SAÚDE EM ANGOLA

DESENVOLVIMENTO - SAÚDE - ECONOMIA - LIBERDADE - CRIMINALIDADE - LUSOFONIA

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jun 25, 2009 3:51 am

Saúde
Responsável aconselha população a aderir as consultas de rotina

Luanda – O chefe de repartição municipal da Saúde do Cazenga, Zola Messo, aconselhou hoje (quarta-feira), em Luanda, a população a aderirem as consultas de rotina e a terem cultura de educação sanitária por formas a se evitarem várias enfermidades.

Em declarações à Angop, o responsável lembrou que os cidadãos só aparecem nos hospitais quando estão doentes, e muitas vezes em estado critico.

Zola Messo frisou que as consultas de prevenção são benéficas, porque o corpo clínico pode prevenir o paciente sobre eventuais doenças que possam surgir.

Aconselhou igualmente a população, a ter cultura sanitária, primando pelo cuidados primários de saúde, para se evitar a incubação da doença.

“As pessoas não devem procurar somente os serviços de saúde quando estão doentes, devem sim fazer consultas de rotina", frisou.

Fez saber que as autoridades sanitárias realizam desde o princípio deste mês (Junho) campanhas de sensibilização as residências, escolas, mercados e centros de saúde, no sentido de convidarem as pessoas a aderirem as consultas de rotina, desinfectarem a água antes de ser consumida, eliminarem as águas paradas e combaterem o lixo.

Chamou a atenção dos professores, enquanto parceiros privilegiado do Ministério da Saúde, para ajudarem o sector na transmissão de conhecimentos aos alunos sobre os principais cuidados e causas do aparecimento de doenças como as diarreias agudas, paludismo, tosses, cólera e outras endemias.

Para a efectivação destas campanhas, a secção da saúde conta ainda com a colaboração de activistas comunitários, que efectuam visitas as residências e aconselham a população sobre os cuidados a terem para se evitar doenças.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jun 25, 2009 3:52 am

Saúde
Ministério quer melhorias nos hospitais públicos

Luanda – O Ministério da Saúde comprometeu-se hoje, quarta-feira, em Luanda, a trabalhar para a redução das queixas que os pacientes apresentam contra os hospitais públicos, elevando a qualidade de serviço dos seus profissionais, informou hoje, quarta-feira, o vice-ministro Alberto Masseka.


Falando na cerimonia de abertura do 3º Encontro Científico do Hospital Josina Machel, o dirigente reconheceu que têm registado reclamações, sobretudo no tocante ao atendimento, falta de comunicação entre médico, enfermeiro e família do paciente", o que "quebra os princípios da ética e deontologia profissional".


"Temos estado a trabalhar com as associações socioprofissionais do sector, no sentido de sabermos o que está na base desta situação, que ocorre no dia-a-dia, nos nossos hospitais", expressou Alberto Masseka.


Por isso, disse ser necessária uma investigação profunda sobre esta questão, por forma a saberem ao certo quais os problemas por que passam os profissionais de Saúde, sobretudo aqueles que atendem pacientes com menos delicadeza.


"É necessário que cada profissional assuma a sua responsabilidade na sua relação com o paciente e seu familiar, com vista à melhoria da prestação dos serviços nas unidades hospitalares", considerou Alberto Masseka.


Disse que o governo empreendeu esforços para a reabilitação e apetrechamento das unidades hospitalares, razão porque encorajou os profissionais do ramo a continuarem a lutar pela melhoria dos serviços de saúde em Angola.


Acredita que o encontro do Hospital Josina Machel vai contribuir no aumento da produção científica no país, criando estímulos a todos os profissionais.


Para si, Angola deve deixar de ser um "mero consumidor" de conhecimentos de Saúde, passando a produtor, visto que grande parte das unidades hospitalares possuem quadros especializados e meios técnicos para o efeito.


"Se cada um poder fazer algo para a resolução dos problemas da Saúde no país, estaremos todos a contribuir para uma saúde melhor para os angolanos", concluiu.


Sob o lema "Estratégias, perspectivas e resultados de trabalho nos serviços de saúde", o encontro cientifico do Hospital Josina Machel realiza-se no âmbito do esforço do governo na melhoria da assistência médica à população e o fomento da investigação científica nas unidades sanitárias.


A promoção e investigação científica dos diferentes profissionais de Saúde e trocas de experiências entre técnicos nacionais e estrangeiros são também objectivos do encontro.


Neste evento, que se encerra sexta-feira, participam médicos, angolanos e estrangeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutico, enfermeiros licenciados e estudantes de medicina, idos de vários pontos do país.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jun 26, 2009 2:52 am

Bengo
Hospital da Bela Vista carece de medicamentos

Ambriz - O Hospital da comuna da Bela Vista, município do Ambriz, província do Bengo, carece de medicamentos para prestar os
primeiros socorros as populações da circunscrição, soube hoje (quinta-feira) à Angop, de uma fonte da instituição sanitária.





Segundo o responsável do Hospital, João Manuel, a falta de medicamentos essenciais tem dificultado o trabalho dos técnicos de enfermagem para tratar os pacientes que afluem aquela instituição de saúde.





João Manuel adiantou ainda que o estabelecimento hospitalar necessita destes fármacos para tratar as patologias mais frequentes, tais como o paludismo, diarreias agudas, febre tifóide e tosse.





Para aliviar a situação, a secção comunal da saúde local enviou uma petição as entidades competentes do sector, no qual manifesta a necessidade do abastecimento regular de medicamentos para acudir as comunidades que padecem de várias patologias.





A unidade sanitária, com uma sala de parto, de pediatria e um laboratório, atende 30 pacientes por dia e a capacidade de internar nove doentes.



Três enfermeiros e funcionários administrativos asseguram o funcionamento daquela instituição hospitalar, que necessita de um médico.



A comuna da Bela Vista que dista a 90 quilómetros da sede municipal do Ambriz possui cerca de dois mil habitantes que se dedicam a agricultura.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jun 26, 2009 2:52 am

Cunene
Namacunde regista mais de 500 testes voluntários de VIH/Sida

Namacunde - Quinhentos e 60 cidadãos fizeram teste voluntário de VIH/Sida, no município de Namacunde, província do Cunene, no período de Janeiro a Maio deste ano, informou à Angop, hoje, quinta-feira, a responsável do Centro de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV), Valentina Nhimawa.

Segundo a fonte, houve um aumento de 20 casos em relação a igual período de 2008, que resultaram em 88 casos positivos e 472 negativos, bem como quatro óbitos.

Para si, foi satisfatória a adesão dos cidadãos, em maioria jovens e grávidas, que procuraram conhecer o seu estado serológico e buscar informações sobre o VIH/Sida.

Adiantou ainda que grande parte dos casos positivos foram de jovens e adultos, dos 20 aos 47 anos de idade, situação que julga preocupante, por estarem em idade activa.

Quanto às acções de combate à doença, referiu que o centro tem intensificado as campanhas de sensibilização e mobilização, principalmente nas instituições escolares e igrejas, bem como a distribuição gratuita de preservativos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jun 26, 2009 2:53 am

Kwanza Norte
Núcleo de aconselhamento do Lucala examina 50 grávidas

Ndalatando – Cinquenta grávidas efectuaram até este mês aconselhamento e testagem voluntária de HIV/SIDA, num núcleo de aconselhamento criado recentemente no município do Lucala, pelas autoridades sanitárias da província do Kwanza Norte, no âmbito da expansão dos serviços de combate à doença.

A informação foi avançada hoje, quinta-feira, pelo supervisor da instituição Kividissa Paulo, que disse tratar-se de um núcleo em funcionamento numa das salas do Hospital Municipal, até a criação de condições num outro espaço adjacente.

Sem precisar o número de casos de Sida diagnosticados na circunscrição, por esse núcleo de aconselhamento e testagem voluntária de Lucala, informou que a instituição conta com o apoio de dezenas de mobilizadores comunitários, cuja tarefa é sensibilizar
jovens sobre as causas e riscos de infecção da doença.

De igual modo, explicou, os mobilizadores fazem a distribuição de preservativos.

O Hospital Municipal do Lucala foi restaurado e apetrechado recentemente e conta com serviços de pediatria, medicina interna, maternidade, tuberculose, lepra, tripanossomiases e Raios X. Este último está inoperante por falta de técnicos de radiologia.

Com apenas uma comuna, (Kiamgombe), Lucala possui ainda dois postos de saúde em funcionamento nos sectores de Hala e Dualumbe.

Estão em construção mais três, com o patrocínio do Fundo de Apoio Social (FAS), nas localidades da Pamba e Coio, bem como no bairro CTT, arredores da vila municipal.

A população do município do Lucala é maioritariamente camponesa e está estimada em cerca de 17 mil habitantes, distribuídas em 27 aldeias.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Domingo Jun 28, 2009 2:45 am

I Simpósio
Decano da Faculdade de Medicina reitera importância do segredo médico

Luanda – O decano da Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto (UAN), Cristóvão Simões, aconselhou, hoje, sexta-feira, em Luanda a classe médica a preservar o princípio da confidencialidade, de forma a garantir o sucesso no tratamento dos pacientes.

Falando no encerramento do 1º simpósio sobre Medicina Legal promovido pela Faculdade de Medicina, Cristóvão Simões admitiu a existência de médicos que ainda quebram o silêncio, atitude que não dignifica a classe.

Perante estudantes do 5º e 6º ano das Faculdades de Medicina e Jean Piaget, o responsável referiu que a actividade fundamental dos médicos e técnicos de saúde é preservar a vida e manter o bem-estar das populações que acorrem as unidades hospitalares.

“O fundamento da profissão médica é salvar vidas e preservar a dignidade humana, atitudes que devem ser retidas todos os dias pelos quadros”, enfatizou.

Reiterou que confidencialidade médica é muito importante para o exercício da profissão.

Cristovão Simões defendeu o combate a tendência à arrogância e a vaidade na nova geração de médicos, já que muitos destes têm sido acusados por funcionários antigos e pacientes de várias unidades hospitalares, de não estarem a aliar a teoria à prática.

Já o bastonário da ordem dos médicos, Pinto de Sousa, sugeriu uma abordagem contínua da questão da deontologia médica a nível das instituições do ensino superior ao longo do curso.

Alertou que aqueles médicos que persistirem em prática de acções que não dignificam a classe serão penalizados.

O primeiro simpósio sobre Medicina Legal decorreu sob o lema "Para um ensino da Medicina Legal Universal na diversidade das instituições universitárias que abarcam o ensino superior em Angola", o evento contou igualmente com a participação de quadros da Polícia de Investigação Criminal.

Temas ligados ao abuso sexual contra menores, aborto criminal, violência doméstica contra a criança, latrogenia, morte súbita e suicídio foram entre outros apresentados por discentes, com base em pesquisas feitas.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Jun 30, 2009 2:53 am

Cunane
Banco de Urgência de Namacunde assiste 62 pacientes

Namacunde – O serviço do Banco de Urgência do Hospital municipal de Namacunde (Cunene), assistiu durante o fim-de-semana, 62 pacientes, mais oito em relação a igual período anterior, informou hoje, segunda-feira, à Angop, o enfermeiro em serviço na unidade hospitalar, Jackson Figueira.


Segundo o responsável, destes pacientes constam 27 crianças e 35 adultos, tendo sete sido internados nas áreas sanitárias de maternidade, medicina e pediatria.


Informou ainda, que os doentes assistidos apresentaram diagnósticos de diversas patologias com destaque para malária, bronquite, tuberculose e Vih/Sida.


O Hospital municipal de Namacunde tem 25 camas e dispõe de um corpo clínico de 65 trabalhadores, entre médicos, enfermeiros e farmacêuticos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Jun 30, 2009 2:54 am

Formação
Técnicos de saúde aprendem conhecimentos sobre o uso de Zidovudina


Luanda - Técnicos de saúde seleccionados nas províncias do Moxico, Bié, Uíge, Huíla e Benguela participam desde hoje, segunda-feira, em Luanda, *****rso de formação de formadores para, entre outras questões, aprenderem conhecimentos sobre o protocolo do uso de Zidovudina (ATZ), que reduz a transmissão vertical do Vih em 67,5 porcento, durante o trabalho de parto.

Promovido pelo Instituto Nacional de Luta contra o Sida (INLS), em parceria com o sector de Saúde Reprodutiva, e apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), os participantes ao curso, a decorrer de 29 de Junho a 11 de Julho, vão ainda aprender técnicas de teste rápido, o uso do Zidovudina intraparto e para o recém nascido.

Com o propósito de serem treinados na vertente de facilitadores no módulo de prevenção da transmissão vertical, os beneficiados submetidos a trabalhos teóricos e práticos estão a analisar e discutir aspectos ligados com mulheres, Vih e transmissão materna, estratégias de prevenção da infecção pelo Vih, transmissão vertical desta doença e seus mecanismos.

História natural, ciclo de vida, transmissão e epidemiologia do Vih, sua prevenção na transmissão vertical, Vih na gestação intraparto e puerpério, adesão ao sistema de cuidados de apoio, estratégias de aconselhamento e testagem voluntária são outros temas que serão discutidos no evento.

Neste terceiro curso de formação de formadores em prevenção da transmissão vertical (PTV), os participantes terão a oportunidade de aprenderem como administrar uma aula e palestra na vertente de Vih, antes de abordarem questões sobre ética e confidencialidade.

O curso, que decorre numa das salas de conferências do INLS, realiza-se no âmbito das estratégias do Governo angolano no combate contra esta epidemia, com vista a redução de mortalidade materno-infantil.

A expansão do programa de prevenção da transmissão vertical do Vih e aconselhamento e testagem voluntária são entre outros objectivos que se prendem com a realização de eventos de género.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jul 01, 2009 3:06 am

Malanje
Médico aconselha mães a agasalharem crianças

Malanje - O director clínico do Hospital Geral de Malanje, André Ribeiro, aconselhou hoje, terça-feira, nesta cidade, as mães a agasalharem as crianças e evitarem dar banhos no período nocturno, com vista a protegerem-nas de eventuais doenças respiratórias durante a época de frio, tais como tosse, bronquite e pneumonia.

Falando à Angop, o médico informou que têm registado, durante o cacimbo, muitos casos de tosse, bronquite e pneumonia em crianças dos zero a 1 ano de idade, razão porque reforça o apelo do agasalho.

Explicou que, com a mudança de clima, o organismo humano fica afectado, dizendo terem como doenças mais frequente desta época as enfermidades de fórum respiratório, oftalmológico e dermatológico, devido à poeira.

"Nesta época, também são frequentes as patologias ligadas à visão. Isso deve-se ao pó e tem provocado conjuntivite às pessoas alérgica", referiu, acrescentando que a população deve acatar as medidas de prevenção.

Precisou que, independentemente das patologias existentes no cacimbo, outras doenças sazonais podem surgir, como diarreias, que são originadas pela escassez de água potável.

Por isso, explicou, algumas populações ingerem líquidos não tratados, que tem provocado o desenvolvimento de patologias de fórum digestivo.

Revelou que nesta época as queimaduras aumentam, tendo em conta que as crianças aquecem fogo com maior frequência, daí os encarregados devem estar sempre atentos para se evitar problemas de saúde.

Fez saber que o hospital está preparado para a presente época, em termos de medicamentos e recursos humanos, pois tem disponível um médico especializado na área de infecções, que vai atender a demanda.

O responsável aconselhou os líderes comunitários a informarem a população sobre as formas de como humedecer os quintais, para que não se levante pó. Isso, disse, pode arrastar bactéria e outras substância alérgica que provocam as conjuntivites.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quarta Jul 01, 2009 3:07 am

Suécia
Angola participou no Congreso Mundial sobre Saúde Sexual

Gotemburg - O urologista angolano Nilo Vaz de Borja representou Angola no décimo-nono Congresso Mundial para a Saúde Sexual, realizado de 21 a 25 de Junho na cidade sueca de Götemburg, sob o lema “Saúde Sexual e Direitos: Um desafio Global”.

Segundo uma nota da missão diplomática na Suécia, enviado hoje, terça-feira, à Angop, o evento internacional reflectiu as oito prioridades da declaração da Associação Mundial para a Saúde Sexual para o Milénio, e fez eco da urgente necessidade de acção para se assegurar, em todo o mundo, a saúde sexual e os direitos de todos.

À margem deste evento, o médico e professor universitário Nilo Borja declarou à imprensa que a participação de Angola no evento foi positiva, o que dará mais contributos ao programa sobre saúde reprodutiva e sexual, implementado pelo Governo de Angola, assim como as pesquisas dos estudantes de medicina da Universidade Agostinho Neto e outros técnicos de saúde.

Sobre o fenómeno violência sexual de menores, afirmou ser um problema universal, que foi também discutido no Congresso, com destaque para as estratégias mundiais para se pôr termo a tais práticas, incluindo a mutilação sexual de mulheres, assim como a mudança de mentalidades sobre alguns tabús e práticas tradicionais, ainda existentes em alguns países, principalmente em África (excisão do clitóris, violência em caso de perda da virgindade, etc.)

No evento, organizado pela Associação Mundial para a Saúde Sexual, foram amplamente abordadas questões atinentes à violência sexual de menores, a educação e saúde sexual dos jovens, mutilação sexual, doenças ginecológicas, urológicas, causas e tratamento da impotência sexual masculina e de outras enfermidades, assim como questões ligadas às doenças sexualmente transmissíveis como o Vih/Sida.

Participaram do encontro, médicos, farmacêuticos, sociólogos, psicólogos, representantes de ONG, estudantes e especialistas ligados à Saúde Sexual e Reprodutiva, assim como defensores das vítimas de abusos sexuais de África, Europa, Ásia, América e Austrália.

Os participantes intercambiaram conhecimentos e novas propostas de medicamentos para cura das enfermidades do fórum sexual. O próximo Congresso será em 2011, na Escócia.

Nilo Vaz de Borja desempenhou o cargo de vice-ministro da Saúde de Angola, na década de 90. É professor de Urologia da Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto, está filiado em várias Associações Internacionais de Urologia e é membro da WAS (Associação Mundial para a Saúde Sexual) .
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jul 02, 2009 2:13 am

Evacuação de doentes
Desenvolvimento do sistema de saúde impulsiona criação do INEM

Luanda - O processo de desenvolvimento do sistema nacional de saúde e o aumento de acidentes rodoviários impulsionou a criação do Instituto Nacional de Emergência Médica de Angola (INEM), para a evacuação de doentes e feridos em condições seguras para unidades sanitárias, considerou hoje (quarta-feira) o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.



Em declarações à imprensa, após a reunião do Governo, o governante disse que o INEM vai promover a articulação entre várias unidades no processo de evacuação de doentes ou feridos.



Parte das actividades do INEM está a funcionar no Hospital do Prenda, mas as suas infra-estruturas serão construídas nos terrenos adjacentes ao Hospital Sanatório, disse, indicando a existência de um projecto que será apresentado em concurso público.



O INEM terá uma implantação paulatina, mas estão já a ser formadas equipas para actuar nas províncias onde será disputado o Campeonato Africano das Nações em Futebol o próximo ano (CAN’2010).



Com um estatuto de instituto público e direcção tutelada pelo Ministério da Saúde, a instituição terá um sistema de comunicações através de terminal 116.



O Conselho de Ministros aprovou hoje a criação do INEM e respectivo estatuto orgânico para assegurar a assistência médica pré-hospitalar e a evacuação assistida, em caso de doença súbita, ou acidente para unidades de saúde clinicamente adequadas.



O instituto vai assegurar as operações de salvamento nas praias marítimas e fluviais e prestar cuidados no transporte de feridos, recém-nascidos, deficientes, mortos e idosos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Quinta Jul 02, 2009 2:13 am

Hospital Américo Boa Vida
Ministério da Saúde instaura inquérito para apurar responsabilidades sobre morte de cidadã

Luanda - O ministro da Saúde, José Van-Dunem, reafirmou hoje que está em curso um inquérito para se apurar responsabilidades no caso da morte de uma cidadã por alegada recusa de assistência médica no Hospital Américo Boa Vida.



“Está em curso um inquérito a nível do hospital Américo Boa Vida. Fala-se em negligência, se for essa a conclusão vamos tomar medidas para evitar que não aconteça mais actos do género”, garantiu o ministro em declarações à imprensa no final da reunião do Conselho de Ministros.



Por lidar com vidas humanas, o ministro aconselha aos profissionais da Saúde a criarem uma empatia com o doente e prestar-lhe atenção.



Admitiu haver uma necessidade de humanizar a actuação dos profissionais e consciencializá-los de que quem procura aqueles serviços é um ser humano.



“A remuneração já não é problema. Reconhecemos que temos de melhorar as condições de trabalho, mas é preciso reintroduzir a cultura do respeito pelo paciente, da auto-estima e da valorização da qualidade do trabalho que se presta”, sublinhou.



De acordo com o governante, não é verdade que em função do que aconteceu se diga que todos os profissionais têm uma relação difícil com o público. Eles têm uma relação abnegada. Tratou-se de uma excepção.



O ministro da Saúde considera que Luanda cresceu muito, um crescimento que a rede sanitária não acompanhou, provocando “uma grande pressão sobre os hospitais centrais”.



Tem outras unidades para diminuir esta pressão, como os hospitais Geral de Luanda, dos Cajueiros e do Kilamba Kiaxi, que não têm conseguido dar resposta por falta de recursos humanos, segundo o ministro.



Para melhorar a situação, referiu José Van-Dúnem, determinou-se a criação de um grupo de apoio e assessoria para avaliar e determinar as condições dos hospitais.



“Tenho uma informação do que se passa. Há hospitais em que o tempo de atendimento, a pressão e organização no banco de urgência é deficitária. Os profissionais que as vezes não estão criam um ambiente que não é favorável a uma oferta de cuidados de saúde”.



No seu entender, com a pressão existente, traduzido no desequilíbrio entre a oferta e a procura “não será possível melhorar de uma vez”.



Questionado sobre a existência de relatos sobre a recusa de atendimento a pacientes por falta de pagamento antecipado por parte de clínicas privadas, o ministro disse que não se pode permitir a recusa de doentes em perigo de vida, mas garantiu que existe inspecção da saúde nessas unidades.



De acordo com o ministro, essas clínicas devem prestar os primeiros socorros e assegurar a sua transferência em condições de segurança para uma unidade sanitária pública.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Sexta Jul 03, 2009 2:08 am

Saúde
Vacinadas mais de 48 mil crianças contra poliomielite no Bengo

Caxito - Quarenta e oito mil e 505 crianças dos zero aos cinco anos de idade foram imunizadas contra a poliomielite, na província do Bengo, durante a campanha realizada de 15 à 28 de Junho, sob o lema "Viva a vida com saúde".

A informação foi revelada hoje, quinta-feira, à Angop, pelo supervisor provincial do Programa Alargado de Vacinação (PAV), Adriano André, afirmando que durante a campanha foram igualmente vacinadas contra o sarampo 41.211 menores, enquanto 78.415 outras receberam Albenzadol.

Adriano André explicou terem participado na jornada, 20 brigadas constituídas por 120 vacinadores, que imunizaram contra o tétano 45 mil e 32 mulheres dos 14 aos 49 anos de idade.

A campanha "Viva a Vida com Saúde", realizada pelo Ministério da Saúde com o apoio da OMS e do UNICEF, visou imunizar contra o sarampo e a poliomielite crianças menores de cinco anos, tendo ministrado Albendazol e Vitamina A e vacinado contra o tétano mulheres em idade fértil.

A poliomielite é uma doença contagiosa causada por um vírus específico que afecta os membros e paralisa os músculos, cujo período de incubação é de três à 35 dias e multiplica-se na faringe e nos intestinos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Segunda Jul 06, 2009 12:54 am

Vacinação
Mais de 185 mil crianças imunizadas contra pólio e sarampo *****nene

Ondjiva - Cento e oitenta e cinco mil, 535 crianças, dos zero aos cinco anos de idade, foram vacinadas contra pólio e sarampo na província do Cunene, durante a campanha "Viva a Vida com Saúde", realizada de 14 a 28 de Junho deste ano, soube hoje (domingo) a Angop de fonte oficial.

Segundo o supervisor do Programa Alargado de Vacinação *****nene (PAV), António Sanana, este número de crianças vacinadas corresponde aos municípios do Cuvelai, Ombadja, Namacunde, Kahama e Kwanhama, faltando a circunscrição do Curoca.

Deu igualmente a saber que nessa campanha foi administarada, em simultâneo", a vitamina A, a um universo de 76 mil e 691 crianças dos seis meses a cinco anos de idade. Outros 70 mil, 253 petizes com menos de cinco anos tomaram os comprimidos de albendazol.

António Sanana sublinhou que a campanha abrangiu as zonas rurais e urbanas, no afã de garantir saúde a todas as crianças e reduzir a mortalidade materna e infantil na província.

De acordo com a fonte, para o êxito da campanha foram criadas boas condições técnicas e logísticas, asseguradas por 125 equipas a nível dos seis municípios do Cunene.

O responsável fez questão de realçar que a campanha correspondeu às expectativas das autoridades sanitárias na região, devido a entrega e empenho dos técnicos de saúde e dos pais e encarregados de educação que afluíram em massa com as suas crianças aos postos de vacinação.

Uma vez que o PAV *****nene previa imunizar perto de 167.325 crianças contra pólio e sarampo, os 185 mil e 535 petizes vacinados representam uma percentagem bastante superior às estimativas dos organizadores da campanha, concluiu com agrado.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal

Re: SAÚDE EM ANGOLA

Mensagempor paulo gonçalves em Terça Jul 07, 2009 1:41 am

Saúde
Corte à transmissão vertical atrai mais pacientes na Lucrécia Paim


Luanda - A procura pelos serviços de corte à transmissão vertical, criado para permitir o nascimento de crianças saudáveis de mães seropositivas, tem aumentado na Maternidade Lucrécia Paim, resultando no atendimento diário de 12 a 15 gestantes.

A informação foi avançada à Angop, hoje, segunda-feira, pelo ginecologista e obstetra Frederico Juliana, que apontou as campanhas de sensibilização e informação como a principal causa desse aumento de pacientes seropositivas, naquela maternidade.

Explicou que o programa, iniciado em 2005, registava fraca adesão das parturientes, devido a vários tabus em relação ao VIH/SIDA, desinformação e falta de apoio familiar.

A mobilização, referiu, tem sido feita durante as consultas pré natal, nas quais a grávida recebe informações sobre os cuidados a ter aquando da gestação e sobre como evitar em caso de resultado positivo do VIH que a sua criança também seja infectada.

Segundo Frederico Juliana, o corte contempla três fases: evitar a infecção durante a gravidez, parto e amamentação.

Para tal, as mulheres iniciam o tratamento anti retroviral, cedidos gratuitamente pelo Governo Angolano, a partir dos cinco meses de gravidez "se o sistema de defesa (cd4) for maior do que 350 células por mililitro de sangue".

Nesses casos, a mulher recebe um comprimido duas vezes ao dia até ao parto.

"Caso a parturiente chegue ao programa com dois ou um mês de gestação, e com cd4 abaixo do valor recomendado (350 células por mililitro de sangue), começa já a fazer o esquema para reduzir a possibilidade de transmissão", esclareceu.

Durante o trabalho de parto, reforçou, é-lhes administrado um anti retroviral por via endovenosa (zidovudina), até a expulsão do bebé.

Após o nascimento, inicia-se uma nova etapa de controlo, durante a qual a mãe é aconselhada a optar pelo aleitamento artificial exclusivo, orientação nem sempre seguida nos casos em que as condições económicas não permitam.

"Para evitar a morte da criança, por falta de alimentação, nós autorizamos o uso do leite materno exclusivo, durante três meses, e depois o consumo de outros alimentos", informou, acrescentando que as chances de transmissão da sida nesses casos é de 3 a 4 porcento.

O programa visa também o seguimento das crianças desde o nascimento até aos 18 meses de idade para se descartar a infecção.

Ao longo deste período, as crianças são seguidas regularmente por pediatras da maternidade e testadas de três em três meses. Findo este prazo e em caso de resultado negativo os menores recebem alta.

Dos mais de cinco mil partos realizados no âmbito do programa de corte à transmissão vertical, na Maternidade Lucrécia Paim, apenas quatro crianças contraíram a doença, pelo facto das mães não terem ***prido os requisitos.

Tal sucedeu, realçou, por desistência ao tratamento e início do trabalho de parto fora da unidade hospital.

Apesar de verificar-se maior adesão às consultas, Frederico Juliana referiu que para a conclusão com êxito do tratamento é fundamental a participação do parceiro e familiares mais próximos.
Avatar do utilizador
paulo gonçalves
Administrador do fórum
 
Mensagens: 7197
Registado: Quarta Maio 27, 2009 9:40 am
Localização: Porto Espada - Marvão - Portugal
---------

AnteriorPróximo

Voltar para ANGOLA - OUTROS TEMAS

Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron