SAÚDE EM ANGOLA

DESENVOLVIMENTO - SAÚDE - ECONOMIA - LIBERDADE - CRIMINALIDADE - LUSOFONIA

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Set 18, 2009 3:11 pm

18-09-2009 15:29

Saúde
Médicos realizam consultas no mercado Roque Santeiro

Luanda – Seis médicos angolanos iniciam, a partir deste sábado, a realizar consultas gratuitas de hipertensão e de diabetes aos
vendedores do mercado Roque Santeiro, no município do Sambizanga, em Luanda.

Uma nota de imprensa do Secretariado Municipal do Movimento Espontâneo do Sambizanga, distribuída hoje (sexta-feira) à Angop, indica que nesta consulta de algumas horas a equipa médica prevê observar centenas de cidadãos.

O documento adianta que o acto enquadra-se nas festividades do Herói Nacional e visa ajudar as pessoas carentes a adquirirem o hábito de controlar a tensão arterial e dar-lhes a possibilidade de tratarem gratuitamente das suas doenças.

Após o rastreio, os vendedores serão orientados a comparecerem nos hospitais ou centros de saúde, para se dar sequencia às consultas caso seja necessário.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Set 18, 2009 6:12 pm

18-09-2009 19:06

Saúde
Vice-governadora de Luanda considera fundamental higiene da criança



Luanda - A vice-governadora para a área social, Juvelina Imperial, chamou hoje ( sexta-feira) atenção aos encarregados de educação
para a necessidade de prestarem maior atenção a higiene das crianças





A vice-governadora teceu estas considerações na abertura do programa de desparasitação das crianças em idade escolar e a promoção da lavagem das mãos com água e sabão que decorreu na Escola número 9004.





Juvelina Imperial afirmou que os pais devem ensinar as crianças desde muito cedo a lavar as mãos para evitar as doenças endémicas que podem ser evitadas com a prevenção.





“Se antes as crianças não tinham o habito de lavar as mãos, a partir de agora têm passar a fazê-lo muitas vezes por dia”, sublinhou a responsável.







Por outro lado, a representante em exercício do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), Margareth Brown, numa mensagem dirigida ao Governo angolano congratulou-se com os "esforço incansável" que tem sido levado a cabo em Angola, para o combate as varias endemias.







Margareth Brown, reconheceu que o Governo angolano tem trabalhado de forma coordenada para garantir a saúde dos alunos angolanos lembrando por outro que este é um direito fundamental da criança, pois uma criança saudável aprende melhor.





Apontou a importância da desparasitação e da lavagem das mãos, não só nas escolas, mas também na família, reiterando que este acto constitui uma das praticas, ou competências familiares essências, para proteger a saúde das crianças.







Estiveram presentes no referido acto, além da vice-ministra da Saúde e da Educação, Evelize Frestas, e Ana Paula Inês, respectivamente a administradora municipal adjunta de Viana, Eugênia Silva e responsáveis das repartições municipais.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Set 21, 2009 5:01 pm

21-09-2009 17:56

Uíge
Banco de urgência assiste mais de 100 pacientes no fim-de-semana

Uíge – Cento e 17 pacientes com diversas patologias foram assistidos, no fim-de-semana, no banco de urgência do Hospital Provincial do Uíge, contra os 147 da semana anterior, informou hoje à Angop a chefe adjunta da unidade sanitária, Piedade de Conceição.

Segundo a responsável, no mesmo período foram registados dois casos de óbito, igual número no período anterior, por malária e diabete.

Disse que foram notificados ainda três casos de agressões contra, cinco anteriores.

A subchefe referiu que neste período reduziram os casos de acidentes, figurando-se cinco, com o mesmo número de feridos, contra 20 acidentes de igual período que causaram ferimento a 30 pessoas.

Avançou que 35 pessoas receberam alta, contra 13 do fim–de–semana anterior.

Piedade de Conceição disse que foram transferidos 24 doentes, dos 14 para o sector de medicina geral, quatro para ortopedia e outros para cirurgia.

O banco de urgência atendeu igualmente 75 casos ambulatórios, contra 100, e três queimaduras, menos um caso em relação ao período anterior.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Set 29, 2009 2:37 pm

29-09-2009 15:30

Saúde
Hospital Josina Machel regista 52 casos de Febre Reumática

Luanda - Cinquenta e dois casos de Febre Reumática foram diagnosticados no Hospital Josina Machel de Janeiro a Agosto deste ano, segundo o chefe de cardiologia Dário Olaia.
O cardiologista que falava por ocasião do Encontro Nacional sobre a “Febre Reumática”, realizado hoje, terça-feira, referiu que deste número, 30 foram submetidos à cirurgia cardíaca e 10 resultaram em mortes.
De acordo com o responsável, os óbitos foram registados devido à complicações evolutivas da própria doença e em alguns casos porque os pacientes chegaram tardiamente a unidade hospitalar, “o que torna difícil qualquer conduta terapêutica”, frisou.
Segundo Dário Olaia, são recebidos doentes dos cinco anos a idosos, sendo as crianças as mais fragilizadas.
“Todas as pessoas, particularmente as crianças, que não tratarem convenientemente a amigdalites (anginas), poderão evoluir à febre reumática, por isso os pais devem levar os filhos as consultas para serem diagnosticados e posteriormente tratados", alertou.
O diagnostico da doença é eminentemente clínico, no qual existindo sinais reconhecíveis, explicou, adiantando que o hospital está capacitado para tais exames.
A Febre Reumática (FR) é uma doença inflamatória, de origem auto-imune, em resposta do organismo a infecções pelo estreptococo do grupo A.
A doença reumática ocorre após um episódio de amigdalite bacteriana tratada inadequadamente, e tem como principais sintomas a febre, edema (inchaço) e dores nas articulações, impossibilitando, muitas vezes, a criança de andar por causa da dor. Quando a doença atinge o coração, o paciente sente cansaço contínuo e falta de ar.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor tozé em Quarta Set 30, 2009 8:26 pm

30-09-2009 14:12

Kwanza Sul
PAV prevê vacinar mais de 248 mil crianças contra a poliomielite

Sumbe - Duzentas e quarenta e oito mil e 31 crianças menores de cinco anos serão imunizadas contra a poliomielite, durante a terceira fase da campanha de vacinação "Viva a Vida com Saúde", iniciada hoje e que se estenderá até sexta-feira, na província do Kwanza Sul.

Segundo o supervisor do Programa Alargado de Vacinação (Pav), Israel Mussili, em declarações à Angop, estão disponíveis 340 mil doses de vacinas contra a poliomielite e 220 mil 543 vacinas contra o tétano, estas últimas que se destinam a pessoas da faixa etária dos 15 aos 45 anos.

O PAV tem mobilizado para o efeito 370 brigadas que perfazem mil 480 brigadistas, entre vacinadores e registadores.

Israel Mussili apelou aos pais e encarregados de educação no sentido de levarem os filhos aos postos de vacinação por não terem sido criadas brigadas móveis.

Na segunda campanha de vacinação foram imunizadas 314 mil crianças em toda extensão da província.
Avatar do utilizador
tozé
Moderador de sala
 
Mensagens: 1400
Registado: Segunda Maio 11, 2009 7:19 pm
Localização: Faro - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quinta Out 01, 2009 6:11 am

30-09-2009 19:33

Saúde
Autoridades sanitárias de Luanda pedem colaboração de pais para campanha

Luanda - As autoridades sanitárias da província de Luanda solicitaram hoje (quarta-feira), a colaboração dos responsáveis pelas crianças para que preparem os menores para a vacinação contra a poliomielite, a realizar-se no próximo final de semana.

Em nota distribuída à Angop, a direcção provincial de saúde explica que os vacinadores vão passar de casa em casa, mercados, igrejas para vacinar contra a poliomielite todas as crianças.

De acordo com o documento, todas as crianças, dos zero a menores de cinco anos de idade, devem ser imunizadas contra a paralisia infantil, mesmo que estejam doentes ou já tenham recebido a vacina de rotina em outra campanha contra a poliomielite.

Fontes afecto ao Ministério da Saúde salientam que o esforço de vacinação que Angola tem estado a desenvolver enquadra-se na estratégia geral do Governo para a melhoria da saúde materna infantil e o alcance das metas de desenvolvimento do milénio.

A poliomielite é uma doença prevenivel com a vacinação até aos cinco anos de idade, mas quando infecta uma criança deixa sequelas irreversíveis como a paralisia flácida aguda dos membros inferiores.

Poliomielite ou paralisia infantil é uma infecção viral aguda causada por um dos três pólio-vírus existentes. A infecção transmite-se através do contacto com um portador da pólio ou então com fezes humanas. Crianças dos zero aos cinco anos são as mais susceptíveis à doença.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quinta Out 01, 2009 6:11 am

30-09-2009 19:08

Saúde
Mães das crianças angolanas que beneficiam de tratamento em Israel satisfeitas com projecto


Luanda – As mães das seis crianças que hoje (quarta-feira) viajaram para o Estado de Israel, onde durante cerca de dois meses vão beneficiar de tratamento médico em cardiologia, manifestaram-se satisfeitas pela ajuda que o referido projecto tem oferecido para a melhoria das condições de saúde dos menores.

Entrevistadas pela Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, as acompanhantes foram unânimes em referir que o projecto, sob os auspícios da fundação israelita LR Arte e Cultura, é bem-vindo, tendo em conta que o tratamento da doença no país é oneroso.

Isabel Francisca, mãe de Suely Francisca Pedro, de cinco anos, e diagnosticada há dois anos, mostrou-se satisfeita com o desempenho do governo nessa parceria com Israel em dar soluções aos problemas cardiovasculares que as crianças enfrentam, “visto que a patologia é muito grave e impede as crianças de terem uma vida normal”.

“ Nos vamos bem convictas, que graças o empenho do governo os nossos filhos serão tratados e aproveito para fazer um apelo a todas as mães que têm as crianças com a mesma doença a dirigirem-se ao Hospital David Bernardino.

De igual modo, Rosa Armado Pascoal disse ter ficado muito emocionada quando viu que o nome da sua filha estava entre as seis seleccionada para ir no tratamento para o Israel, visto ser um processo que tem já acontecido e agora chegou a vez dela. “É uma alegria para todas as mães que enfrentam essa dificuldades”, desabafou.

A mãe de Rosanilda José Ventura acrescentou que “ não é fácil viver com uma criança com problema cardiovascular porque os medicamentos são caros”, apesar de estarem a receber ajuda do Estado a partir do Hospital Pediátrico que fornece os medicamento e as vezes vendem a preso simbólico.

O projecto surge no âmbito de um protocolo assinado entre o Grupo LR e a Organização Não-Governamental israelita “Save a Child's Heart e beneficiou até ao momento 31 crianças com problemas cardiovasculares, seleccionadas pelo Hospital Pediátrico David Bernardino.

A Fundação LR Arte e Cultura foi criada pelo Grupo LR e opera em Angola há mais de dezoito anos, contribuindo para o seu desenvolvimento nos sectores da agricultura, construção, defesa, telecomunicações, investimentos e gestão de projectos públicos e privados.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Terça Out 06, 2009 7:06 am

05-10-2009 19:08

Angola
Doentes mentais devem ter colaboração dos familiares no tratamento e acolhimento
Luanda - O frei João Domingos disse hoje, segunda-feira, em Luanda, que os familiares dos jovens com transtornos psíquicos e que deambulam pelas ruas, devem colaborar com o Estado (Saúde), no seu tratamento e acolhimento, facilitando deste modo o processo de recuperação.
João Domingos que falava à Angop sobre os “Jovens que deambulam pelas ruas devido aos transtornos mentais", referiu que muitos deles têm cura fácil caso sejam acompanhados pelos familiares.
“As famílias devem ser chamadas a assumir esta colaboração”, reiterou o líder religioso.
Segundo João Domingos em casos de injustiças ou abandono das famílias, filhos acusados de feitiçaria, ou doentes mentais acusados de possessos por maus espíritos, deve haver diálogo com as famílias.
“Há casos em que certas crenças podem agravar estas situações. Mas deveremos investir na educação e no esclarecimento. Elucidar mais e melhor as famílias e as comunidades sobre estes problemas e as crenças a eles ligadas”, disse.
O líder religioso avançou ainda que a Igreja Católica tem apoiado estes doentes com alimentação, roupa e atenção, um razão segundo o frei, para que estes se concentrem nas igrejas.
Segundo alguns especialistas em psicologia e sociologia, a desagregação familiar no indivíduo tem um enorme impacto para que este tenha alguns transtornos psicológicos, levando-o a profundidade num mundo imaginário, manifestando muitas vezes comportamentos agressivos.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Out 06, 2009 12:48 pm

06-10-2009 13:31

Tensão Arterial
Número de jovens hipertensos atendidos nas campanhas tem sido alto


Angop
Presidente da AACOR
Presidente da AACOR
Luanda - O número de jovens hipertensos detectados durante as campanhas de medição de pressão arterial, realizadas em Luanda, tem sido elevado, disse nesta terça-feira o presidente da Associação Amigos do Coração, Mário Fernandes.
Em declarações à Angop, Mário Fernandes lamentou o facto do número de jovens hipertensos ser muito alto, e geralmente devido ao consumo excessivo de álcool e do cigarro.
O cardiologista aconselhou os jovens a partir dos 18 anos de idade a medir a tensão arterial com alguma regularidade, de três ou de seis em seis meses, principalmente se for filho de pais hipertensos.
O presidente da Associação Amigos do Coração afirmou que quem é filho de hipertenso deve ter um cuidado redobrado, porque a probabilidade de sofrer de tensão arterial alta é muito grande.
Mário Fernandes explicou que quem tem pressão arterial alta tem fortes riscos de ter problemas cardíacos, pois a hipertensão como doença tem a característica de ir desgastando órgãos como o coração, os rins, a visão, parte do sistema nervoso central, os acidentes derrame cerebral ou trombose.
Alertou que a hipertensão é uma doença “silenciosa” que não se sente, mede-se, por isso se a pessoa não medir a sua pressão arterial com alguma regularidade não saberá nunca que é hipertensa.
"As pessoas podem ter níveis de pressão muito elevadas, mas não ter sintomas. A hipertensão é uma doença que muitas vezes evolui de maneira silenciosa, dai a necessidade da vigilância permanente com ela, porque muitas vezes a primeira manifestação da doença é já um acidente vascular cerebral", explicou o cardiologista.
Por este motivo, lembrou Mário Fernandes, no decorrer das campanhas é feita a sensibilização sobre a necessidade das pessoas procurarem as unidades de saúde para se fazerem tratar, porque se a pessoa não se da conta que é hipertenso e não é alertado sobre os perigos que corre, pode ter um acidente vascular cerebral.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Out 08, 2009 2:45 am

Saúde
Campanha de vacinação contra a pólio satisfaz responsáveis da saúde

Malanje - A terceira fase de campanha nacional de vacinação contra a poliomielite, que decorreu de 2 a 4 deste mês na província de Malanje, satisfez os responsáveis da saúde em Malanje, a julgar pelos avançados números de crianças vacinadas, soube hoje (quarta-feira), a Angop de fonte sanitária.
De acordo com a supervisora provincial do Programa Alargado de Vacinação (PAV) em Malanje, Lúcia Chilombo, a campanha ultrapassou as expectativas, uma vez que se vacinou ao nível da província, 196 mil e 610 crianças, contra as 152 mil 344 antes previstas.
A responsável fez saber que a campanha abrangeu os catorze municípios que compõem a província de Malanje, cujo número de crianças vacinadas poderá subir, tendo em conta que o município de Massango ainda não enviou os dados.
Durante a campanha de vacinação contra a pólio, o PAV disponibilizou 220 mil dozes de vacinas.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Out 09, 2009 2:43 am

Uíge
Centro materno assiste 935 pacientes em sete dias
Uíge - Novecentos e 35 pacientes foram assistidos durante a semana finda no centro materno infantil do Uíge, mais 182 em relação ao período anterior, informou hoje (quinta-feira), à Angop, a chefe do centro, Rosa Laurinda António.
De acordo com a responsável, 351 mulheres foram atendidas na secção de pré-natal, menos 236 em relação ao período anterior, e 62 crianças com malária e diarreias receberam assistência na pediatria do centro materno (menos 13).
Durante o período em análise, realçou, foram assistidos 86 pacientes com bronquite, infecções da pele, otites, diarreias e outras patologias, menos sete que na semana passada.
Fez saber que 436 outros aderiram a secção da puericultura, mais 28 em relação ao período findo.
A responsável do centro apelou às senhoras no sentido de primarem pelas medidas de prevenção contra a diarreia, visto que a chuva já começou e transporta lixo aos poços, tanque e outros reservatórios de água, provocando assim muitas doenças.
"Ferver a água ou desinfecta-la com lixívia, dormir debaixo do mosquiteiro tratado, manter a higiene caseira e pessoal são algumas medidas que visam prevenir e manter segurança contra várias doenças", disse a enfermeira.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sábado Out 10, 2009 2:51 am

Uíge
Autoridades da Damba notificam seis casos de VIH

Uíge - As autoridades sanitárias do município da Damba, a 197 quilómetros a norte cidade do Uíge, notificaram de Junho à presente data seis casos de VIH/Sida na unidade de aconselhamento e testagem voluntária, informou hoje o seu responsável.
Falando à Angop, António Mendes referiu que são os primeiros casos registados nesta unidade, desde a sua inauguração no princípio deste ano.
Disse que, de Junho à presente data, foram realizados testes voluntários em 380 cidadãos, com vista a controlarem o seu estado serológico, seis dos quais seropositivas, entre eles uma grávida.
Realçou que estes casos estão sob controlo das autoridades sanitárias locais e da unidade de aconselhamento e testagem voluntária em particular, adiantando que são considerados, por enquanto, “seropositivos sãos”.
Houve uma redução de aproximadamente 108 pessoas que aderiram ao teste voluntário, em relação ao período anterior, e aumento de seis casos positivos, contra zero do primeiro período.
Com a realização destes 380 novos testes voluntários naquele município, eleva-se para 891 pessoas que já aderiram ao teste de VIH/Sida desde a inauguração da unidade.
Deste número, 511 testes foram realizados no período anterior, que compreende os meses de Abril e Maio, com a participação de 488 grávidas e 23 homens adultos.
Três técnicos especializados exercem a actividade de testagem voluntária ao nível do município da Damba.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Out 12, 2009 2:44 am

Efeméride
Hoje é Dia Mundial de Combate à Obesidade

Luanda – Hoje, 11 de Outubro, assinala-se o Dia Mundial de Combate à Obesidade.
A data foi instituída em 1997 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), visando estimular as pessoas a optarem por actividades preventivas e saudáveis.
A obesidade é apontada pela OMS como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, por atingir 1 bilião de pessoas. Além disso, ela é um factor de risco para a diabete.
A organização internacional das Nações Unidas estima que, em 2.015, mais de 700 milhões de pessoas serão obesas no mundo.
Em 1997, a OMS já classificava o aumento do sobrepeso e da obesidade como epidemia, por, em muitos países, mais da metade da população apresentar algum grau de excesso de peso. A epidemia é global e atinge, não somente países desenvolvidos, mas também os que estão em desenvolvimento.
A organização mundial considera que nos Estados Unidos da América (EUA) a situação é mais grave, pois 61% da população com idade superior a 25 anos apresentam excesso de peso.
Para a OMS, a população está cada vez mais sedentária e, com isso, crescem os números da obesidade e a preocupação dos profissionais de saúde em combatê-la e, consequentemente, em prevenir as diversas disfunções causadas pelo excesso de peso.
A obesidade é uma doença crónica, de difícil tratamento, que pode ser resultado de herança genética, fisiológica, sedentarismo, excesso de alimentos ou alimentação inadequada, devido a transtornos alimentares.
A sua prevenção tem três factores principais: reeducação alimentar, aumento ou prática de actividade física e mudança no estilo de vida.
Em alguns casos pode haver a necessidade de intervenção medicamentosa e, nos mais severos, a realização de cirurgias é necessária.
Quem sofre com o excesso de peso sabe o quanto é difícil perder alguns quilos. Às vezes, mesmo com dieta e exercícios, os resultados não são tão bons.
O baixo consumo de frutas e verduras aumenta o risco de problemas cardíacos, alguns tipos de câncer e obesidade.
Por esse motivo, OMS e Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) têm uma estratégia integrada para promover um maior consumo de frutas e verduras.
Estima-se que o baixo consumo de frutas e verduras cause cerca de 2,7 milhões de mortes a cada ano e está entre os 10 maiores factores de risco que contribuem para a mortalidade, segundo a OMS.
Segundo Kraisid Tontisirin, Director da Divisão de Alimentos e Nutrição da FAO, “a Organização enfrenta o desafio de aumentar em todo o mundo a consciencialização acerca dos benefícios de um maior consumo de frutas e verduras.
Para promover efectivamente um maior consumo de frutas e verduras, ”é preciso avaliar de maneira mais sistemática a alimentação prevalecente no tocante às implicações para a nutrição e a saúde.”
Mahmoud Solh, Director da Divisão de Produção e Protecção Vegetal da FAO, afirmou: “São necessárias iniciativas nacionais imediatas para produzir e comercializar eficientemente produtos hortícolas mais baratos, usando menos pesticida e com perdas menores no manuseio pós-colheita.”
As doenças não transmissíveis são responsáveis por quase 60% das mortes em todo o mundo e 45% da morbidade global.
Um consumo diário suficiente de frutas e verduras pode ajudar a prevenir as doenças não transmissíveis como cardíacas, diabetes tipo 2, obesidade e certos tipos de câncer.
O relatório recém-publicado denominado “Consulta Conjunta de Especialistas da OMS/FAO sobre Alimentação, Nutrição e Prevenção de Doenças Crónicas” recomenda o consumo mínimo de 400g de frutas e verduras por dia (excluindo batatas e outros tubérculos) para a prevenção de doenças crónicas.
As informações do banco de dados da FAO indicam que a reserva total de frutas e verduras disponível está abaixo do consumo mínimo em muitos países, especialmente na Ásia, África e Europa Central e Oriental.
O consumo em geral também é baixo entre os grupos socioeconómicos mais pobres dos países desenvolvidos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Out 13, 2009 2:35 am

CAN2010
Ministro afirma que Cabinda tem condições para emergências médicas

Cabinda - O ministro da Saúde, José Van-Dúnem, membro da Comissão de Monotorização da prova, afirmou em Cabinda que as infra-estruturas que vão servir de apoio às emergências médicas durante a Taça de África das Nações Orange-Angola2010 satisfazem já o programa do sector.
José Van-Dúnen felicitou a província de Cabinda por já ter as condições criadas para as emergências médicas nos locais que acolherão a prova, no caso do Bairro de NBuco-NGoio, onde serão alojados os jornalistas nacionais e internacionais, a Vila Olímpica de Cabassango, sede das selecções, bem como no Estádio Internacional de Chiazi.
"Podemos visitar o Hospital 28 de Agosto, uma infra-estrutura de referência e pelo seu estado de conservação bem como dos equipamentos instalados no que toca à tecnologia moderna, avançada e de ponta no sector da saúde, sentimo-nos mais seguros e estáveis para que as emergências médicas possam trabalhar com muita segurança", declarou.
O titular da pasta da Saúde fez uma abordagem sobre as medidas que o sector preconizou para o CAN2010, com quadros e especialistas capazes de fazer face a qualquer incidente que eventualmente poderá acontecer durante o evento.
Instado a debruçar-se sobre as medidas preventivas quanto ao surto da gripe H1N1, José Van-Dúnem disse que há um trabalho de sensibilização.
"Pensamos que as medidas preventivas é o modelo ideal para que possamos sensibilizar as populações e também os visitantes na tomada destas medidas como forma de se prevenirem do eventual contágio da epidemia", disse.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor Vitor Oliveira em Quarta Out 14, 2009 6:42 am

12-10-2009 14:01

Kwanza Sul
Técnicos de saúde aprimoram conhecimentos sobre tuberculose


Sumbe - Vinte técnicos do departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias no Kwanza Sul aprimoram desde hoje, na cidade do Sumbe, conhecimentos sobre a tuberculose no quadro do programa de prevenção e tratamento desta doença.

Em declarações à Angop, o prelector do seminário, Francisco Ernesto, avançou que o mesmo visa capacitar, durante três dias, os enfermeiros sobre a generalidade da tuberculose, epidemiologia clínica, diagnóstico, tratamento e sistema de informação, entre outros assuntos.

Francisco Ernesto considerou a tuberculose um dos maiores problemas da saúde pública no país, tendo apontado a desigualdade social da população e o surgimento do VIH/sida como os principais factores que contribuem no agravamento da doença.

Asseverou que, apesar da implementação da estratégia no tratamento da doença, cuja cobertura aumenta paulatinamente em alguns municípios, a incidência dos casos é maior nas áreas onde o tratamento não é acessível aos utentes.

O Programa Nacional de Controlo da Tuberculose (PNCT), no seu plano estratégico de 2001/2007, definiu como actividades de suporte a formação de médicos e técnicos a todos os níveis.

Para tal, uma das prioridades do programa é a sua expansão a todos os municípios, particularmente àqueles cujos limites se sobrepõem aos países vizinhos que possuem elevada incidência da infecção por VIH/Sida.
Avatar do utilizador
Vitor Oliveira
Administrador do fórum
 
Mensagens: 5484
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:14 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal
---------

AnteriorPróximo

Voltar para ANGOLA - OUTROS TEMAS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron