SAÚDE EM ANGOLA

DESENVOLVIMENTO - SAÚDE - ECONOMIA - LIBERDADE - CRIMINALIDADE - LUSOFONIA

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jun 11, 2009 12:27 am

Cunene
Ombadja diagnostica mais de dois mil novos casos de malária

Ondjiva - Dois mil e 754 novos casos de malária foram diagnosticados no Hospital municipal de Ombadja, (97 quilómetros a norte da cidade de Ondjiva, capital do Cunene), de Abril a Maio deste ano, soube hoje (quarta-feira) a Angop de fonte segura.

Segundo a chefe do serviço de estatística daquela unidade sanitária, Carla Nunes, deste número resultaram nove óbitos, maioritariamente de crianças dos zeros aos 14 anos de idade.

Sem avançar números, sublinhou, que comparativamente à igual período anterior, registou-se aumento de casos, o levou os serviços locais de saúde pública a intensificar as acções de sensibilização através de palestras junto das comunidades.

Durante as palestras, acrescentou Carla Nunes, os técnicos aproveitam distribuir, gratuitamente, mosquiteiros tratados, além de indicarem outros meios de prevenção e combate à doença, nomeadamente a destruição dos focos de lixo, águas paradas e o uso de insecticidas.

Ainda assim, apelou à população na circunscrição a observar as medidas de prevenção e combate da patologia, com vista a reduzir os riscos decorrentes do paludismo.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor ANA em Sábado Jun 13, 2009 10:27 am

11-06-2009 14:29

Governo
Disponibilizados mais de USD dez milhões para campanha "Viva a Vida com Saúde"
Luanda - Dez milhões e 500 mil dólares foram disponibilizados pelo Governo angolano e seus parceiros para a implementação da campanha nacional de vacinação “Vida a Vida com Saúde”, que inicia domingo próximo, informou hoje, quinta-feira, o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.
Segundo o dirigente, que falava na cerimónia de abertura da campanha nacional, esclareceu que 45 porcento do montante foram disponibilizados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), 26 pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e seis provenientes dos fundos Orçamento Geral do Estado (OGE).
Parte do montante, de acordo com José Van-Dúnem, serviu para a aquisição dos medicamentos e material gastável para a campanha, e o restante na compra de meios logísticos para as equipas de vacinação e outros meios necessários para o êxito da campanha.
De âmbito nacional, a campanha será realizada em três fases, sendo a primeira de 14 a 18 do Junho nas zonas urbanas, enquanto que, para as zonas rurais está programada de 29 a 28, desde mesmo período.
A terceira etapa decorrerá de 01 a 09 de Setembro deste ano, actividade que vai envolver mais de 26 mil pessoas, entre técnicos de saúde, coordenadores e supervisores de equipas, (municipais e provinciais), mobilizadores sociais e assessores nacionais.
Com o objectivo de acelerar a redução da mortalidade materno-infantil, no âmbito das acções do governo para o período 2009/20012, pretende-se imunizar nesta segunda campanha nacional, 3,3 milhões de crianças dos nove meses a menores de cinco anos, quatro milhões outras contra a poliomielite (dos zero a menores de cinco anos).
Prevê-se ainda administrar a dose suplementar de vitamina “A”, contra a cegueira à 3,5 milhões de crianças (seis meses a menores de cinco anos), e a administração de uma dose de Albendazol a um grupo 3,1 milhões de crianças (um ano a menores de cinco).
Nesta fase, a decorrer porta à porta, serão de igual modo vacinadas 1,5 milhões de mulheres em idade fértil contra o tétano, nas províncias de Cabinda, Zaire, Uíge, Bengo, Kwanza Sul e Norte, Lunda Sul e Norte, Namibe e Kuando Kubango.
Assim, o ministro da Saúde pediu a colaboração de toda a sociedade com vista a serem atingidas as metas traçadas pelo governo angolano.
“Queremos que está campanha seja de muita qualidade, por causa das responsabilidades e do sucesso alcançando na campanha anterior, que tivemos uma cobertura de 97 porcento", disse o dirigente, considerando ainda ser fundamental atingir os objectivos que se propuseram na redução em 90 porcento de mortes por sarampo e contribuir para a eliminação do tétano neonatal e na interrupção da transmissão do póliovirus selvagem.
Será prestada maior atenção, durante esta fase, às províncias de Luanda, os municípios de Bocoio, Balombo e Lobito (Benguela), Quilenda, Porto-Amboim e Sumbe, (Kwanza Sul), Luena (Moxico) e Namibe, áreas onde não foram atingidas todas as localidades na fase anterior.
Segundo o titular da pasta, as equipas vão actuar nas unidades sanitárias públicas e privadas, postos avançados localizados nos bairros periféricos, creches e instituições infantis.
José Van-Dúnem assegurou que as equipas móveis deslocar-se-ao às diferentes comunidades da zona rural, um trabalho que vai envolver as autoridades tradicionais e entidades religiosas.
Esta segunda fase da campanha “Viva a Vida com Saúde” voltará ainda contar com os quadros do ministérios do Interior, Educação, Promoção da Mulher, do Instituto nacional da criança, assim como de ONG.
Em 2006, altura decorreu a primeira fase desta campanha nacional de imunização, foram vacinadas 2.9 milhões de crianças contra a poliomielite, 2.3 milhões foram administradas a vitamina “A” contra a cegueira e 2.1 milhões foram desparasitadas com albendazol.
Neste período, foram ainda distribuídas 560 mil redes mosquiteiras tratadas com insecticida de longa duração, frisou.
Avatar do utilizador
ANA
Moderador de sala
 
Mensagens: 194
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:58 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor anabela em Domingo Jun 14, 2009 6:15 am

Surto epidémico: Casos de sarampo crescem em Viana

André dos Anjos |

A cidade de Luanda regista um surto epidémico de sarampo, cujo foco está na zona de Viana. Nas últimas semanas foram notificados 100 casos, 12 dos quais comprovados laboratorialmente, revelou a directora em exercício da Saúde em Luanda, Isilda Neves.
A médica, que não falou em vítimas mortais, afirmou, em declarações à Rádio Luanda, que nos últimos dias registou-se um freio na propagação da epidemia, por quanto as autoridades sanitárias não registaram novos casos.
Segundo a médica, a contenção do surto resulta de medidas pontuais que foram tomadas pelos técnicos de Saúde, na zona afectada. As medidas tomadas para conter o surto consistiram na vacinação de crianças com idade vulnerável ao contágio do sarampo e residentes no perímetro em que os casos são identificados.
Isilda Neves disse que com a campanha de vacinação “Viva a Vida com Saúde”, que começa segunda-feira em todo país, grande parte das crianças, senão todas com idade indicada, vão ser imunizadas contra o sarampo.
Luanda, recordou Isilda Neves, não regista a epidemia de sarampo há mais de 5 anos. No ano passado foram registados alguns casos isolados, mas que não foram confirmados laboratorialmente, por isso, afastou a hipótese de epidemia. De acordo com explicação médica, o sarampo propaga-se facilmente, porque o contágio acontece através de secreções respiratórias.
anabela
Moderador de sala
 
Mensagens: 981
Registado: Sexta Maio 22, 2009 6:12 am

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Jun 15, 2009 2:18 am

Saúde
Cerca de um milhão de crianças serão imunizadas no Uíge


Uíge – Um milhão quatro mil e 509 crianças, dos zero aos 5 anos, vão ser imunizadas na província do Uíge, contra o Sarampo, Poliomielite, durante a Campanha de Vacinação denominada "Viva vida com saúde", iniciada hoje.


O facto foi revelado hoje, domingo, na localidade de Henda, sete quilómetros a nordeste da cidade do Uíge, pelo director provincial de saúde, Benge Moco Henrique, durante o acto de abertura da campanha que decorrerá até 28 deste mês.


Benge Moco Henrique deu a conhecer que a campanha surgiu pelo facto do governo ter registado o reaparecimento de casos de sarampo e a frequente morte de crianças por má nutrição, surgimento de paralisia infantil, a morte de mulheres durante o parto e por tétano nas províncias do centro e sul do país.


Assegurou, por outro lado, que a campanha nacional de vacinação, visa combater o sarampo, poliomielite, tétano e a má nutrição das crianças, acrescentando ainda que para se evitar o aumento destes casos na província do Uíge, serão vacinadas 216 mil e 573 crianças contra Sarampo, 254 mil e 791 contra poliomielite.


Duzentas mil e 312 outras serão igualmente administradas a Vitamina “A”, 303 mil 833 vão beneficiar de Albendazol e 267 mil e 531 mulheres serão vacinadas contra tétano.


Benge Moco Henrique pediu, o apoio de todos para que a campanha decorra com êxitos em toda província, onde foram criadas 221 equipas de vacinação, compostas por 25 supervisores e 15 coordenadores para garantirem a campanha.


Por seu turno, o governador provincial do Uíge, Mawete João Baptista, que presidiu o acto de abertura da referida campanha, congratulou-se pelo facto do governo através do Ministério da Saúde ter orientado a realização da campanha nacional de vacinação das crianças menores de cinco anos e mulheres em idade fértil contra estas epidemias.


O governante disse estarem criadas as condições necessárias para que a campanha decorra sem sobressaltos, como forma de se evitar as referidas endemias. Apelou a sociedade a primar pela higiene sanitária, com vista garantir uma saúde condigna.


Disse ser necessário o melhor acompanhamento sanitário para evitar o elevado índice de mortalidade de mulher no momento do parto. "Nós não queremos que as nossas mamãs e crianças morram por falta de condições de saúde", frisou.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Jun 15, 2009 2:26 am

Saúde
Centro Nacional de Sangue necessita de cem mil dadores voluntários


Luanda – O Centro Nacional de Sangue do Ministério da Saúde necessita anualmente de cem mil dadores voluntários não remuneramos em todo país, contra os actuais cinco mil.


Em entrevista hoje (domingo) à Angop, por ocasião do Dia Mundial do Dador de Sangue, a directora da instituição, Luzia Fernandes Dias, disse que a actual cifra corresponde 25 porcento das necessidades do país.


“Com os cem mil dadores voluntários por ano, os hospitais teriam sangue suficiente e cada um de nós quanto tivesse um familiar a necessitar, não seria necessário estender o braço" , sublinhou.


Segundo a responsável, actualmente o banco de sangue necessita por ano de aproximadamente 280 mil unidades do produto e para
atingir a cifra dos cem porcento, defendeu a necessidade de se substituir os dadores familiares por outros não remunerados.


Na sua opinião, deve-se definir estratégias para que o número de voluntários aumente significativamente.


Este ano, a efeméride comemora-se sobre o lema “cem porcento de sangue de dadores voluntários não remunerados“.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Jun 15, 2009 2:36 am

Huambo
Mais de 200 equipas de vacinação garante êxito da



Huambo - Duzentas e trinta e sete equipas de vacinação trabalham para assegurar o êxito da campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite denominada "Viva a Vida com saúde".


A jornada decorre até ao dia 28, com a supervisão de 33 especialistas e 11 assessores e deverá imunizar 288 mil 917 menores de cinco anos, nos onze municípios que compõem esta região do planalto central.


Nesta primeira fase (urbana) serão vacinadas 172 mil 356 crianças e na segunda (rural) 116 mil 561 que irão beneficiar das vacinas contra a poliomielite e sarampo, assim como da vitamina A e o desparasitante Albendazol.


As vacinas estão a ser administradas em postos fixos montados nos centros de saúde, mercados, igrejas e próximo de residências.


Na cerimónia de abertura da campanha, o governador em exercício, David Barbosa, a sociedade de encarar a prevenção como prioridade da política social.


"O governo defende que todos os angolanos têm direito a saúde e assistência médica independentemente da sua capacidade económica, por isso preconiza um serviço de saúde pública nacional descentralizado ", continuou.


Garantiu que esforços vão continuar a ser desenvolvidos para o alargamento da cobertura sanitária em zonas periféricas dos centros urbanos e rurais.


Fez saber que a realização desta campanha de vacinação é uma das acções que visa a promoção, preservação e melhorias das condições de saúde do indivíduo e agregado familiar e das comunidades.


"Com estas campanhas de vacinação gratuitas o governo pretende fortalecer o sistema imunológico da criança contra as doenças que vitimam no mundo milhares de pessoas", frisou.


No bairro de Benfica, arredores da cidade do Huambo, o governante apelou a participação dos pais no sentido de levarem as crianças há vacinação e evitar mortes infantis.


Por outro lado, o representante do UNICEF na região centro, Paulo Mendes reafirma que o Fundo das Nações Unidas para Infância vai continuar a buscar financiamento para trabalhar junto do governo na luta contra a morte materno-infantil.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Jun 16, 2009 3:20 am

Saúde
Campanha de vacinação no Lobito considerada exitosa



Luanda – O administrador municipal do Lobito (Benguela), Amaro Segunda Ricardo, avançou hoje em Luanda, que a campanha de vacinação naquela localidade foi um êxito e que ultrapassou as expectativas.



O administrador que fez este pronunciamento durante a abertura da campanha de vacinação a margem do IV Fórum Nacional sobre a Criança, avançou que no Lobito a equipa de trabalho da campanha foi constituída por líderes locais, enquanto os planos foram diferenciados de acordo com as características do terreno e da população.



"Os pontos fortes da campanha foram o envolvimento total do Administrador e todo o seu elenco, o micro plano foi adaptado a realidade do município, a participação de 200 escuteiros, atribuição e distribuição das actividades a todos os níveis", revelou.




Indicou que foram vacinadas em diversas áreas do município 98 por cento de crianças.




O IV Fórum Nacional Sobre a Criança, este ano sob o lema “ Pensar Nacional – Agir Local”, tem o seu término previsto para terça-feira e conta também com a presença de individualidades vindas de outros países e petizes das 18 províncias de Angola.



O certame tem como objectivo, contribuir para a continua aplicação do artigo 30º da Lei Constitucional, que estabelece que “as crianças constituem absoluta prioridade, pelo que gozam de especial protecção da família, do Estado e da sociedade com vista a um desenvolvimento integral”.



O último fórum da criança decorreu de 12 a 14 de Junho de 2007 sob o lema "Criança Prioridade Absoluta" e reiterou o artigo 30º da Lei Constitucional e que se deve continuar com as actividades programadas do plano estratégico para a redução acelerada da mortalidade materno-infantil
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jun 17, 2009 1:28 am

Saúde
Cabinda Gulf apoia bancos de sangue de hospitais

Luanda – A Chevron Cabinda Gulf Oil Company Limited (CABGOC) e as suas associadas do Bloco 0 (Sonangol E.P, Total E&P Angola e Eni Angola Production B.V.) anunciaram terça-feira a doação de diversos materiais consumíveis e equipamento aos bancos de sangue do Hospital Central de Cabinda e do Hospital Municipal de Cacongo.

A doação ao Hospital Central de Cabinda, ocorrida no passado dia 12 de Junho, visou garantir a transfusão de sangue seguro através do aprovisionamento de todos os consumíveis para a testagem do sangue, obedecendo assim aos critérios recomendados pela
Organização Mundial da Saúde (OMS).

O gesto visa também encorajar a doação voluntária de sangue.

Por seu turno, a doação ao Hospital Municipal de Cacongo, no dia 13 do mesmo mês, resulta da necessidade de se assegurar
transfusões de sangue seguras nesta unidade segundo os critérios recomendados pela OMS e contribuir para a redução dos riscos decorrentes da evacuação de pacientes para o Hospital Central.

A assistência a esta unidade inclui ainda mobiliário diverso e formação de técnicos de saúde.

Avaliados em cerca de 315 mil dólares, ambos projectos têm como parceiros de implementação a Direcção Nacional de Saúde de
Cabinda e o Centro Nacional de Sangue.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jun 18, 2009 1:22 am

Bengo
Diarreias aguadas e vómitos causam cinco mortos em Caxito

Caxito – Cinquenta casos de diarreias agudas e vómitos, que resultaram em cinco mortes, foram registados de 01 a 16 deste mês, na província do Bengo, indica uma nota do hospital local, distribuída hoje à Angop.



As mortes, explica o comunicado, deveram-se ao facto de as vítimas "terem consumido água imprópria".



Os casos foram notificados nos bairros de Kawango e Kitonhe, com dois óbitos cada, enquanto Porto Kipiri registou um morto. Presume-se que a causa seja o consumo de água imprópria da vala de irrigação do município do Dande.



O comunicado informa que as autoridades sanitária locais estão a tomar medidas de sensibilização e educação sanitária, junto das comunidades, por forma a prevenir e evitar-se o surgimento de outros casos de diarreias agudas e vómitos.



Para tal, uma equipa da Direcção Provincial da Saúde e de técnicos da instituição, bem como da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Bengo, deslocou-se ao bairro Kawango, área com o maior número de casos.



A ideia é constatar-se a situação real da doença.



A comitiva constatou que a patologia não tem semelhança à cólera, tendo sido colhidas amostras que foram enviadas ao Laboratório Nacional de Saúde Pública, para ser determinado o agente causador da doença.



A nota explica que, dos 50 casos, os mais relevantes foram registados nos bairros Kawango, com nove, Mifuma (8), Porto-Kipiri (5), Kixiquela, Kitonhe, Kimaria e Kijoão Mendes, com três ocorrências cada, durante aquele período.



Para evitar o consumo de água imprópria, a Direcção da Saúde sugere que a Administração Municipal do Dande reabilite o sistema de captação e distribuição de água, por forma a fornecer água potável à população da circunscrição.



A Direcção Provincial de Saúde aconselha igualmente o reforço de medidas de saneamento básico do meio ambiente e a criação do hábito de desinfectar a água de consumo com a lixívia, para evitar-se o contagio de doenças.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jun 19, 2009 2:42 am

Luanda
Secção da saúde do Sambizanga regista mais de mil casos de malária em sete dias

Luanda – Mil e 139 casos de malária foram registados entre os dias 10 e 16 do corrente mês, nos cinco Centros de Saúde do município do Sambizanga, em Luanda, refere um documento da repartição de Saúde, enviada hoje, quarta-feira, a Angop.



Segundo a nota, que faz igualmente referencia ao atendimento de 224 casos de diarreias agudas, 158 de doenças respiratórias agudas, 133 ferimentos por armas brancas e um por arma de fogo.



As comunas do Sambizanga (sede) e Bairro Operário são as que maior índice de casos apresentam, com uma média de 380 casos cada, facto que, de acordo com a chefe de repartição local de saúde, Afra Baltazar João, é preocupante.



Segundo a responsável da saúde, presume-se que o débil saneamento básico destas comunas, e a pouca higiene pessoal estejam na origem do elevado número de casos de malária.



Dos casos registados, 63 foram transferidos para hospitais com tecnologia e técnicos especializados, com vista a um tratamento qualificado.



Afra Baltazar João lamentou a ausência da empresa de recolha de lixo hospitalar, Recolix, nos centros de saúde do Bairro Operário e Ngola Kiluange, onde os baldes estão a transbordar de detritos.



O município do Sambizanga tem três comunas, Sambizanga (sede), Bairro Operário e Ngola Kiluange, os centros de saúde do Sambizanga, Dr.António Agostinho Neto, São Pedro da Barra, Bairro Operário e Ngola Kiluange, para atender a uma população estimada em 650 mil habitantes.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sábado Jun 20, 2009 2:35 am

Saúde
Anaso solicita maior envolvimento do sector público/privado no combate à Sida

Luanda – A Rede Angolana das Organizações de Sida (Anaso) solicitou hoje, sexta-feira, em Luanda, no final do terceiro seminário nacional de formação de formadores de ONG nacionais, maior envolvimento do sector público e privado nas acções de combate e controlo do VIH no país.

O terceiro Seminário Nacional de Formação de Formadores em Comunicação Inter Pessoal para a mudança de comportamento nas comunidades decorreu de 15 a 19 de Junho e contou com a participação de 30 activistas de ONG nacionais provenientes
das províncias de Luanda, Uíge, Benguela, Kwanza Sul, Namibe, Bengo e Kuando Kubango.

Na ocasião, o secretário executivo da Anaso, António Coelho, disse que o país precisa urgentemente de implementar uma estratégia de formação nacional de educação sobre VIH/Sida, com o objectivo de criar bases para uma intervenção coordenada que resulte na redução do crescimento da epidemia, mudança de comportamento, atitudes e práticas de risco entre a população sexualmente
activa.

Segundo ele, essa estratégia contribuiria para melhorar a partilha de informação e debate público sobre questões relativas à doença, bem como maior participação dos meios de comunicação social na campanha contra a Sida.

Para António Coelho, apesar dos esforços do Governo angolano, a força da sociedade civil organizada ainda é limitada e as mortes por Sida continuam a crescer, afectando a estabilidade económica das famílias.

Durante cinco dias de trabalho, os participantes partilharam experiências e adquiriram conhecimentos sobre sexualidade, vulnerabilidade, infecções de transmissão sexual, estigma e discriminação, aconselhamento e testagem voluntária, comunicação e educação.

Como parceiros estratégicos do Governo, as ONG consideram importante a realização de acções formativas para o fortalecimento da capacidade técnica destas instituições.

Neste contexto, recomendaram a implementação de um plano nacional de comunicação e informação para a adequação e padronização das mensagens sobre o VIH/Sida difundidas entre a comunidade, bem como o apoio às ONG.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Jun 23, 2009 1:09 am

Benguela
Programa de consultas na zona rural melhora quadro sanitário

Lobito - O administrador da comuna da Canjala, município do Lobito, província de Benguela, Luís Gonzaga Lino, assegurou neste fim-de-semana, que "o programa de consultas medicas nas zonas rurais está a mudar o quadro sanitário daquela comunidade", que dista a 92 dois quilómetros da "cidade portuária".

Em declarações à imprensa, o responsável considerou que, com as consultas médicas feitas duas vezes por semana, a população deixou de percorrer longas distâncias, com o propósito de encontrar um médico.

Referiu que a presença dos médicos na comuna está a permitir que os cidadãos criem uma cultura de fazer exames médicos de rotina, sem esperar que os cidadãos estejam doente, permitindo prevenir vários casos.

Com as consultas médicas, expressou, muitos cidadãos deixaram de tomar medicamentos sem a prescrição ou receitas feita pelo médico ou enfermeiro.

Luís Gonzaga disse que, para facilitar actividade dos médicos, a sua administração trabalha com as autoridades tradicionais, líderes de igrejas e associações de camponeses, para mobilizar a população a aderir aos programas de saúde pública.

A comuna da Canjala tem quatro povoações e uma população estimada em 50 mil habitantes, maioritariamente camponeses e criadores de gado bovino, suíno, caprino.

O programa de consultas médicas gizado pelas autoridades locais está a ser desenvolvido nas comunas do Egipto Praia, Biópio Canjala, e nas nove zonas administrativas da cidade onde tem postos
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jun 24, 2009 4:31 am

Benguela
Vacinados mais de 32 mil crianças na primeira fase da campanha ''Viva vida com Saúde''

Cubal - Trinta e 2.406 crianças, de zero aos cinco anos de idade, das 29.818 inicialmente previstas, foram vacinadas durante a primeira fase da campanha "Viva a vida com Saúde", que decorreu de 14 a 19 do mês em curso, no município do Cubal, 171 quilómetros da cidade de Benguela.

De acordo com o coordenador do programa de Saúde Publica e Controlo de Endemias, Domingos Elias Ngunga, foram vacinadas 32.406 crianças, de zeros aos cinco anos, contra a pólio, 27.691 contra o sarampo e administradas vitamina "A" e Albendazol a 28.892 e 25.522 petizes, respectivamente.

O responsável, que considerou positiva esta fase, disse que a campanha decorreu apenas na zona urbana do município e contou com a participação de duas equipas, com seis elementos cada, sendo quatro técnicos de enfermagem e dois voluntários.

Domingos Elias Ngunga salientou que a segunda fase da campanha arrancou nesta segunda-feira e prevê vacinar 12.779 crianças, de zero aos cinco anos de idade, nas três comunas do município, nomeadamente Capupa, Yambala e Tumbulo, e conta com 12 equipas.

O coordenador garantiu que as condições logísticas e outras inerentes a materialização da campanha estão a asseguradas e encaminhadas as respectivas áreas.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor ANA em Quarta Jun 24, 2009 1:39 pm

22-06-2009 13:32

Saúde
Fundo Global recomenda empenho para estancar aumento dos casos de Sida

Angop
O representante do Fundo Global Angola, Mário Cuper
O representante do Fundo Global Angola, Mário Cuper
Luanda - O representante do Fundo Global Angola, Mário Cuper, alertou segunda-feira, em Luanda, sobre a necessidade de haver cada vez mais empenho nos trabalhos de aconselhamento para testagem voluntária, no sentido de se minimizar o aumento dos casos de Sida em Angola.
Mário Cuper, que falava durante a abertura do primeiro Seminário de Gestão Monitoria e Avaliação para os líderes e quadros de Ong Nacionais de combate à Sida, referiu sobre a importância de se patrocinarem cada vez mais os projectos que têm como finalidade exortar as pessoas a terem conhecimento do seu estado de saúde com relação a doença.
De acordo com o secretário executivo da Rede Angolana das Organizações de Serviços de Sida (ANASO), António Coelho Neto, a luta contra a Sida deve ser uma prioridade para qualquer país, “uma vez que ela debilita qualquer sociedade e reduz a sua capacidade de se desenvolver”.
Sem avançar dados monetários, o secretário deu a conhecer que o Fundo Global Angola vai disponibilizar verbas a partir de Agosto do ano em curso, para os projectos de Ong nacionais no sentido de reduzir os casos de alastramento da epidemia no país.
Durante o encontro, serão abordados temas inerentes a elaboração de projectos, governação, planeamento estratégico e técnicas de avaliação.
O seminário, com duração de quatro dias, conta com a participação de trinta líderes e quadros de Ong Nacionais, entre coordenadores e supervisores de projectos provenientes de oito províncias do país como é o caso de Cabinda, Cunene, Malange, Benguela, Bengo, Huila, Lunda Norte e Kuanza Sul.
A ANASO pretende até ao final do ano em curso capacitar 180 líderes e quadros de Ong Nacionais em Gestão de Programas, Monitoria e Avaliação.
Avatar do utilizador
ANA
Moderador de sala
 
Mensagens: 194
Registado: Sexta Abr 24, 2009 2:58 pm
Localização: Alferrarede - Abrantes - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jun 25, 2009 3:51 am

Saúde
Algumas mortes maternas são provocados por abortos feitos fora dos hospitais

Luanda – O chefe da secção municipal da Saúde do Cazenga, Zola Messo, disse hoje (quarta-feira), em Luanda, que a principal causa das mortes maternas são os partos e abortos feitos fora das unidades hospitalares.

De acordo com o responsável, a existência e a procura de postos médicos ilegais por gestantes tem provocado os abortos mal feitos.

Zola Messo aconselhou as mulheres, a procurarem os serviços médicos oficiais para as consultas pré-natais e de rotina, porque nas ilegais as consequências são inúmeras, resultando muitas vezes na sua esterilidade.

Assegurou estarem a realizar palestras de sensibilização nas unidades sanitárias e mercados para desencorajar a realização de partos fora dos centros médicos, visando diminuir as mortes maternas.

De acordo com Zola Messo, é necessário educar as mulheres a realizarem as consultas pré-natais e consequentemente serem imunizadas e protegidas das doenças de origem viral.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal
---------

AnteriorPróximo

Voltar para ANGOLA - OUTROS TEMAS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron