PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

NOTÍCIAS, FOTOS E VÍDEOS

PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Out 07, 2009 10:39 am

CAPITAL: LUBANGOImagem
Imagem

Municípios

Quilengues, Lubango, Humpata, Chibia, Chiange, Quipungo, Caiuquembe, Caconda, Chicomba, Matala, Jamba, Chipindo, Cuvango, Cacuta, Gambos.

Clima: Tropical de Altitude

Superfície: 79 022 Km2

População: 2 600 000 Habitantes

Principal produção

Algodão, Banana, Batata, Batata Doce, Cana de Açúcar, Citrinos, Milho, Feijão, Feijão Cutelinho, Soja, Tabaco, Trigo, Gergelim, Girassol, Goiabeira, Mamoeiro, Mangueira, Maracujá, Massambala, Massango, Plantas Aromáticas, Produtos Hortícolas, Rícino, Sisal, Soja, Eucalipto, Pinheiro.

O sector tradicional está organizado em associações de camponeses. Existem na província cerca de 469 associações de camponeses com mais de 33.465 associados.

Minerais
Ferro, Ouro, Caulino, Diamantes, Manganês, Mica, Granito Negro. Água mineral.

Pecuária
Bonivicultura de Carne, Bonivicultura Leiteira, Caprinos.

Insdústria
Química, Materais de Construção, Alimentar, Bebidas e Tabaco, Madeira e Mobiliário.

O País herdou, em 1975, um sector industrial já significativo no contexto africano. A partir de 1999, tem-se verificado crescimento do sector industrial privado com o surgimento de novas unidades fabris de pequena, média e grande dimensão, ressaltando-se a fábrica de artefactos de zinco, colchões e transformação de madeira. Produção de materiais de construção em breve irá atingir seus níveis satisfatórios, produz-se cerâmicas, derivados de cimento, carpintaria e caixilharia de alumínio. No sector de energia, os planos da ENE incluem a reparação da barragem de Matala em curso e a recuperação da Barragem de Kuvango, para melhoramentos na central termoelétrica do Lubango e linhas de transporte. Em Matala, Chibia, Humpata e Quipungo estão servidas pela rede nacional ENE.

Sistema financeiro e Bancário: está constituído pelo BNA, BPC, BCI, BF e BAI.

Rede ferroviária: a província é servida pelo Caminho de Ferro que liga os Municípios do Lubango, Quipungo, Matala e Cuvango às províncias do Namibe e do Cuando-Cubango.

Linhas aéreas: que ligam à capital do País, a Benguela e à Namíbia. O principal aeroporto é o Muncanca, situado a sul da cidade do Lubango assim ligada ao resto do país e possui uma pista pavimentada com capacidade para operação de aeronaves de grande porte. Existem ainda pistas de terra batida (aeródromos) em todas as sedes municipais,
Comunicações

A Província conta com três redes telefônicas urbanas, Lubango, Matala e Caconda encontrando-se apenas a primeira em ligações com a rede nacional da Angola Telecom. A cidade é servida por uma central de telefonia analógica, está ligada via satélite (VSAT) com Luanda e por cabo com o Namibe e acesso directo internacional através da linha especial. Em Lubango há pontos de acesso a internet.

Rede Rodoviária: é servida por 880,3 km de estradas asfaltadas e 3.983,7 km de estradas secundárias e ainda por mais 7.000 km de estradas terciárias.

Turismo

Cascata da Hungueira, Serra da Tundavala, Serra da Leba, grutas de Ondimba e o Parque do Bicuar.
Cultura

Os povos desta província pertencem ao complexo sócio-cultural Nyaneka-Nkumbe.

Distâncias em km a partir do Lubango: Luanda 1.015 Namibe 225;

Indicativo telefónico: 061.

Huíla

Data de 1627 o primeiro contacto europeu com terras do Planalto.

Das primeiras tentativas de povoamento, realce para o povoamento da Humpata por colonos boers por volta de 1880. Os madeirenses surgiram pouco depois como os colonos portugueses mais aproveitáveis e em Janeiro de 1885 instalaram a Colônia de Sá da Bandeira.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Out 07, 2009 10:40 am

Continuação...
A 2 de Setembro de 1901 foi criado por desmembramento do distrito de Moçâmedes, o novo distrito da Huíla, com sede no Lubango, sendo esta provoação, pelo mesmo Decreto, elevada à categoria de vila, com o nome de Vila de Sá da Bandeira, em homenagem ao homem que tanto se havia empenhado pelo povoamento das regiões meridionais de Angola. Sá da Bandeira, a capital da Huíla, foi elevada a cidade a 31 de Maio de 1923, quando o caminho-de-ferro, tendo cruzado o deserto e vencido a serra da Chela, atingiu finalmente o Planalto.ImagemA área da colonização européia compreendia uma superfície com raio de 60 km, tendo por centro a colônia da Chibia; era formada pelos concelhos da Humpata, Lubango e Huíla. Sulcado por fendas naturais e pequenas bacias por onde se infiltram as estradas que ligam entre si as povaoções e por onde fogem as águas que na estação das chuvas, correm vertiginosamente para os rios principais, o planalto, da Huíla, fortemente arborizado, é das áreas mais pitorescas de todo o Sul e porventura de toda a Angola. A agricultura foi o primeiro objectivo de Sá da Bandeira, o trigo veio a revelar-se como a maior produção.
Imagem
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Out 07, 2009 10:42 am

Continuação...
Pouco a pouco o colono foi verificando que, pela pobreza do sólo, a sua agricultura se não poderia fazer sem adubos. Tornou-se logo evidente que o possuir gado era mais importante que possuir terras. Aos primitivos colonos madeirenses, foram distribuídos, pelo governo, bois de trabalho. Os povos autóctones, tradicionalmente criadores e detentores de grandes rebanhos continuaram, no entanto, a ser a base da pecuária no distrito. As Margens dos rios Caculevar e Cunene passaram a ser consideradas como zonas próprias para a criação de gado. E assim, surgem os criadores, de cuja actividade chegaram a resultar importantes fortunas. O boi passou a ser para o colono, o que já era para o natural da terra, um verdadeiro símbolo de riqueza.Imagem
Quando os transportes passaram a ser mecânicos e as estradas melhoraram, a pacificação operou-se rapidamente e foi iniciada uma época de segurança que correspondeu à fixação do comércio. A indústria não tardou e a moagem e os curtumes assumiram a liderança.

O Piano de Urbanização do arquitecto António de Aguiar foi o grande responsável pela feição geométrica que a cidade apresenta. No agitado relevo de toda a cordilheira, proliferam quedas d'água, desde os rápidos da Tunda-Vala, a poucos quilómetros do Lubango, à cascata da Huíla. A abundância de cascatas constitui na paisagem circundante do Lubango uma nota característica. Mas os pontos mais fotografados talvez sejam, actualmente, a fenda da Tunda-Vala e a Serra da Leba, com a sua incrível espirai de asfalto.
Imagem
Rica etnografia, apresenta-nos desde o remoto bosquímano ou bochimane, um dos mais primitivos representantes da espécie humana, até ao pastoril um-huíla e ao guerreiro ovampo, a Huíla é um campo de excepcionai interesse para antropólogos e etnógrafos.

Além da benignidade do seu clima, outra faceta assumiu espontaneamente a cidade - a de centro de ensino. Sáda Bandeira recuperou após a independência o seu primitivo nome de Lubango e pode-se considerar hoje, ser ela a cidade angolana menos martirizada pelos anos de guerra, mantendo-se a base económico-social e a sua grande vocação para o turismo.
Imagem

Educação

Todos os municípios e comunas possuem escolas com exceção de Chicomba e Chipindo. Núcleo Universitário, é constituído pelo ISDE, Núcleo das Faculdades de Economia e Direito. Funcionam 4 institutos médios, nomeadamente, o Instituto Médio de Economia, que alberga o Centro Pré-Universitário, o Instituto Médio Normal de Educação, o Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro e o Instituo Politécnico da Saúde. Em Lubango há 8 escolas privadas que leccionam do I nível ao ensino médio e pré-universitário. Existem infra-estruturas de apoio à criança no Lubango, designadamente, Lar Infantil Otchio, Centro Infantil 1º de Junho, centro Social Integrado, Missão Católica da Huíla, Missão Católica do Lubango, Aldeia SOS e Órfãos da Comunidade. Todos os sectores acima necessitam de atenções especiais e actualizações. A maior parte das infra-estruturas físicas da saúde situa-se na cidade de Lubango, conta com 5 hospitais, Hospital Central (assistência geral), Hospital Maternidade, Hospital Sanatório, Hospital Pediátrico e o Hospital Psiquiátrico.

Fonte:
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

Mensagempor Isaak em Sexta Out 09, 2009 8:52 am

Festas do Lubango São Seculares
Capela NªSenhora do Monte
Imagem
Jornal de Angola-O Arcebispo do Lubango, D. Zacarias Kamwenho, fez um historial para o Jornal de Angola, a propósito deste ritual. De início, disse o arcebispo, a festa da Nossa Senhora do Monte era celebrada com uma missa, romagem ao monte e a partir de 1919, com uma procissão.
Para D. Zacarias Kamwenho, falar da festas da Nossa Senhora do Monte é explicar a trajectória da história da cidade do Lubango, pois os madeirenses que aqui chegaram tiveram esta ideia de continuar com a sua fé e tradições.
As festas da Nossa Senhora do Monte, para D. Kamwenho, significam o evocar da história e do nascimento da cidade do Lubango, como está a evoluir e para onde caminha, preservando os valores tradicionais.
O arcebispo esclareceu que a celebração religiosa é feita todos os anos, a 15 de Agosto, porque coincide com a comemoração da Ascensão de Maria ao céu. É que todas as festas que não tenham no calendário um dia próprio celebram-se nesta data.
“Isto tudo nos recorda a tradição e a devoção a Maria, Mãe de Jesus e de todos os crentes, pois os católicos do Lubango, continuamos a preservar este ritual, através da celebração das festas da Nossa Senhora do Monte”, disse.
Participam na cerimónia milhares de crentes provenientes de vários pontos do país e do mundo, que com sacrifícios e orações procuram o alívio para as suas almas, solução para os seus problemas e a protecção da Mãe de Deus, e agradecer as bênçãos recebidas.
A cerimónia começa com uma procissão que parte da igreja da Laje, local onde fica a imagem de Nossa Senhora e percorre cinco quilómetros por várias avenidas da cidade, até ao Monte, onde é realizada a missa.
Durante a procissão, os crentes carregam sobre os ombros a imagem de Maria, rezam o terço, repetidas vezes, fazem súplicas e cantam.
Para arranjar um emprego, ter boa saúde, harmonia no lar e outros bens morais, muitas pessoas caminham descalços, sobem o monte de joelhos, fazem promessas.
Para D. Zacarias Kamwenho este ritual reveste-se de grande importância, não só para os católicos, mas para todos os munícipes do Lubango, por se tratar de uma veneração à padroeira da cidade.

Recuperação dos valores

No entender do arcebispo, a cerimónia ajuda os crentes e participantes a renunciarem às más práticas, recuperando os valores morais, éticos e tradicionais e a despertarem para o amor ao próximo, “como nos ensinam os Evangelhos”.
D.Zacarias Kamwenho acrescentou que “depois de participarem de todo o ritual e ouvirem a mensagem dos Evangelhos, as pessoas sentem-se renovadas em Cristo, em paz consigo mesmas e com os outros”, realçou.
D. Zacarias Kamwenho diz que nunca ouviu falar de milagres de Nossa Senhora do Monte mas sublinhou que “a vontade de Deus tem-se manifestado na vidas destas pessoas”.
A cerimónia, anteriormente era apenas comemorada pelos católicos, porque as demais igrejas alegavam que era uma adoração a estátuas, mas com o passar do tempo, foram percebendo a liberdade dos crentes católicos.
Com a celebração das festas da Nossa Senhora do Monte, a Igreja Católica pretende passar uma mensagem de conversão em que todos possam inspirar-se em Maria como modelo de vida para todos: casais, jovens e até as próprias crianças.
O arcebispo do Lubango, D. Zacarias Kamwanho, convidou todos os munícipes, para que a exemplo de Maria, voltem os seus corações para Deus, “c.umprindo a sua vontade de mudar comportamentos indevidos, praticar boas obras, cultivar a cultura do amor, do perdão e da solidariedade uns aos outros”.

Abertura das Festas

Apesar da actividade religiosa se realizar apenas no dia 15 de Agosto, as actividades alusivas às festividades de Nossa Senhora do Monte, começaram no primeiro dia de Agosto, com vários atractivos.
No acto de abertura, as crianças foram as que em maior número marcaram presença, por um motivo especial: a entrada em funcionamento do carrossel, uma das muitas atracções que a festa reserva. Na abertura do jogo do quino, o governador Isaac dos Anjos ganhou cinco mil kwanzas na primeira extracção e fez questão de oferecer o valor para compra de bilhetes para as crianças escuteiras e da Organização dos Pioneiros Angolanos (OPA) andarem no carrossel.
O pequeno Delício Cristiano, um dos integrantes do grupo de escuteiros, disse que queria andar de carrinhos de choque. “Só me falta andar nos carrinhos e agora que o governador nos ofertou bilhetes vou aproveitar a oportunidade para sentir como isto funciona” disse.

Bom comportamento

Na cerimónia de abertura das festas da Nossa Senhora do Monte, o governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, apelou aos munícipes e visitantes a tirarem um melhor proveito das actividades e terem um comportamento cívico.
“Apelo a todos os munícipes e à população da Huíla, para terem um bom e elevado comportamento e para receberem os visitantes com hospitalidade, para juntos festejarmos da melhor forma a edição das festas de 2009”, disse.
Aos nossos jovens, continuou, “quero pedir uma especial atenção para que não se excedam no consumo de bebidas alcoólicas”.
Todos os esforços estão a ser levados a cabo pela administração municipal do Lubango, em parceria com o sector empresarial, para que as festas da Nossa Senhora do Monte decorram com sucesso.
O administrador municipal do Lubango, Vigílio Tyova, disse que o seu executivo vai continuar a esforçar-se para que a edição de 2009 das festas seja um sucesso. “Estas festas são já um marco nacional e é notória, ano após ano, a presença cada vez maior de forasteiros que acreditam na nossa cidade e que procuram participar nesta comemoração”, disse.
Virgílio Tyova disse que durante o mês de Agosto são realizadas várias actividades, com vista a proporcionar bons momentos aos munícipes e aos visitantes.
Isaak
Top membros
 
Mensagens: 1251
Registado: Quinta Set 17, 2009 9:06 am
Localização: Angola

Re: PROVÍNCIA DA HUÍLA - GEOGRAFIA E HISTÓRIA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Dez 17, 2009 4:11 am

Vila da Matala - Angola, em 4 de Julho de 2006... Venha ver, vale a pena; pois as pessoas são excelentes, estar lá ainda é melhor, junto ao Rio Cunene.

Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal
---------


Voltar para SALA DA HUÍLA

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron