:

Os vindouros hão-de saber quem retalhou a Pátria, quem vendeu irmãos e os entregou para a morte:

Quem dilacerou Portugal:
Quem ensanguentou e escarrou Angola:
Quem amordaçou Moçambique:
Quem silenciou os fulas na Guiné:
Quem sentenciou à morte o povo de Portugal em Timor:

¡Quem executou o feri-ventrem na Mãe Pátria Lusíada!


 
Mensagens: 661
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:48 am

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Segunda Abr 19, 2010 4:55 pm

Descolonização: processo "foi exemplar" face a "condições" :mrgreen:

O ex-Presidente da República Mário Soares considerou hoje que a descolonização portuguesa "foi exemplar", tendo em conta "as condições" em que o país estava em 1974, após a revolução de 25 de Abril desse ano.

"Nas condições em que estávamos em 1974 e depois de 13 anos de guerras coloniais da responsabilidade absoluta dos dois ditadores, o Salazar e o Caetano, isso temos que reconhecer que depois disso aquilo que conseguimos e as relações que estabelecemos para depois (...) temos que dizer que a descolonização foi exemplar", disse, no colóquio "Vozes da Revolução: Guerra Colonial e Descolonização".

No colóquio que decorreu no Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), Mário Soares lembrou que sempre teve a ideia clara que "era preciso urgentemente fazer a descolonização", que "era indispensável não perder tempo" e que "quanto mais tarde fosse feita pior seria".

"Eu achava que era importante fazer a descolonização por uma razão que - penso - é importante e decisiva: é que sem descolonização não havia democratização, não podia haver. Não convencíamos ninguém internacionalmente, não encontrávamos apoios internacionais", disse.

Apesar disso, o antigo Chefe de Estado admitiu: "a única experiência de África que tinha tido é ter sido deportado uns meses em São Tomé (...) fora isso, passei umas horas no aeroporto de Luanda enquanto me levaram de Luanda para São Tomé. De modo que não tenho nenhuma experiência africana".

Relatando vários episódios da sua relação com António de Spínola, o primeiro Presidente da República após o 25 de Abril de 1974, Soares considerou depois que a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE) "foi muito importante" para as relações de Portugal com as suas ex-colónias.

"Lembro-me quando estava nas negociações, quer com Angola, quer com Moçambique, eles não diziam por uma questão de cortesia, mas pensavam e eu percebia: o que vai ser dos pobres portugueses naquele rectangulozinho", começou por afirmar.

E acrescentou: "Penso que a partir do momento em que entrámos na União Europeia e começámos a ter peso nas decisões europeias e internacionais, a partir daí começou a haver o sentimento da parte dos africanos que precisavam de nós, que éramos úteis para eles e que nos deviam olhar com outros olhos (...) isso permitiu que anos depois de termos entrado na CEE termos criado a CPLP, em que eu aposto como grande motivo".

No colóquio, Mário Soares definiu António de Spínola como "um patriota português".

"Tive algumas pegas com o general Spínola (...) [mas] Ele morreu em excelentes relações comigo e eu com ele porque eu tinha muita estima por ele. Acho que ele teve um comportamento nisto tudo que apesar de tudo foi linear, percebíamos bem o que ele queria (...) ele era um patriota português, não tinha talvez a flexibilidade política para perceber que a pátria se salvava melhor com a paz do que com a guerra", considerou.
 
Mensagens: 661
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:48 am

Re: O 25 DE ABRIL E A DESCOLONIZAÇÃO

Mensagempor em Segunda Abr 19, 2010 5:03 pm

A descolonização e a má consciência

Faz parte da idiossincrasia dos portugueses serem "extremistas" a discutir certos problemas comuns e a descolonização é um deles, porque não conseguem o equilíbrio, ou são radicalmente a favor ou radicalmente contra.

Aliás, como diz um conhecido slogan publicitário, "a fama (e o proveito, já agora), já vem do longe", se nos lembrarmos que passados 500 anos ainda se discutem as virtualidades dos descobrimentos, o que deu até origem ao aparecimento, na altura, a uma certa fauna de despeitados conhecidos como "velhos do Restelo", dos quais, infelizmente, ainda existem muitos descendentes.


O que mais me chocou há dias ao ver um programa da TVI, em que o tema era precisamente a descolonização, foi ver a actuação de um jornalista que me habituei a admirar pela acutilância e rapidez de raciocínio, mas que no citado programa me deixou a sensação de não ter feito bem "o trabalho de casa".


Estou a referir-me a Miguel Sousa Tavares e ao programa "Em Legítima Defesa" do passado dia 3. Na realidade, só quem não conheceu Angola, Moçambique e os outros países africanos colonizados (há que não ter medo das palavras) pelos portugueses (alguns, não todos, é bom não esquecer este pormenor importante) é que debita algumas das barbaridades que Miguel Sousa Tavares debitou nesse programa.


Tal como frisou um dos intervenientes do programa, colonialistas não eram os que lá labutavam por uma vida melhor, que não tinham nas suas terras de origem, mas sim os que viviam no "puto" (continente português) e tanto colonizaram os angolanos e moçambicanos, como os próprios continentais.


Continentais que foram para aqueles países africanos como outros foram para a França, Alemanha, Canadá ou Brasil e, que se saiba, não foram apodados de colonialistas.


A prova de que o programa foi viciado, foi o facto de se ter atacado a causa, ou os alegados factores do colonialismo, e se olvidou deliberadamente a origem do colonialismo, a clique fascista que sustentava um poder corrupto e corrompido, tanto colonizava em África como no próprio continente.


Outra prova da viciação do programa foi terem anunciado a votação do painel residente, contrária à indemnização do espoliado de Angola (um dos muitos milhares que ainda esperam que haja vergonha neste país, dito democrático e de direito) e ter sido sonegada a informação dos telespectadores votantes telefonicamente, que votaram favoravelmente à indemnização.


Se isto não é manipulação, vou ali e já venho!


Foi de facto decepcionante, ver um conceituado jornalista, sabe-se lá porquê, aduzir argumentos falaciosos e querer des******** o odioso do colonialismo numa parte das suas próprias vítimas, ignorando deliberadamente os seus maiores e exclusivos culpados, os capitalistas, nacionais e estrangeiros, diga-se de passagem.


Curioso é que esse mesmo jornalista, poucos dias depois, no seu espaço de opinião no jornal "O Público", demonstrou a sua admiração por uma figura ímpar da vida africana, Nelson Mandela. Admiração partilhada por todos os que analisam desapaixonadamente os problemas africanos.


Já no programa a que nos reportamos, o mínimo que se pode dizer é que, repito, Miguel Sousa Tavares terá eventualmente feito mal o "trabalho de casa".


Sim, porque não acredito que tenha estado nesse programa... de má fé (contra os "colonialistas" de pé descalço, esquecendo os de colarinho branco).


Pois é, caro Miguel, no melhor pano cai a nódoa.




Sponsored links

 
Mensagens: 661
Registado: Segunda Jul 20, 2009 9:48 am
---------

Próximo

Voltar para ANGOLA: PASSADO PRESENTE E FUTURO

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron